Carregando... aguarde
Morre o crítico e curador Guy Brett, importante entusiasta da arte brasileira - Guia das Artes
Morre o crítico e curador Guy Brett, importante entusiasta da arte brasileira
Morre o crítico e curador Guy Brett, importante entusiasta da arte brasileira
Muito conhecido pelo seu trabalho de internacionalização da arte brasileira, ele foi diagnosticado há alguns anos com a doença de Parkinson e tinha 78 anos de idade
inserido em 2021-02-10 17:39:41
Conteúdo

 

Muito conhecido pelo seu trabalho de internacionalização da arte brasileira, ele foi diagnosticado há alguns anos com a doença de Parkinson e tinha 78 anos de idade

“Sempre estive interessado no potencial de alguns artistas brasileiros como desafio à arrogância e à cegueira da minha própria cultura e sociedade – suas limitações”. Esta declaração do crítico e curador britânico Guy Brett está publicada em entrevista a Marcio Doctors na saudosa Galeria: revista de arte, em de 1989.

Falecido na última terça-feira, 2 de fevereiro, Brett mergulhou no cenário da arte brasileira na década de 60, tendo sido responsável por fomentar a expansão de nomes como Lygia Pape, Hélio Oiticica e Mira Schendel no exterior. Diagnosticado há alguns anos com a doença de Parkinson, tinha 78 anos de idade. A morte foi confirmada por sua filha a pessoas próximas, que prestaram homenagens a ele em suas redes sociais.

O entusiasmo de Brett em relação à latino-americana, especialmente à arte brasileira, foi crucial para que nosso cenário fosse conhecido no exterior. Ele capitaneou uma série de publicações, exposições e vários materiais que ajudaram na internacionalização de artistas brasileiros. Também foi cofundador da importantíssima galeria Signals, em Londres, e promoveu o grupo Artists for Democracy. Sua curiosidade e sua disposição para ir além da caixinha ocidental eurocêntrica também estimulou o conhecimento sobre artistas de outros locais que eram colocados à margem do mercado, das instituições e da academia, como sobre a palestina Mona Hatoum e o filipino David Medalla, falecido no último dezembro.

O trabalho produzido por ele nessas seis décadas fez com que ele se tornasse referência extrema no assunto, se tornando também alguém muito admirado e querido por aqueles que o conheceram. Nas manifestações de condolências nas redes sociais, é possível perceber um sentimento geral de gratidão a ele de pessoas de diferentes áreas e lugares do mundo.


Em seu Facebook, o crítico, professor de história da arte e pesquisador Paulo Sérgio Duarte lamentou a partida de Brett. Para ele, o britânico foi “o responsável por emancipar a arte contemporânea brasileira, tratando-a de igual para igual com a arte produzida acima do equador”. O Instituto de Arte Contemporânea (IAC) disse que Guy foi “grande amigo e parceiro, o maior divulgador da arte e dos artistas brasileiros no exterior” e compartilhou uma carta que ele endereçou à presidente da instituição, Raquel Arnaud.

Professora da UFRJ, a artista Katia Maciel postou uma mensagem onde descreve a sensação de estar no mesmo ambiente que ele: “A presença de Guy Brett gerava uma atmosfera, era preciso parar para ouvir, era preciso parar para ser ouvido. Uma certa intensidade pairava no ar, o humor do sorriso breve emendava a conversa. A precisão no ritmo de uma fala que parecia estar escrita. Para ele cada artista era um universo que não cabia em fronteiras particulares”. Para o curador, professor e crítico de arte Tadeu Chiarelli, Brett foi “inglês que fez mais pela arte do Brasil do que muito brasileiro por aí”.

A curadora Julieta González, que hoje é diretora artística do Museo Jumex (Cidade do México) e colabora em diversas exposições e publicações do MASP, escreveu em seu Instagram sobre como foi o seu contato com Brett, primeiro em um catálogo de exposição, depois em livro e, então, pessoalmente. “Obrigado por me dar uma direção e tantas idéias brilhantes Guy Brett. Foi um privilégio conhecê-lo”, finalizou. A historiadora da arte e diretora artística do MACBA (Barcelona), Tanya Barson também relembrou suas experiências com ele e o descreveu como um “modelo impecável” a ser seguido.

Por sua vez, Paula Terra-Neale, curadora  à frente do Terra-Arte, publicou no Instagram do projeto: “Sinto-me como todos os outros, entristecida, mas privilegiada pela oportunidade que tivemos de ter compartilhado companhia, arte, obras, inaugurações, exposições, ideias e sonhos com esse cara incrível, em letras maiúsculas”. Ela finaliza: “Um crítico com alma de artista”.

 

Fonte:https://www.artequeacontece.com.br/morre-o-critico-e-curador-guy-brett-importante-entusiasta-da-arte-brasileira/

Compartilhe
Comente
Últimos eventos
Qua
27/Jul
Bruno Almeida Maia , em entrevista para o GuiaDasArtes - Bruno Almeida Maia , ministrante do curso Constelações Visionárias , a relação entre moda , arte e filosofia nos concedeu a ótima entrevista que se segue :
Saiba mais
Dom
31/Jul
Circuito de arte contemporânea do museu do açude ganha obras permanentes- CIRCUITO DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO MUSEU DO AÇUDE GANHA OBRAS PERMANENTES DE WALTERCIO CALDAS, ANGELO VENOSA E JOSÉ RESENDE
Saiba mais
Sáb
12/Dez
MAM recebe exposição com obras de Hélio Oiticica - Mostra conta com cem obras relacionadas ao ritmo, música e dança
Saiba mais
Sex
18/Dez
Obra de Beatriz Milhazes é exposta no Itaú Cultural e no Masp - Simultaneamente nos dois espaços, a exposição ocorre até 30 de maio de 2021. A visitação deve ser agendada nos sites de ambas as instituições
Saiba mais
Qui
21/Jan
CATARSIS - Abertura: dia 21 de janeiro, quinta-feira, às 18h
Saiba mais
Seg
25/Jan
Ana Maria Braga e João Carlos Martins apresentam mostra em SP -
Saiba mais
Seg
25/Jan
ArTeMs - Exposição coletiva - Em cartaz até 23 de março de 2021 em São Paulo
Saiba mais
Qua
27/Jan
Encontros Culturais do Ecomuseude Santa Cruz (virtual) - Encontros Culturais do Ecomuseu de Santa Cruz
Saiba mais
Qua
27/Jan
Véxoa: nós sabemos (ou o que não sabemos) - Mostra na Pinacoteca é uma reescrita das artes e deve ser vista para além do marco de primeira dedicada às produções indígenas
Saiba mais
Dom
31/Jan
Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro– Espaço Vivo - Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro– Espaço Vivo
Saiba mais