Carregando... aguarde
Museu Cartográfico do Serviço Geográfico do Exército - Guia das Artes
Museu Cartográfico do Serviço Geográfico do Exército
abrirá em 2 horas e 17 minutos
Museus
Museu Cartográfico do Serviço Geográfico do Exército
Horários de funcionamento
dom
seg
08:00
16:00
ter
08:00
16:00
qua
08:00
16:00
qui
08:00
16:00
sex
08:00
12:00
sab
Local
Rua Major Daemon, 81. Morro da Conceição
Conteúdo
O Museu Cartográfico do Serviço Geográfico do Exército tem como missão preservar a história da evolução da cartografia no Brasil.Localizado em um dos berços da cidade do Rio de Janeiro, o Morro da Conceição, o museu está sediado no antigo Palácio Episcopal da cidade, integrando o complexo de edificações sob a guarda do Exército do qual fazem parte a Fortaleza da Conceição e a Casa das Armas.Monumento Histórico e testemunho da estratégiade defesa e de ocupação militar utilizada em todas as colônias portuguesas.O acervo do Museu Cartográfico O museu apresenta parte importante da história da cartografia brasileira por meio de um acervo que reúne documentos como mapas e objetos como bússolas, lunetas, teodolitos, compassos, etc.Espaço Físico: prédio, território e entornoO museu ocupa o segundo andar do antigo Palácio Episcopal, prédio histórico que hoje faz parte do conjunto arquitetônico da Fortaleza da Conceição, localizado no morro do mesmo nome, um dos berços da cidade do Rio de Janeiro. O Palácio Episcopal, também conhecido como Palácio da Conceição, localiza-se no bairro da Saúde, vizinho à Fortaleza da Conceição. A história do prédio remonta ao ano de 1634 quando é construída a Ermida da Nossa Senhora da Conceição por Miguel Carvalho de Souza, devoto da Santa. Com sua morte, sua viúva, D. Maria Dantas, fez a doação da Igreja e da Chácara à Ordem do Carmo, em 1655, estipulando que ali fosse construído um convento. Foram os capuchinhos franceses, no entanto, que construíram, em 1669, no local um pequeno hospício que também servia de abrigo e repouso dos missionários. Com sua expulsão do Brasil, em 1701, a propriedade passou ao Cabido da Câmara.Em 1702, o novo regente da Sé Episcopal, o Bispo D. Francisco de São Jerônimo, escolhe como moradia o antigo hospício que após as devidas reformas passou a ser chamado de Palácio Episcopal, tornando-se a segunda residência dos bispos da cidade do Rio de Janeiro.Em 1713 teve início a construção da Fortaleza da Conceição, nos fundos do terreno da Mitra. A Casa de Armas, estrategicamente construída, em 1765, em forma de capela de modo a camuflar seus propósitos de depósito das armas das tropas coloniais. Em suas masmorras estiveram presos famosos na época do Brasil colônia como o inconfidente mineiro, Tomáz Antonio Gonzaga.A partir de 1917, o Serviço Geográfico Militar, criado em 31 de maio de 1890, passa a ocupar, progressivamente, o complexo da Fortaleza da Conceição.Em 1923, o Ministério do exército, pensando na expansão da Fortaleza, adquiriu o Palácio Episcopal da Mitra, que estava vazio desde 1905, quando a residência oficial dos bispos do Rio de Janeiro passou a ser o Palácio São Joaquim, construído em 1918, no bairro da Glória. Os restos mortais dos prelados lá enterrados foram transferidos para a Igreja Matriz do Carmo.Com a regulamentação das atividades da Diretoria do Serviço Geográfico do Exército, em 1946, a mesma passou a ocupar as instalações do antigo Palácio Episcopal da Conceição, até ser transferida para o Quartel General do Exército, em Brasília, em 1972. Hoje, o prédio é a sede da 5ª Divisão de Levantamento General Alfredo Vidal - 5ª DL.O prédio do antigo Palácio Episcopal foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN, em 24-5-1938, e inscrito no Livro de Belas Artes, sob o nº 104, e Livro Histórico, sob o nº 060, sob a seguinte descrição:“Entre 1943 e 1949, foram realizadas obras de restauração e adequação do prédio às suas novas funções. O Palácio Episcopal, construção em pedra e cal, com partes em pau a pique, destaca-se na paisagem, sendo sua composição predominantemente horizontal. Desenvolve-se em dois pavimentos, possuindo cunhais e ombreiras em cantaria, vãos regulares, com vergas coroadas com molduras de massa. A fachada principal é bem marcada por esta horizontalidade e regularidade de vãos, com renque de janelas no térreo e balcões com guarda corpos em ferro no sobrado, bem ao gosto neoclássico. À frente da construção estende-se adro elevado em cantaria com guarda-corpo de ferro”.Instituição: trajetória e natureza jurídicaO Museu Cartográfico do Serviço Geográfico do Exército está vinculado a 5ª Divisão de Levantamento General Alfredo Vidal, Organização Militar subordinada à Diretoria de Serviço Geográfico, órgão pertencente à Secretaria de Tecnologia da Informação.O museu foi criado em 1977 após a instalação do Centro de Operações Cartográficas – COC, na 5ª. Divisão de Levantamento. Anteriormente o local era ocupado pela Diretoria de Serviços Geográficos (DSG), transferida para Brasília.A 5ª DL tem como missão a produção e o suprimento de documentos cartográficos na Região Sudeste do Brasil. Além disso, abriga o laboratório fotográfico, o parque de manutenção mecânico, eletrônico e óptico da DSG, suprindo as outras OMDS nessas áreas. Em função de seu passado de pioneirismo, a 5ª DL recebeu a denominação histórica de “Divisão de Levantamento General Alfredo Vidal”, como justa homenagem ao fundador do Serviço Geográfico do Exército (Portaria Ministerial nº 145, de 14 de março de 1995).AcervoNo acervo do Museu encontramos fotos, instrumentos utilizados para levantamentos cartográficos, objetos como bússolas, lunetas, teodolitos, e mapas de diferentes épocas.A reserva técnica do Museu fica em uma sala localizada no Palácio Episcopal.ReferênciasMINISTÉRIO DA CULTURA. Departamento de Identificação e Documentação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Departamento. Arquivo Noronha Santos. Disponível em: Acesso em: 28 dez 2012.
Informações adicionais
Agendar visita
Contato
Telefone: (21) 2223-2177
5dl@5dl.eb.mil.br
* Os horários podem variar em função de férias e feriados. Recomendamos ligar antes para verificar.
Compartilhe
Comente
Mais Opções em "Rio de Janeiro"
0,0Km - Centro Cultural do Movimento Escoteiro - CCME - "[...] preservar e contribuir para o desenvolvimento da memória e da cultura escoteira do Brasil."
Saiba mais
0,0Km - Complexo Cultural da Marinha - Ilha Fiscal - "Na ilha, o castelo aberto à visitação [...]"
Saiba mais
0,0Km - A Gentil Carioca - Fundado em setembro de 2003 pelos artistas plásticos Ernesto Neto, Franklin Cassaro, Laura Lima e Márcio Botner, esse espaço para a arte contemporânea representa e mantém em acervo obras dos artistas Thiago Rocha Pitta, João Modé, Jarbas Lopes, Paulo Nenf
Saiba mais
0,0Km - Complexo Cultural da Marinha - Espaço Cultural da Marinha - "A proposta é a de um embarque pela história do Brasil e da navegação."
Saiba mais
0,0Km - ALMACÉN GALERIA DE ARTE BARRA DA TIJUCA - Estabelecida no CasaShopping, na Barra da Tijuca, desde 1986, a galeria mantém em acervo obras de Tomie Ohtake, Cildo Meireles, Antonio Dias, Marco Coelho Benjamim, Fernando Velloso, Walter Goldfarb, Cruz-Diez, Jussara Age, Yuli Geszti, Silvio Baptista, H
Saiba mais
0,0Km - Complexo Cultural da Marinha - Museu Naval - Sede da DPHDM - "[...] preservar e divulgar o patrimônio histórico e cultural da Marinha."
Saiba mais
0,0Km - Museu Jorge Goulart e Nora Ney - NATUREZA ADMINISTRATIVA: Particular.ANO DE CRIAÇÃO: 2000. TIPOLOGIA DO ACERVO: História.
Saiba mais
0,0Km - CENTRO CULTURAL JUSTIÇA FEDERAL - O Centro Cultural Justiça Federal é uma espaço reconhecido por incentivar e garantir o acesso da população às diversas formas de expressão cultural, abrigando exposições, peças teatrais, espetáculos de dança e de música, mostras de cinema, cursos, seminár
Saiba mais
0,0Km - TNT - A galeria foi fundada em 2001, no Shopping Cassino Atlântico
Saiba mais
0,0Km - Centro Municipal de Cultura e Cidadania Calouste Gulbenkian - O Centro Calouste Gulbenkian foi criado em 11 de março de 1971, na Praça Onze, e recebe o nome de Calouste Gulbenkian em homenagem à instituição cultural portuguesa sediada em Lisboa - Fundação Calouste Gulbenkian.
Saiba mais
12,9Km - Circuito de arte contemporânea do museu do açude ganha obras permanentes- CIRCUITO DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO MUSEU DO AÇUDE GANHA OBRAS PERMANENTES DE WALTERCIO CALDAS, ANGELO VENOSA E JOSÉ RESENDE
Saiba mais
211,9Km - Bruno Almeida Maia , em entrevista para o GuiaDasArtes - Bruno Almeida Maia , ministrante do curso Constelações Visionárias , a relação entre moda , arte e filosofia nos concedeu a ótima entrevista que se segue :
Saiba mais
361,0Km - ESCULTURAS NO PARQUE DA LUZ- O Parque da Luz, também conhecido como Jardim da Luz, conta com área de aproximadamente 113 mil m² . Foi criado como horto botânico por uma Ordem Régia da Coroa Portuguesa em 19 de novembro de 1798 foi aberto ao público em 1825 como Jardim Botânico já no
Saiba mais