Carregando... aguarde
Yves Serpa arte de - Guia das Artes
Yves Serpa
Informações
Nome:
Yves Serpa
Nasceu:
Rio de Janeiro - RJ - Brasil (06/04/1923)
Faleceu:
Rio de Janeiro - RJ - Brasil (19/04/1973)
Sobre o artista


Biografia

Ivan Ferreira Serpa (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1923 - idem, 1973). Pintor, gravador, desenhista, professor. Estuda pintura, gravura e desenho com Axl Leskoschek (1889-1975), entre 1946 e 1948, no Rio de Janeiro. Em 1949, ministra suas primeiras aulas no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ), onde, a partir de 1952, exerce sistemática atividade didática, em especial no ensino infantil. No ano de 1954, publica o livro Crescimento e Criação, com texto de Mário Pedrosa (1900-1981), sobre sua experiência no ensino de arte para crianças. Nesse mesmo ano, ao lado de Ferreira Gullar (1930-2016) e Mário Pedrosa, cria o Grupo Frente, integrado por artistas como Lygia Clark (1920-1988), Hélio Oiticica (1937-1980) e Lygia Pape (1927-2004).


Permanece na liderança do grupo até sua dissolução, em 1956. Apesar da liberdade de pontos de vista estéticos no grupo, há o predomínio de artistas concretistas. Em 1957, recebe o prêmio de viagem ao exterior no Salão Nacional de Arte Moderna (SNAM). Participa da exposição Opinião 65, evento que marca a difusão de uma nova arte de tendência figurativa, a neofiguração. A obra de Ivan Serpa, desde o início de sua carreira, oscila entre o figurativismo e a arte concreta. Em 1970, funda, com Bruno Tausz, o Centro de Pesquisa de Arte no Rio de Janeiro.


http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa8922/ivan-serpa

Cronologia

NASCIMENTO / MORTE

1923 – Rio de Janeiro RJ – 6 de abril

1973 – Rio de Janeiro RJ – 19 de abril


VIDA FAMILIAR

Pai do artista plástico Yves Serpa (1951).


CRONOLOGIA

Pintor, gravador, desenhista, professor


ca.1946 – Rio de Janeiro RJ – Desenvolve trabalho ligado ao Museu do Inconsciente

1950/1954 – Rio de Janeiro RJ – Trabalha na seção de restauração de livros da Biblioteca Nacional

1952 – Participa da delegação brasileira na Bienal de Veneza

1952/ca.1970 – Rio de Janeiro RJ – Ensina pintura, para crianças e adultos, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro – MAM/RJ

1954/1956 – Rio de Janeiro RJ – Funda, com colaboração de Ferreira Gullar (1931) e Mário Pedrosa (1900 – 1981), o Grupo Frente, que lidera até sua dissolução, com participação de Franz Weissmann (1911 – 2005), Lygia Clark (1920 – 1988), Aluísio Carvão (1920 – 2001), Hélio Oiticica (1937 – 1980), Décio Vieira (1922 – 1988), Lygia Pape (1927 – 2004), entre outros

1954 – Rio de Janeiro RJ – Publica, com texto de Mário Pedrosa o livro Crescimento e Criação, relatando sua experiência no ensino de arte para crianças

1964/1965 – Elabora quadros soturnos de grandes figuras tenebrosas, a chamada “fase negra”, por ocasião da repressão políticas vigente no país

ca.1968 – Retoma a linguagem construtiva em função do interesse pela op art

1970 – Rio de Janeiro RJ – Funda, com Bruno Tausz (1939), o Centro de Pesquisa de Arte

1970 – Realiza objetos feitos a partir de móveis e trabalha com Lygia Pape e Antonio Manuel (1947)

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

1951 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria do Ibeu Copacabana

1951 – Rio de Janeiro RJ – Individual, no MAM/RJ

1953 – Rio de Janeiro RJ – Individual, no Teatro de Bolso

1954 – Caracas (Venezuela) – Individual, na 10ª Conferência Interamericana

1954 – Washington (Estados Unidos) – Individual, na Pan American Union Gallery

1955 – Ithaca (Estados Unidos) – Individual, no Museu Guggenheim

1957 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria Tenreiro

1958 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria GEA

1961 – Rio de Janeiro RJ – Ivan Serpa: retrospectiva, no MAM/RJ

1963 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria Tenreiro

1964 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria Barcinsky

1964 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria Tenreiro

1965 – Belo Horizonte MG – Individual, no Museu de Arte da Prefeitura de Belo Horizonte

1965 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria Relevo

1965 – Rio de Janeiro RJ – Individual, no MAM/RJ

1965 – São Paulo SP – Ivan Serpa: desenhos e guaches, no MAC/USP

1966 – Bonn (Alemanha) – Individual

1966 – Manágua (Nicarágua) – Individual

1966 – Rio de Janeiro RJ – Individual

1966 – Salvador BA – Individual

1968 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria Bonino

1971 – Rio de Janeiro RJ – Ivan Serpa: retrospectiva, no MAM/RJ

EXPOSIÇÕES COLETIVAS

1947/1950 – Rio de Janeiro RJ – 53º Salão Nacional de Belas Artes, no MNBA

1948 – Rio de Janeiro RJ – 54º Salão Nacional de Belas Artes – Divisão Moderna, no MNBA – medalha de bronze

1949 – Rio de Janeiro RJ – 1º Salão Municipal de Belas Artes, no Ministério da Educação e da Saúde – Prêmio Prefeitura Municipal

1951 – Rio de Janeiro RJ – 57º Salão Nacional de Belas Artes, no MNBA

1951 – São Paulo SP – 1ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão do Trianon – prêmio jovem pintor nacional

1952 – Rio de Janeiro RJ – 1º Salão Nacional de Arte Moderna, no MAM/RJ

1952 – Rio de Janeiro RJ – Exposição de Artistas Brasileiros, no MAM/RJ

1952 – Veneza (Itália) – 26ª Bienal de Veneza

1953 – Lausanne (Suíça) – Feira Internacional de Lausanne

1953 – Petrópolis RJ – 1ª Exposição Nacional de Arte Abstrata, no Hotel Quitandinha

1953 – São Paulo SP – 2ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão dos Estados – Prêmio Museu de Arte Moderna

1954 – Rio de Janeiro RJ – 1º Grupo Frente, na Galeria Ibeu Copacabana

1954 – Veneza (Itália) – 27ª Bienal de Veneza

1955 – Caracas (Venezuela) – Exposição Interamericana

1955 – Lissone (Itália) – 9º Prêmio Internacional de Lissone

1955 – Rio de Janeiro RJ – 2º Grupo Frente, na MAM/RJ

1955 – Rio de Janeiro RJ – 4º Salão Nacional de Arte Moderna

1955 – Rio de Janeiro RJ – Salão Miniatura, na ABI

1955 – São Paulo SP – 3ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão das Nações – Prêmio Unesco

1955 – Tóquio (Japão) – 3ª Bienal de Tóquio

1956 – Barcelona (Espanha) – 3ª Bienal Hispano-Americana

1956 – Resende RJ – 3º Grupo Frente, no Itatiaia Country Club

1956 – Rio de Janeiro RJ – 5º Salão Nacional de Arte Moderna

1956 – São Paulo SP – 1ª Exposição Nacional de Arte Concreta, no MAM/SP

1956 – Volta Redonda RJ – 4º Grupo Frente, na Companhia Siderúrgica Nacional

1957 – