Carregando... aguarde
Museu Nacional - UFRJ - Guia das Artes
Museu Nacional - UFRJ
amanhã às 10:00h
Museus
Museu Nacional - UFRJ
Horários de funcionamento
dom
10:00
16:00
seg
ter
10:00
16:00
qua
10:00
16:00
qui
10:00
16:00
sex
10:00
16:00
sab
10:00
16:00
Local
Quinta da Boa Vista, s/n.- São Cristovão
Conteúdo
O Museu Nacional é a mais antiga instituição científica do Brasil voltada à pesquisa e à memória da produção do conhecimento, hoje, vinculada à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).Sua história remonta aos tempos da fundação do Museu Real por D. João VI, em 1818, cujo principal objetivo era propagar o conhecimento e o estudo das ciências naturais em terras brasileiras. Hoje, é reconhecido como um centro de excelência de pesquisa em história natural e antropológica na América Latina. Detém um acervo composto por mais de 20 milhões de itens distribuídos por coleções que servem de base para a pesquisa desenvolvida pelos Departamentos de Antropologia, Botânica, Entomologia, Geologia e Paleontologia, Vertebrados e Invertebrados.Depois de um longo período de apagamento histórico, promovido pela República, a memória da Monarquia Brasileira voltaà cena re-significando espaços, tempos, objetos e memórias. As coleções, a pesquisa científica e o ensino.Grande parte das coleções do Museu Nacional foi reunida durante a Regência e o Império, entre elas as oriundas do “Museu do Imperador” localizado em uma das salas do Paçoda Boa Vista. D. Pedro II, tal qual a Imperatriz Leopoldina, sua mãe, nutria grande interesse pelo colecionismo e pelo estudo das ciências naturais. Por meio de exposiçõespermanentes e temporárias, cerca de três mil objetoslevam ao público o resultado do conhecimento produzido pelos departamentos de pesquisa e pelos trabalhos de conservação e de restauração.Instituição voltada ao ensino, o Museu Nacional oferece cursos de pós-graduação stricto e lato sensu, aos quais se vinculam projetos, grupos de pesquisas e a Extensão Universitária.Espaço Físico: prédio, território e entornoO Museu Nacional ocupa um prédio histórico cuja feição neoclássica atual é o resultado dos sucessivos projetos de reformas, o último, sob a direção de Pedro José Pezerat, recebeu ampliações comandadas por Manoel de Araújo Porto Alegre e pinturas decorativas executadas Mário Bragaldi. Os jardins históricos são de autoria de Auguste François Marie Glaziou. Com a Proclamação da República e o banimento da Família Imperial do Brasil, os aposentos internos do palácio foram descaracterizados e a maior parte do mobiliário leiloado. Durante a gestão do presidente Nilo Peçanha, em 1909, os jardins foram restaurados e cercados, preservando-se as características que lhe foram dadas por Glaziou, como a Alameda das Sapucaias, o grande lago dos pedalinhos e o da gruta artificial. Em 1938, o prédio foi tombado pela antiga Secretaria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, atual Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN.Instituição: trajetória e natureza jurídicaO Museu Nacional é uma instituição pública Federal vinculada à Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ.A origem da instituição remonta à a fundação do Museu Real pelo decreto de 06/06/1818, assinado por D. João VI. O primeiro diretor foi o Frei franciscano José Batista da Costa Azevedo, professor de botânica e zoologia da Academia Real Militar.O Museu Real situava-se entre as antigas ruas Nova do Conde e dos Ciganos, atuais Visconde do Rio Branco e da Constituição. As coleções do Museu Real foram constituídas a partir do acervo da Casa dos Pássaros, antiga Casa de História Natural criada, em 1784, pelo Vice-Rei D. Luiz de Vasconcellos e Sousa; dacoleção do mineralogista alemão Abraham Gottlob Werner (1749-1817); dos diamantes do Distrito Diamantino enviados pelo intendente Ferreira da Camara à Academia Real Militar; de espécimes geológicos, mineralógicos e zoológicos coletados pelos naturalistas estrangeiros no Brasil como Langsdorff, Natterer eSaint-Hilaire; de peças etnográficas vindas das IlhasSandwich para o Imperador Pedro I, que