Carregando... aguarde
Francisco Brennand, ceramista e artista plástico, morre aos 92 anos no Recife - Guia das Artes
Francisco Brennand, ceramista e artista plástico, morre aos 92 anos no Recife
Francisco Brennand, ceramista e artista plástico, morre aos 92 anos no Recife
Artista estava internado no Real Hospital Português devido a uma infecção respiratória. Ele foi responsável pelos monumentos do Parque das Esculturas.
inserido em 2019-12-20 12:13:39
Conteúdo

 

O artista plástico e ceramista Francisco Brennand morreu, nesta quinta-feira (19), aos 92 anos, no Recife, após complicações de uma infecção respiratória.

Ele estava internado há dez dias no Real Hospital Português, na região central da capital pernambucana.
Conhecido por gigantescas esculturas, Brennand foi o responsável pelos monumentos de um dos principais pontos turísticos do Recife: o Parque das Esculturas. A principal obra no complexo é a Torre de Cristal, com 32 metros de altura e confeccionada em argila e bronze. Ela pode ser vista do Marco Zero.

O velório começou às 18h na Capela Imaculada Conceição, na Oficina Cerâmica Francisco Brennand, no bairro da Várzea, na Zona Oeste da capital, onde uma missa de corpo presente foi marcada para as 20h.

De acordo com informações repassadas pela família, Brennand será cremado às 11h de sexta-feira (20), no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, no Grande Recife, em cerimônia fechada para os familiares.
Repercussão
O governador Paulo Câmara (PSB) e o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), decretaram luto oficial de três dias pelo falecimento.

Em nota, o governador exaltou o legado do artista. "Francisco Brennand foi um artista notável, um homem à frente do seu tempo, como mostra o reconhecimento que obteve, ao longo da sua trajetória, no Brasil e no exterior. Ele pertence a uma geração de artistas que elevaram Pernambuco ao topo", disse.

Também em nota, o prefeito lamentou a morte. “O Recife perde um de seus mais talentosos artistas, reconhecido em todo o mundo pela qualidade de seu trabalho. Sua obra, espalhada por toda a cidade em esculturas e painéis, no Parque das Esculturas, no Recife Antigo, e na sua Oficina, no bairro da Várzea, fazem parte do patrimônio cultural e afetivo de toda a cidade. Uma perda irreparável, só reconfortada pela certeza que Brennand permanecerá entre nós nas boas memórias e pela sua obra", afirmou.

O presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), desembargador Adalberto de Oliveira Melo, disse que Francisco Brennand é responsável por obras que decoram alguns dos prédios do tribunal e chamou o artista de "um homem eterno, artista singular, reconhecido nacional e internacionalmente".

Ele disse que, para janeiro, o Centro de Estudos Judiciários tem previsto o lançamento de um livro sobre as peças de arte expostas no TJPE, com Francisco Brennand como um dos homenageados. Por fim, o desembargador afirmou que "fica a gratidão pela honra de termos sido contemporâneos de tão importante personalidade, com desejo de conforto a familiares, amigos e admiradores desse ser imortalizado pelas atitudes e pelas obras".

Perfil

O ceramista, pintor, escultor, ilustrador, gravador e desenhista Francisco de Paula Coimbra de Almeida Brennand nasceu no Recife em 11 de junho de 1927, filho de Ricardo Monteiro Brennand e Olímpia Padilha Nunes Coimbra.

Depois de seguir para o Rio de Janeiro em 1937, Brennand retornou a capital pernambucana em 1939, concluindo o curso ginasial em 1942. No mesmo ano, começou a trabalhar na Cerâmica São João, como aluno informal do escultor Abelardo da Hora, falecido em 2014.

Em 1943, para concluir o segundo ciclo colegial, foi estudar no Colégio Oswaldo Cruz, onde conheceu Déborah de Moura Vasconcelos, com quem se casaria cinco anos depois.
Com o talento revelado através de caricaturas de professores e colegas, Brennand foi convidado em 1945 pelo seu colega de classe Ariano Suassuna para ilustrar poemas publicados no Jornal Literário do colégio.

No fim da década de 1940, o artista ganhou seu primeiro prêmio, de pintura, do Salão de Arte do Museu do Estado de Pernambuco, com o quadro de uma paisagem que teve como inspiração o Engenho São João.

O meio ambiente e o futuro da raça humana no planeta foram algumas das preocupações que marcaram a vida e a arte dele, que sabia como dar formas aos sonhos.
Na pintura, Brennand recebeu as primeiras orientações do pintor e restaurador Álvaro Amorim, um dos fundadores da Escola de Belas Artes de Pernambuco. Também estudou pintura com Murilo LaGreca e, para sua primeira escultura, a cabeça da esposa, Deborah, foi a primeira inspiração.

