Carregando... aguarde
Murakami por Murakami-2019-12-04 - Guia das Artes
Murakami por Murakami
Evento encerrado
Murakami por Murakami
Quando aconteceu
Quarta, 04 Dezembro até Domingo, 15 Março
Local
Instituto Tomie Ohtake
Av. Brigadeiro Faria Lima, 201, Pinheiros
Conteúdo

 

O Instituto Tomie Ohtake traz pela primeira vez ao Brasil a individual do mítico artista japonês Takashi Murakami (1962, Tóquio, Japão). 

 

Com curadoria de Gunnar B. Kvaran – o mesmo curador da mostra de Yoko Ono realizada no Instituto em 2017 –, MURAKAMI POR MURAKAMI deriva originalmente da realizada no Astrup Fearnley Museet, em Oslo. A exposição reúne 35 trabalhos, com pinturas que chegam a medir 3 por 10 metros. O conjunto, apresentado como uma constelação de fragmentos do universo Murakami, evidencia uma produção consagrada, entre tantas qualidades, pela excelência no campo pictórico.

 

Um grande fã de anime, Murakami entrou na Universidade Nacional de Belas Artes e Música de Tóquio (agora Universidade das Artes de Tóquio) (1982 – 1993) para estudar Nihon-ga, um estilo de pintura japonesa tradicional. Daí a sua obra até hoje revelar habilidades técnicas excepcionais. Depois da formação, o artista desenvolve uma produção que transita entre o Japão e o Ocidente. Como autor do Superflat – termo que sintetiza toda a sua produção ao mesmo tempo que descreve a cultura e a sociedade japonesa do pós-guerra –, o movimento funde arte tradicional de seu país e cultura pop contemporânea.

 

Contudo esta exposição destaca a presença eminentemente japonesa em sua produção. “Essa fusão [Oriente e Ocidente] é claramente presente na arte de Murakami, mas esta exposição enfatiza sua identidade profundamente japonesa, que foi ofuscada por sua associação com grandes artistas do mundo da arte ocidental, como [Andy] Warhol, [Jeff] Koons e [Damien] Hirst, não apenas pela ênfase no aspecto comercial, mas também por causa de sua linguagem artística”, explica o curador, Kvaran.

 

Murakami tornou-se um fenômeno no cenário internacional pela forma singular que entende o universo da arte, uma noção que abrange não apenas a sua criação preocupada com a sociedade e história, mas também a coleção, ao ter se tornado um apurado colecionador, e a comercialização, ao introduzir outros artistas em sua galeria em Tóquio. As obras da exposição revelam o resultado de um prolongado processo de criação, do desenvolvimento conceitual até a pesquisa formal e implementação laboriosa de suas obras, com incontáveis camadas de tinta. Em seu estúdio conta com a competência e capacidade de muitos outros artistas, onde trabalham cerca de 100 pessoas - um galpão nos arredores de Tóquio, endereço considerado pelo circuito um dos ateliês mais inovadores do mundo.

 

O fenômeno Murakami será explorado na mostra por meio de obras de quatro de seus conjuntos mais extraordinários: aquele que traz a figura de Mr. DOB, as recentes pinturas concentradas no Zen-budismo, a apropriação e interpretação dos trabalhos de Francis Bacon e sua noção de autorretrato, além de uma seleção de vídeos. “Murakami certamente desfrutou de mais reconhecimento fora do Japão do que dentro, e cultivou uma relação abertamente combativa com o mundo da arte japonesa, mas seu envolvimento com pinturas Nihon-ga, mangá e anime, a cultura otaku e o Zen Budismo ancora firmemente seu trabalho com as tradições japonesas”, enfatiza Kvaran.

 

Sobre as obras

 

Na década de 1990 Murakami inventou a personagem de Mr. DOB (derivada da gíria japonesa “dobojite”- por quê?), com o qual faz crítica à sociedade de consumo, sem vida e vazia. No início, DOB era uma figura que evocava o robô com forma de gato do mangá Doraemon ou Mickey Mouse, evidenciado em But, Ru, RuRuRu... (1994). Porém, ao ser revisitado pelo artista, o personagem evoluiu para muitos perfis diferentes: DOB Genesis: Reboot (1993-2017) e Tan Tan Bo (2001), inspirado no personagem monstro do folclore japonês (y?kai) que cospe saliva paralisante em suas vítimas.

 

As obras de Murakami estão intimamente conectadas à subcultura japonesa. Obras como Superflat DOB: DNA (2015) e 772772 (2015) estão ligadas à cultura japonesa de caracteres, e estatuetas como Miss Ko2 (1996) e My Lonesome Cowboy (1998) dão forma às fantasias otaku de sexualidade e erotismo, centradas em anime, mangá e videogames. “Desde os primeiros esboços de DOB desenhados a mão, até uma multidão de desenhos computadorizados e as obras finalizadas em tela, vemos a metamorfose e expansão de uma figura influenciada tanto pelo interesse de Murakami pela biologia, botânica e pelo mundo dos insetos quanto por sua fascinação pelo mangá”, explica o curador.

