Carregando... aguarde
Museu Júlio de Castilhos - Guia das Artes
Museu Júlio de Castilhos
abrirá em 6 horas e 36 minutos
Museus
Museu Júlio de Castilhos
Horários de funcionamento
dom
seg
ter
10:00
18:00
qua
10:00
18:00
qui
10:00
18:00
sex
10:00
18:00
sab
10:00
18:00
Local
Rua Duque de Caxias, 1205 Centro Histórico
Conteúdo

   O Museu foi idealizado por Julio Prates de Castilhos e criado pelo decreto-lei no 589, de 30 de janeiro de 1903, pelo Presidente do Estado, Antônio Augusto Borges de Medeiros, denominado “Museu do Estado”.

   Em 1907, passou a chamar-se “Museu Julio de Castilhos”, em homenagem ao ex-presidente do Rio Grande do Sul, falecido em 1903.
Foi a primeira instituição museológica do Estado e, como era comum na época, seu acervo abrangia artefatos indígenas, peças históricas, obras de arte, coleções de zoologia, botânica e mineralogia. Dessa forma, buscava-se reunir objetos que representassem as características do Estado do Rio Grande do Sul, abarcando, assim, diversas áreas do conhecimento. Inicialmente, o Museu teve por sede dois pavilhões no Parque da Redenção, que haviam sido construídos para a primeira Exposição Agropecuária e Industrial do Rio Grande do Sul, realizada em 1901.

   Nesse período, houve o interesse do governo estadual em recolher através das intendências municipais peças que haviam sido expostas naquela Exposição e que fossem representativas daquelas comunidades. Assim, foram integradas ao acervo do Museu diversas peças doadas pelas autoridades municipais e a Coleção Barbedo, comprada em 1905.


   Mantendo seu perfil eclético, foram transferidos do Arquivo Público para o Museu, em 1925, os documentos relativos à história política, administrativa, eclesiástica e militar da antiga Capitania de São Pedro.
Em reconhecimento à sua importância, enquanto instituição museológica mais antiga do Rio Grande do Sul, o acervo do Museu foi inscrito no livro Tombo de Belas Artes da Subsecretaria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (atualmente IPHAN) em 1937.

   No início da década de 1950, com o avanço das ciências e da museologia, fez-se necessário constituir instituições específicas para cada área do conhecimento. Assim, foram criados o Museu de História Natural (atual Museu da Fundação Zoobotânica), o Museu de Arte (atual MARGS) e o Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul. Obras de arte, documentos e coleções zoológica, botânica e mineralógica foram transferidas do Museu Julio de Castilhos para essas novas instituições. Dessa forma, o MJC passou a dedicar-se exclusivamente à guarda e conservação do acervo histórico de caráter regional.

   Hoje, são adotadas três vertentes para balizar a aquisição e doação de acervo: modo de vida, relações sociais de produção e história política do Rio Grande do Sul.
O modo de vida inclui os objetos que retratem os diferentes costumes, crenças e hábitos dos rio-grandenses (índios, imigrantes europeus, açorianos, alemães, italianos, etc., gaúchos da Campanha, das Missões, das cidades, do litoral, etc.), tais como: indumentária, objetos relacionados ao uso cotidiano (moedas, selos, cuias, pratos, bombas de chimarrão, talheres, ferros de passar, mobiliário doméstico), de devoção religiosa (rosários, imagens, livros religiosos), etc.

   As relações sociais de produção abrangem objetos relacionados ao trabalho, à produção e à circulação da renda, abrangendo as esferas pública e privada, tais como: títulos públicos, ações, ferramentas, máquinas, instrumentos diversos, etc.

   Originalmente subordinado à Secretaria do Interior e Obras Públicas, o MJC passou a integrar a Divisão de Cultura por determinação da lei no 2345 de 1954, que reestruturou a Secretaria dos Negócios de Educação e Cultura. Em 1990, o Museu passou a ser vinculado à recém criada Secretaria de Estado da Cultura, quando foi constituído um quadro técnico próprio.

   O acervo da Instituição é composto de mais de 11 mil objetos, divididos em 29 coleções, como: iconografia (pinturas, gravuras, fotos), indumentária (roupas, acessórios, modas de épocas), armaria (armas), etnologia (objetos relacionados à cultura indígena), escravista (objetos utilizados no período da escravidão),documentos, máquinas, utensílios domésticos, objetos de uso pessoal,missões, dentre outras. O acervo é tombado como patrimônio nacional, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Contato
museu_juliodecastilhos@sedac.rs.gov.br
* Os horários podem variar em função de férias e feriados. Recomendamos ligar antes para verificar.
Compartilhe
Comente
Mais Opções em "Rio Grande do Sul"
0,1Km - Museu Banrisul - O Museu Banrisul abriu suas portas para visitação pública em 15 de março de 1994. Suas peças foram coletadas junto às agências do Estado e do país, entre elas destacamos: documentos, máquinas, relógios, fotografias, mobiliário, enfim, objetos que denotam
Saiba mais
0,3Km - Galeria de Arte Mamute - A Galeria de Arte Mamute foi criada em 2012 com o objetivo de destacar a pesquisa poética em arte contemporânea e lançar jovens artistas em formação de carreira. Priorizando representar artistas gaúchos emergentes, a Mamute configura-se como uma plataform
Saiba mais
0,4Km - Museu Antropológico - O MARS tornou-se um centro dinâmico de pesquisas antropológicas e etnoarqueológicas, comunicando seu trabalho em exposições, seminários e cursos, entre outros.
Saiba mais
0,4Km - Museu de Comunicação Social Hipólito José da Costa - É um museu localizado na cidade de Porto Alegre.
Saiba mais
0,5Km - Casa de Cultura Mário Quintana - É uma instituição ligada à Secretaria de Estado da Cultura/Governo do Estado do Rio Grande do Sul.
Saiba mais
0,6Km - Museu Militar do Sul - O museu foi idealizado no ano de 1994 pelo então Comandante da 3ª Região Militar o General-de-Divisão João Carlos Rotta com o intuito de preservar conservar e expor objetos históricos do Exército Brasileiro e do Comando Militar do Sul.
Saiba mais
0,7Km - Memorial do Mercado Público - o Mercado Público comemora 146 anos de existência. Com suas paredes e bares centenários, o velho Mercado é um passeio na memória da história da cidade, com sua rica diversidade de cores, aromas e produtos, com aquele típico atendimento que só os mercados
Saiba mais
0,7Km - Memorial do Ministério Público - o Ministério Público é uma instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis
Saiba mais
0,8Km - Museu de Mineralogia e Petrologia Luiz Enghert - A coleção de minerais e rochas que compõe o acervo do Museu Luiz Englert iniciou em 1909 com o "Gabinete de Mineralogia" do Prof. Englert, que lecionava, na Escola de Engenharia, diversas disciplinas, entre elas a Mineralogia.
Saiba mais
0,9Km - Museu do Motor - Atualmente o Museubusca parceria com empresas einstituições de forma a ampliarseuramo de atividades visando a constante atualização tecnológica do grupo e ampliação de seu espaço físico e acervo.
Saiba mais
854,0Km - ESCULTURAS NO PARQUE DA LUZ- O Parque da Luz, também conhecido como Jardim da Luz, conta com área de aproximadamente 113 mil m² . Foi criado como horto botânico por uma Ordem Régia da Coroa Portuguesa em 19 de novembro de 1798 foi aberto ao público em 1825 como Jardim Botânico já no
Saiba mais
1.074,4Km - Bruno Almeida Maia , em entrevista para o GuiaDasArtes - Bruno Almeida Maia , ministrante do curso Constelações Visionárias , a relação entre moda , arte e filosofia nos concedeu a ótima entrevista que se segue :
Saiba mais
1.114,3Km - Circuito de arte contemporânea do museu do açude ganha obras permanentes- CIRCUITO DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO MUSEU DO AÇUDE GANHA OBRAS PERMANENTES DE WALTERCIO CALDAS, ANGELO VENOSA E JOSÉ RESENDE
Saiba mais