Carregando... aguarde
Tarkovski - Eterno Retorno-2017-01-20 - Guia das Artes
Tarkovski - Eterno Retorno
Faltam 17187 dias para o início
Tarkovski - Eterno Retorno
Quando acontece
Sexta, 20 Janeiro até Quinta, 09 Fevereiro
dom
15:00
18:00
seg
15:00
18:00
ter
15:00
18:00
qua
15:00
18:00
qui
15:00
18:00
sex
15:00
18:00
sab
15:00
18:00
Local
Cine Humberto Mauro
avenida Afonso Pena, 1.537, centro
Conteúdo

Em seus 30 anos de carreira, o russo Andrei Tarkovski foi premiado em Cannes, Veneza e construiu uma das filmografias mais influentes do século XX. Ainda assim, seu cinema nunca teve o alcance popular de um Kubrick ou um Buñuel – porque a maioria das pessoas tem medo daquilo que se tornou o principal traço definidor de sua obra: o tempo.

Para os preguiçosos do senso comum, ele é “lento”. Agora, para quem se debruça um pouco mais, como a professora Maria do Céu Diel, da Escola de Belas Artes da UFMG, ele simplesmente não é o tempo do deslocamento do ator na tela, e sim do nosso pensamento. “Não é um tempo linear. Não é o tempo do cinema norte-americano, da ação. É um tempo inteiro para que possamos entender e compartilhar o que o personagem está sentindo”, explica.

É esse mergulho que faz do cinema de Tarkovski uma experiência espiritual e metafísica. Um termo que foi diluído por todo aluno de cinema que viu um filme do russo na faculdade e achou que podia fazer igual, ligando uma câmera enquanto nada acontecia.

E para quem quer ver isso feito do jeito certo, a mostra “Tarkovski – O Eterno Retorno”, que começa nesta sexta-feira (20) no Cine Humberto Mauro, é imperdível. Até o dia 9 de fevereiro, a programação oferece a primeira retrospectiva completa do cineasta soviético no Brasil, exibindo seus 11 filmes – três curtas e oito longas – em cópias de 35 mm e DCP inéditas no país.

Para isso, a produção trouxe filmes da Rússia, da Itália, da Suécia e da França. “Foi uma produção bem complicada, mas valeu a pena: esses três primeiros curtas as pessoas não vão ver em lugar nenhum. E ‘Solaris’, ‘Stalker’, ‘Espelho’ e ‘A Infância de Ivan’ terão exibição em 35 mm e DCP”, ressalta o curador Philippe Ratton.

Além disso, o grande destaque da retrospectiva é a presença de uma série de convidados, entre acadêmicos e profissionais que trabalharam com Tarkovski, que ajudarão o público a decodificar o cinema do diretor. Na lista, estão nomes como o montador Michal Leszczylowski, o assistente de direção Evgeny Tsymbal, a cineasta Donatella Baglivo, além de Dmitry Salynski, maior especialista no cineasta no mundo todo, que ministrará um curso já esgotado (veja arte).

Para Maria do Céu Diel, que debaterá o documentário “Tempo de Viagem”, trata-se de uma chance única de derrubar o lugar-comum de que “Tarkovski é cult, difícil. Algumas pessoas têm medo dele, eu tenho medo de ‘Transformers’, aquela coisa horrível. Não preciso de alienígenas para saber que a gente não respondeu à maioria das perguntas aqui na Terra sobre por que estamos vivos, o que é memória, o que é amor, que é o que o Tarkovski queria entender”, defende.

O que torna a exploração que o cineasta faz dessas questões tão única, segundo ela, é que o russo pensava e tratava a arte como um “fenômeno total”. “Ele usa da pintura, da música, da gravura, da arquitetura, contempla todas as artes. E o Tarkovski não só filmava, como desenhava e escrevia lindamente. Esse tipo de pensamento alimenta as imagens dele”, analisa a professora.