 

Segundo Kvaran ainda, há uma clara correlação entre as formas orgânicas e fundidas e as histórias que contam, geralmente relacionadas com o perigo ambiental ou mesmo as ameaças ou desastres nucleares. “Em seu olhar violento que proclama uma hostilidade crua em relação a tudo no mundo, nota-se uma tensão alarmante, como se a saturação da energia acumulada internamente tivesse causado uma distorção nas dimensões da superfície”, afirma o curador. Com o passar dos anos, surgiu um planeta de DOB, geralmente associado com outras populações híbridas criadas pelo artista, executadas em telas de grande formato e contando histórias muito complexas, com diferentes camadas de narrativas e estruturas pictóricas.

 

Em 2007, Murakami faz os retratos de Daruma (o sacerdote indiano que fundou Zen Budismo chinês) e pinturas parte inspiradas em mestres como Hakuin Ekaku (muito influente no Zen Budismo 1686-1769), e Soga Sh?haku (pintor do período Edo, 1730-1781), homeangedo com a tela Transcendent Attacking a Whirlwind (2017), a maior da exposição (3 x 10m), cuja pintura é iluminada por folhas de ouro e prata. São trabalhos que demonstram uma reorientação do artista para a pintura tradicional presente também em Amit?bha Buddha descends, Looking over his shoulder (2016), Shennong: Inspiration (2016) e Ens?: Zazen (2015).

 

O artista faz uso crescente de motivos tradicionais, símbolos e imagens incluindo demônios, monstros, feras mitológicas como dragões e fênix, bem como cabras e tigres, tal como em Lion Occupying the Throne in My Heart (2018). São esses elementos que aparecem com recorrência ainda na sérei de Arhats, termo sânscrito para designar um ser de elevada estatura espiritual. Obras como Isle of the Dead (2014) e Arhats: The Four Heavenly Kings (2016) são inspiradas nos 500 Rakan ou Arhats, de Kan? Kazunobu, uma série de 100 pergaminhos budistas. Murakami ficou interessado nestes motivos em relação ao tsunami de Tohoku seguido de terremoto e vazamento nuclear em março de 2011.

 

Apropriando-se da obra de Francis Bacon, Murakami concebe desde 2002 uma série de pinturas, como o tríptico Homage to Francis Bacon (2018). São densas composições com recorrentes características de sua iconografia – olhos, cogumelos e personagens — acentuados por múltiplas camadas de cores sobre folha de platina. A metamorfose dos rostos retoma as transformações de Mr. DOB, traço extravagante, as vezes carinhoso, às vezes monstruoso, com que Murakami tematiza as muitas variações em sua obra. Já em sua série de autorretratos foram selecionadas para a exposição a escultura de tamanho natural feita de silicone e com dispositivos robóticos, animatronics (sem título, 2016) e duas em que utiliza folhas de ouro e aparece ao lado do cão Pom: Pom & Me (2009-2010) e Naked Self-Portrait with POM (2013).

 

As figuras dos quadros de Murakami acabaram transformadas em vídeos e animações e até em um longa-mentragem. Para esta exposição, Murakami fez a curadoria e editou, em uma sessão, uma seleção de nove destes vídeo-filmes.


PROGRAMAÇÃO


O Instituto Tomie Ohtake oferece uma série de atividades gratuitas ligadas à exposição, voltadas a todos os públicos.


Visitas mediadas para grupos agendados*

Quartas, quintas e sextas-feiras | 10h às 12h e das 14h às 16h

Inscrições mediante agendamento pelo telefone 11 2245 1937

*Para grupos de 10 a 40 participantes

Visitas em Libras

Terças e quintas-feiras | 10h e 15h

Inscrições mediante agendamento pelo e-mail participacao@institutotomieohtake.org.br

No colo - propostas artísticas para bebês

10 de dezembro | terça-feira, 11h
Inscrições a partir de 05 de dezembro

17 de janeiro | sexta-feira, 11h

2 de fevereiro | domingo, 11h

Apresentação "Jardim Oriental dos Primeiros Desejos"

12 e 14 de dezembro, às 19h30
Ensaio Aberto 11 de dezembro, às 20h30
Classificação Indicativa: 16 anos


Ateliê aberto de técnicas de reprodução de imagem: serigrafia e estêncil

29 de janeiro e 5 de fevereiro | quartas-feiras, 16h

30 de janeiro e 6 de fevereiro | quintas-feiras, 10h

1 e 8 de fevereiro | sábados, 15h

Ativação da publicação educativa

5 de março | quinta-feira, 18h

Encontro com professores

6 de março | sexta-feira, 18h


INGRESSOS


R$12 inteira e R$6 meia-entrada | terças gratuitas

- meia-entrada para estudantes, idosos com idade superior a 60 anos e professores da rede pública mediante apresentação de documento;

- pessoas com deficiência, maiores de 85 anos e crianças até 10 anos têm entrada gratuita todos os dias da exposição, com um acompanhante.

- às terças-feiras a entrada é gratuita mediante retirada de senha na bilheteria do Instituto Tomie Ohtake.

- Amigos do Instituto e acompanhante têm direito à entrada gratuita mediante apresentação de carteirinha virtual ou física na bilheteria. Sócios de programas parceiros também têm entrada gratuita com as mesmas condições de apresetação de carteirinha.


Os ingressos podem ser adquiridos online no site www.sympla.com.br a partir do dia 1 de novembro.

A venda será realizada em 3 lotes:
1° lote – 01 novembro 2019 – liberado vendas do dia 04 dezembro 2019 a 31 dezembro 2019
2° lote – 15 dezembro 2019 – liberado vendas do dia 1 janeiro a 31 janeiro 2020
3º lote – 15 janeiro 2020 - liberado vendas do dia 1 fevereiro a 15 março 2020


Ingressos disponíveis na bilheteria do Instituto Tomie Ohtake a partir de 4 de dezembro, das 10 às 19 horas.

 

Sessões

Ao comprar o ingresso, visitantes devem escolher o período de visitação desejado. Dentro de cada período, a entrada dos visitantes na exposição será organizada por ordem de chegada:

Das 11h às 13h (entrada até às 13h)
Das 13h às 15h (entrada até às 15h)
Das 15h às 17h (entrada até às 17h)
Das 17h às 20h (entrada até às 19h)

Contato
+ 55 11 2245 1900

* Os horários podem variar em função de férias e feriados. Recomendamos ligar antes para verificar.
Compartilhe
Comente
Mais Opções em "São Paulo"
ARQUIVO PETER SCHEIER - As muitas fases de Peter Scheier
Saiba mais
"Japão em Sonhos" - Japan House recebe exposição imersiva pela arte japonesa
Saiba mais
Arte Infinita - Nascida em uma família de colecionadores, cuja mãe manteve durante 25 anos uma galeria dedicada a incentivar a escultura, Viviane Teperman inaugurou em 2001 a Arte Infinita Galeria.
Saiba mais
Casa Amarela Leilões de Arte - Casa Amarela Leilões de Arte" atuando no mercado de arte de São Paulo desde 1989 e no Distrito Federal desde 1994, especializada em leilões de arte e residenciais.
Saiba mais
Construção - Artista ergue instalação com 180 mil hashis na Japan House, em SP.
Saiba mais
DemocrArt -
Saiba mais
Egito Antigo: do cotidiano à eternidade - São Paulo receberá exposição gratuita sobre Antigo Egito
Saiba mais
ESCULTURAS NO PARQUE DA LUZ- O Parque da Luz, também conhecido como Jardim da Luz, conta com área de aproximadamente 113 mil m² . Foi criado como horto botânico por uma Ordem Régia da Coroa Portuguesa em 19 de novembro de 1798 foi aberto ao público em 1825 como Jardim Botânico já no
Saiba mais
Galeria Cia Paulista -
Saiba mais
Galeria Leme - Desde a sua abertura em novembro de 2004, a Galeria Leme apresenta um programa inovador na cena da arte Brasileira, representando artistas brasileiros e internacionais, frequentemente convidados a criar e produzir novos e ambiciosos projetos no prédio de
Saiba mais
Galeria Luisa Strina - A história da Galeria Luisa Strina, a mais antiga galeria de arte contemporânea de São Paulo, se mistura com a trajetória profissional de Luisa Strina.
Saiba mais
Galeria Millan - Quando de sua fundação, em 1986, a Galeria Millan buscava apresentar relações entre a produção dos artistas contemporâneos que representava e os artistas modernos que influenciaram sua formação.
Saiba mais
Galeria Vermelho - Após treze anos de existência, a Vermelho estabeleceu-se como uma alternativa à rigidez dos espaços comerciais dedicados à arte, ao incentivar novas ideias e discursos desenvolvidos por artistas emergentes e já estabelecidos.
Saiba mais
Limiares - Governo do Estado presenteia São Paulo com novo espaço dedicado à arte contemporânea.
Saiba mais
Luciana Brito Galeria - Quinze anos depois de inovar a cena artística paulistana com seu espaço na Vila Olímpia – um dos primeiros a ser projetado por um escritório de arquitetura já tendo em vista as necessidades de uma galeria de arte contemporânea –, a Luciana Brito Galeria s
Saiba mais
OSGEMEOS: Segredos - Pinacoteca recebe exposição d’OSGEMEOS.
Saiba mais
Pasteur, O Cientista - Exposição interativa em SP celebra a vida de Louis Pasteur
Saiba mais
SURSUM CORDA - No dia 23 de novembro de 2019, a Capela do Morumbi, unidade vinculada ao Museu da Cidade de São Paulo e à Secretaria Municipal de Cultura, abre a instalação “Sursum corda”, de Carlos Eduardo Uchôa.
Saiba mais
Von Brusky Escritório de Arte -
Saiba mais
“Devaneios – Os Mundos de JeeYoung Lee” - “Devaneios – Os Mundos de JeeYoung Lee” segue até maio, no Farol Santander, na região central
Saiba mais