Carregando... aguarde
AS 7 OBRAS QUE MELHOR DEFINEM A ARTE CONTEMPORÂNEA - Guia das Artes
AS 7 OBRAS QUE MELHOR DEFINEM A ARTE CONTEMPORÂNEA
AS 7 OBRAS QUE MELHOR DEFINEM A ARTE CONTEMPORÂNEA
inserido em 2022-03-29 19:32:31
Conteúdo

 

Período marcado pelo pós-guerra, a arte contemporânea trouxe uma verdadeira revolução para a expressão cultural global e permitiu a adaptação de diversas peças distintas, combinando elementos clássicos com novos estilos, visuais, conceitos e estéticas.

A tendência, que apresentou o Pop Art e o minimalismo para o mundo, destacou-se pela grande aproximação com públicos atuais e a maior capacidade de interação já vista no meio artístico.

Conheça abaixo algumas das peças que mais definiram o nascimento e ascensão da arte contemporânea e descubra como suas simbologias foram interpretadas para darem vida a conceitos modernos.

1. Latas de Sopa Campbell, de Andy Warhol

(Fonte: The New York Times / Reprodução)

(Fonte: The New York Times / Reprodução)

Famosa peça Pop Art do artista Andy Warhol, Latas de Sopa Campbell simboliza a cultura consumista norte-americana e a relevância dos meios de comunicação na propagação de produtos mercantis. Através da repetição do objeto, o material julga os exaustivos ciclos produtivos e a lógica capital por trás do excesso.

2. Maman, de Louise Bourgeois

(Fonte: The New York Times / Reprodução)

(Fonte: The New York Times / Reprodução)

Inspiração para vários conceitos de ficção científica, a aranha gigante de Louise Bourgeois, apresentada em 1990 nas ruas norte-americanas, é uma escultura íntima e simbólica. A peça, com versões de até 30 metros criadas em uma gama diversificada de materiais, é uma homenagem à mãe da artista, que morreu quando Bourgeois tinha 21 anos.

3. Eu Ainda Encaro Você, de Njideka Akunyili Crosby

(Fonte: The New York Times / Reprodução)

(Fonte: The New York Times / Reprodução)

Com ampla experiência cultural, a nigeriana Njideka Akunyili Crosby une projetos conceituais com traços tradicionais e cotidianos. Em Eu Ainda Encaro Você, é possível observar cenas e mosaicos se estendendo para duas mulheres africanas, à medida que a expansão das raízes contrasta com reflexos brilhantes e pessoas de menor destaque.

4. Garota com Balão, de Banksy

(Fonte: The New York Times / Reprodução)

(Fonte: The New York Times / Reprodução)

Produzida pelo icônico artista de rua londrino Bansky, Garota com Balão é uma comunicativa obra que revela um contraponto com as cinzentas paredes inglesas. A produção surgiu em 2014 durante a crise dos refugiados sírios e se repetiu em várias cidades, reforçando o apoio a campanhas políticas e causas humanitárias.

5. Olhe, Mickey, de Roy Lichtenstein

(Fonte: The New York Times / Reprodução)

(Fonte: The New York Times / Reprodução)

Considerada uma das obras pioneiras do Pop Art, Olhe, Mickey consagrou Roy Lichtenstein, que desenvolveu sua própria assinatura em estilo cartum para dar vida não somente a personagens, mas a elementos de cena — como o balão. O trabalho, realizado sobre uma cena já existente, foi classificado como insulto às artes plásticas, mas abriu portas para novos padrões dialógicos nos quadrinhos.

6. Bola Florida, de Takashi Murakami

(Fonte: The New York Times / Reprodução)

(Fonte: The New York Times / Reprodução)

Bola Florida, de Takashi Murakami, é uma obra que representa o universo 2D japonês, inspirado em produções clássicas de anime e mangá da década de 1990 e início dos anos 2000. Integrante do movimento "superflat", o projeto defende um legado histórico do país e aborda a sociedade do pós-guerra, com destaque para a euforia e revolução perceptiva.

7. Porta 84, de Dorothea Tanning

(Fonte: The New York Times / Reprodução)

(Fonte: The New York Times / Reprodução)

Com traços soltos, dinâmicas vivas e uso de técnicas de aquarela, o quadro Porta 84, de Dorothea Tanning, marcou o início do surrealismo figurativo em composições mais abstratas. O material apresenta um diálogo mental onde a única coisa que tem molde concreto é a porta, já que pensamentos e o contraste entre as duas mulheres — ligadas pela sola do pé — mostram um conflito aparente com predomínio de cores quentes.

 

Fonte: Mega Curioso

 
Compartilhe
Comente
Últimos eventos
Qua
27/Jul
Bruno Almeida Maia , em entrevista para o GuiaDasArtes - Bruno Almeida Maia , ministrante do curso Constelações Visionárias , a relação entre moda , arte e filosofia nos concedeu a ótima entrevista que se segue :
Saiba mais
Dom
31/Jul
Circuito de arte contemporânea do museu do açude ganha obras permanentes- CIRCUITO DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO MUSEU DO AÇUDE GANHA OBRAS PERMANENTES DE WALTERCIO CALDAS, ANGELO VENOSA E JOSÉ RESENDE
Saiba mais
Sáb
04/Dez
"Abdias Nascimento, Tunga e o Museu de Arte Negra" -
Saiba mais
Sáb
22/Jan
“Modernismo. Destaques do acervo“ - Pinacoteca celebra os 100 anos da Semana de Arte Moderna com nova exposição
Saiba mais
Ter
25/Jan
"Abdias Nascimento: um artista panamefricano" - MASP apresenta maior mostra já vista dedicada ao artista e ativista Abdias Nascimento
Saiba mais
Sex
25/Fev
-
Saiba mais
Sex
25/Fev
Volpi popular-
Saiba mais
Ter
08/Mar
“A Beleza Sombria dos Monstros: 13 Anos da Arte de Tim Burton” - Exposição interativa de Tim Burton chega a São Paulo em maio
Saiba mais
Ter
22/Mar
Brecheret, 1922-2022 – Nos Passos da Modernidade -
Saiba mais
Sex
25/Mar
‘Espuma Delirante’ de Rafael Silveira, com curadoria de Baixo Ribeiro -
Saiba mais