O resultado é um cinema fortemente carregado de símbolos. “A água tem a simbologia do berço, origem da humanidade, mas também de força destrutiva. Quando ele mostra a terra, é sempre sintoma de pertencer a algum lugar. O ar é tingido, nebuloso, nunca claro. São elementos plásticos e simbólicos que ele manipula, recorrendo à natureza”, explica Maria.

E, para imergir nesse universo e captar esses sentidos, a sala escura – e a chance de ver esses filmes na tela grande – é fundamental. “São filmes feitos para serem vistos na sala de cinema. Em casa, onde for, é muito difícil entrar no tempo daquela experiência. Para ter essa reflexão e contemplação da poesia, é necessário um tempo para o espectador refletir sobre aquilo”, argumenta Ratton.

Quem quiser se aprofundar ainda mais nessa leitura pode procurar também o catálogo produzido pela mostra, com textos de todos os convidados e reproduções de polaroides do próprio Tarkovski. Ou se aventurar pelos outros filmes da mostra, de cineastas influenciadores (Ingmar Bergman) e influenciados (Terrence Malick, Chris Marker) pelo russo. “O cinema é uma experiência coletiva, porém individual, que tenta acessar nossas memórias por meio das imagens. A obra de Tarkovski oferece essa busca envolvendo nossa alma”, sintetiza Maria do Céu Diel.

Preços e pagamento
Entrada gratuita
Contato
Telefone: (31) 3236-7400
* Os horários podem variar em função de férias e feriados. Recomendamos ligar antes para verificar.
Fotos
Compartilhe
Comente
Mais Opções em "Minas Gerais"
0,0Km - Palácio das Artes – Fundação Clóvis Salgado - É uma instituição localizada em Belo Horizonte.
Saiba mais
0,1Km - Museu da Memória do Judiciário Mineiro- Representa um convite a conhecer parte da história da justiça mineira através de documentos, objetos e imagens, verdadeiros registros das transformações do fazer jurídico ao longo dos anos.
Saiba mais
0,3Km - Museu Inimá de Paula - Inaugurado em 29 de abril de 2008, o Museu é uma homenagem ao artista plástico Inimá José de Paula.
Saiba mais
0,4Km - Museu Mineiro - Com riquíssimo acervo de Arte Sacra Colonial, documenta de forma material e simbólica, momentos distintos da formação da cultura do Estado.
Saiba mais
0,6Km - Centro de Memória da Escola de Enfermagem - UFMG - O acervo histórico do Centro de Memória é constituído por documentos, fotos e recortes de jornais, fontes para pesquisadores interessados na recuperação da memória da instituição.
Saiba mais
0,6Km - Centro de Memória da Medicina de MG - UFMG - Formada em 1911, pouco depois da criação de Belo Horizonte, a Faculdade de Medicina da UFMG carrega uma história rica, com personagens notáveis.
Saiba mais
0,6Km - Museu dos Militares Mineiros - dedica-se à memória de duas das mais tradicionais corporações do Estado,
Saiba mais
0,6Km - DOTART -
Saiba mais
0,6Km - Museu da Imagem e do Som de Belo Horizonte - É um museu localizado em Belo Horizonte.
Saiba mais
0,8Km - Teatro Francisco Nunes - O teatro inaugurado em 1950 fica dentro do parque mais conhecido da cidade, o Municipal.
Saiba mais
269,9Km - Bruno Almeida Maia , em entrevista para o GuiaDasArtes - Bruno Almeida Maia , ministrante do curso Constelações Visionárias , a relação entre moda , arte e filosofia nos concedeu a ótima entrevista que se segue :
Saiba mais
344,6Km - Circuito de arte contemporânea do museu do açude ganha obras permanentes- CIRCUITO DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO MUSEU DO AÇUDE GANHA OBRAS PERMANENTES DE WALTERCIO CALDAS, ANGELO VENOSA E JOSÉ RESENDE
Saiba mais