as doou ao Museu; da coleção de objetos mineralógicos doadas peloPríncipe da Dinamarca; deprodutos mineralógicos e geognósticos do vulcão Vesúvio; da coleção ornitológicadoada pelo Museu de Berlim. OMuseu Real tinha o patrocínio da Imperatriz Leopoldina que estimulavaosestudos de história natural. Além das exposições e publicações sobre as expedições científicas realizadas pelas províncias, sediou conferências e aulas públicas sobre zoologia, antropologia, botânica e física.Por ocasião da Declaração de Independência do Brasil de Portugal, em 1822, passa a se chamar Museu Imperial e Nacional vinculando-se ao Ministério dos Negócios do Império.Com a República, em 1889, recebe o nome de Museu Nacional, vinculando-se ao Ministério da Instrução Pública, Correios e Telégrafos. Com o banimento da Família Imperial, foi transferido, em 1892, para o Palácio Imperial em São Cristóvão, tornando-se órgão do Ministério da Justiça e Negócios Interiores, criado no ano anterior. Com a mudança de sede, várias coleções foram perdidas. Em 1909, vinculou-se à Secretaria de Estado dos Negócios da Agricultura, Indústria e Comércio; em 1930 ao Ministério dos Negócios, da Educação e Saúde Pública; em 1937, à recém-criada Universidade do Brasil, transformada, em 1965, na Universidade Federal do Rio de Janeiro. AcervoAcervo museológico: O Museu Nacional é o museu do país que tem sob sua guarda o maior número de bens culturais. São 20.000.000 peças dedicadas aos estudos dos Departamentos de Antropologia, Botânica, Entomologia, Geologia e Paleontologia, Invertebrados e Vertebrados. Este número, no entanto, está sujeito a expansão em razão dos trabalhos de pesquisa e coleta de campo por todo país e no exterior. Apenas parte deste acervo, cerca de 3.000 objetos, encontra-se exposto.Acervo arquivístico: A Seção de Memória e Arquivo do Museu Nacional/UFRJ (SEMEAR) possui documentos que registram os primórdios do trabalho científico no Brasil e as alterações ocorridas no cenário internacional das ciências; que retratam o cotidiano da instituição nos contextos político, econômico e social brasileiro; suas relações com instituições congêneres, nacionais e estrangeiras. Custodia diversos arquivos privados pessoais, de cientistas e professores.O Centro de Documentação de Línguas Indígenas - CELIN é especializado na documentação de materiais linguísticos textuais e sonoros referentes às línguas indígenas e variedades do português do Brasil, com produção bibliográfica associada em linguística teórica e aplicada, literatura, etnologia e educação.Tem como objetivo a recuperação e disseminação das informações contidas na documentação arquivística; garantir sua integridade física e subsidiar o desenvolvimento de pesquisas sobre a história do Museu Nacional/UFRJ, do Palácio Imperial e, principalmente, sobre a institucionalização das ciências no Brasil. Acervo Bibliográfico: A Biblioteca do Museu Nacional volta-se ao apoio das atividades de ensino, pesquisa e extensão do Museu Nacional, além do desenvolvimento de serviços e produtos para difusão da informação. Integra o Sistema de Bibliotecas e Informação da Universidade Federal do Rio de Janeiro - SiBI, composto por 44 bibliotecas e três arquivos documentais.Especializado em ciências naturais e antropológicas, detém um acervo de 474.866 volumes, dentre livros, periódicos e outras publicações dos séculos passados.A reprodução dos acervos de In-Fólios e de Obras Raras, disponibilizada em meio digital, pode ser baixada através dapágina da Biblioteca Digital do Museu Nacional, UFRJ.ReferênciasBRASIL. Decreto de 06 de junho de 1818. Crêa um Museu nesta Côrte, e manda que elle seja estabelecido em um predio do Campo de Santa’Anna que mande comparar e incorporar aos proprios da Corôa. In: Collecção das Leis do Brazil de 1818. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional,1889. COARACY, Vivaldo. Memórias da cidade do Rio de Janeiro. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Ed. da USP, 1988. DANTAS, Regina Maria Macedo Costa. A Casa do Imperador: Do Paço de São Cristóvão ao Museu Nacional.2007. Dissertação (Mestrado) Programa de Pós-Graduação em Memória Social, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2007.SANTOS, Francisco Marques dos. O leilão do Paço de São Cristóvão. Petrópolis, Anuário do Museu Imperial, 1940, vol. 1.DOCUMENTOS ELETRÔNICOS: DANTAS, Regina. Só para os íntimos. A história do incrível museu particular que D. Pedro II exibia para convidados seletos em seu próprio palácio. Revista de Historia da Biblioteca Nacional,Rio de Janeiro, jun. 2008. Disponível em: Acesso em: 30 out. 2011.MUSEU NACIONAL - UFRJ. Seção de Museologia. Os Diretores do Museu Nacional / UFRJ: 2011. Rio de Janeiro. Disponível em:Acesso em: 30 out. 2011.MUSEU REAL. In: DICIONÁRIO Histórico-Biográfico das Ciências da Saúde no Brasil (1832-1930). Rio de Janeiro. Fiocruz. Casa de Oswaldo Cruz. Disponível em: Acesso em: 30 out. 2011.FRANÇA, José Augusto. Pierre-Joseph Pézerat (1801-1872): O ÚLTIMO ARQUITETO NEOCLÁSSICO DE LISBOA. Parte I. Revista Vivercidades.jun. 2009 parte 1. Disponível em:< http://www.vivercidades.org.br/publique_222/web/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=1493&sid=21>Acesso em: 04 de novembro de 2011.ANPUH. Anais Eletrônicos. SILVA, Paulo Vinícius Aprígio; KUBRUSLY, Ricardo Silva. O ARCHIVOS DO MUSEU NACIONAL E A PROMOÇÃO DAS CIÊNCIAS NO BRASIL OITOCENTISTA. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH. São Paulo, julho 2011. Disponível em: Acesso: 30 out 2011.
Contato
Telefone: (21) 2254-4320 – (21) 2562-6042
museu@mn.ufrj.br
* Os horários podem variar em função de férias e feriados. Recomendamos ligar antes para verificar.
Compartilhe
Comente
Mais Opções em "Rio de Janeiro"
0,5Km - Museu Militar Conde de Linhares - MMCL - "[...] história da formação, consolidação e modernização do Exército Brasileiro."
Saiba mais
0,7Km - MUSEU DO PRIMEIRO REINADO - Desde 1979 é sede do Museu do Primeiro Reinado, com exposições de mobiliário de época, quadros de Taunay, Bertichem e outros artistas, além de objetos pessoais da marquesa.
Saiba mais
0,7Km - Casa da Marquesa: Museu da Moda Brasileira - Primeiro museu no país dedicado aos costumes e à moda
Saiba mais
1,0Km - Museu de Astronomia e Ciências Afins - MAST - "História da Ciência e Tecnologia no Brasil; Museologia e Patrimônio; Educação em Ciências em espaços Não formais."
Saiba mais
1,2Km - Centro Cultural Maçônico do Supremo Conselho do Brasil - "[...] marco no fortalecimento da identidade e dos valores maçons junto à sociedade contemporânea."
Saiba mais
1,5Km - Rembrandt – Arte & Molduras - É um atelier localizado no Rio de Janeiro.
Saiba mais
1,8Km - Centro Cultural Cartola - desenvolve diversas atividades voltadas à capacitação profissional e artística por meio de oficinas de teatro, dança e música.
Saiba mais
2,2Km - ANTIGA FÁBRICA DA BHERING - O espaço onde funcionava a ex-fábrica de chocolates Bhering, abriga 52 ateliês de artistas e 22 pequenas empresas do ramo cultural. O maquinário e as antigas instalações da fábrica servem de inspiração para criação e também são incorporados aos trabalhos
Saiba mais
2,4Km - Museu de Odontologia Professor Salles Cunha - Com um acervo valioso, que sempre estará ao alcance dos pesquisadores, dos professores e dos acadêmicos das faculdades de odontologia, interessados em saber da profissão que escolheram.
Saiba mais
2,8Km - Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro - foi inaugurado em 2004, sendo o primeiro da América Latina. Com aproximadamente 4.000m2, o Centro foi projetado para criação, produção, desenvolvimento, intercâmbio, estudo, apresentação, documentação, memóriae difusão da dança.
Saiba mais
8,9Km - Circuito de arte contemporânea do museu do açude ganha obras permanentes- CIRCUITO DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO MUSEU DO AÇUDE GANHA OBRAS PERMANENTES DE WALTERCIO CALDAS, ANGELO VENOSA E JOSÉ RESENDE
Saiba mais
207,0Km - Bruno Almeida Maia , em entrevista para o GuiaDasArtes - Bruno Almeida Maia , ministrante do curso Constelações Visionárias , a relação entre moda , arte e filosofia nos concedeu a ótima entrevista que se segue :
Saiba mais