Em novembro de 1971, o artista resolveu transformar as ruínas da Cerâmica São João da Várzea, fundada em 1917 pelo próprio pai. Nas ruínas, deu início a um projeto de esculturas de cerâmica que se multiplicaram nas áreas interna e externa do local. Francisco Brennand tinha admiração por Maria, a mãe de Jesus, tanto que construiu uma capela em homenagem a Nossa Senhora da Conceição.

No Porto do Recife, fica o Parque das Esculturas, construído em 2000. Um obelisco de 32 metros de altura se destaca na paisagem. É a "Torre de cristal", inspirada em uma flor descoberta pelo paisagista Roberto Burle Marx. Ao todo, são 90 peças em homenagem aos 500 anos do descobrimento do Brasil e formando um dos cartões-postais do Recife.
Pelo conjunto e singularidade de suas obras, Francisco Brennand ganhou o Prêmio Gabriela Mistral, concedido pela Organização dos Estados Americanos (OEA), um reconhecimento ao artista que transformou a vida simples do povo em um tesouro para a eternidade.

Em junho de 2017, ele recebeu a Medalha do Mérito Capibaribe, a maior comenda oferecida pela Prefeitura do Recife, pela sua contribuição para a cidade. No mesmo ano, foi homenageado com a Medalha do Mérito Guararapes - Grã Cruz, principal honraria do estado.

 

Fonte: https://g1.globo.com/pe/pernambuco/noticia/2019/12/19/ceramista-francisco-brennand-morre-no-recife.ghtml

Fotos
Compartilhe
Comente
Últimos eventos
Qua
01/Jan
ESCULTURAS NO PARQUE DA LUZ- O Parque da Luz, também conhecido como Jardim da Luz, conta com área de aproximadamente 113 mil m² . Foi criado como horto botânico por uma Ordem Régia da Coroa Portuguesa em 19 de novembro de 1798 foi aberto ao público em 1825 como Jardim Botânico já no
Saiba mais
Qua
27/Jul
Bruno Almeida Maia , em entrevista para o GuiaDasArtes - Bruno Almeida Maia , ministrante do curso Constelações Visionárias , a relação entre moda , arte e filosofia nos concedeu a ótima entrevista que se segue :
Saiba mais
Dom
31/Jul
Circuito de arte contemporânea do museu do açude ganha obras permanentes- CIRCUITO DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO MUSEU DO AÇUDE GANHA OBRAS PERMANENTES DE WALTERCIO CALDAS, ANGELO VENOSA E JOSÉ RESENDE
Saiba mais
Sáb
17/Ago
Exposição: Sotaques Paulistanos da Bauhaus por Leonardo Finotti - A MOSTRA DESENVOLVIDA PELO FOTÓGRAFO LEONARDO FINOTTI ESTIMULA NOVOS OLHARES AO VOCABULÁRIO FORMAL DA BAUHAUS E DESTACA A PRODUÇÃO DA ARQUITETURA BRASILEIRA
Saiba mais
Dom
18/Ago
Exposição Scorzelli Megabichos - Museu reúne instalações e obras inéditas de Marcos Scorzelli
Saiba mais
Seg
14/Out
MUSEU DA CHÁCARA DO CÉU APRESENTA EXPOSIÇÃO “MUNDO”, CRIADA ESPECIALMENTE PARA O PÚBLICO INFANTO-JUVENIL - Crianças passarão por uma passagem secreta e terão acesso pela primeira vez a objetos de viagem de Castro Maya.
Saiba mais
Sáb
26/Out
Mostra ‘Sob Ataque’ volta à revolução de 1924 para abordar as bombas reais e simbólicas que contam a história do bairro dos Campos Elíseos - Exposição, idealizada pelo Coletivo Garapa, abre-se ao público dia 26 de outubro e segue em cartaz até 15 de março na Casa da Imagem.
Saiba mais
Qui
07/Nov
EXPOSIÇÃO “SAPATOS QUE PISAM CAMINHOS DIFERENTES” - O Museu Municipal recebe a última exposição do ano. “Sapatos que pisam caminhos diferentes”, que reúne peças deste segmento que datam do início do século XX.
Saiba mais
Qua
13/Nov
Centro Cultural Banco do Brasil recebe retrospectiva da artista japonesa, Chiharu Shiota - Exposição tem trabalhos de Chiharu Shiota do início de sua carreira, em 1994, até instalações inéditas inspiradas no Brasil.
Saiba mais
Dom
24/Nov
SURSUM CORDA - No dia 23 de novembro de 2019, a Capela do Morumbi, unidade vinculada ao Museu da Cidade de São Paulo e à Secretaria Municipal de Cultura, abre a instalação “Sursum corda”, de Carlos Eduardo Uchôa.
Saiba mais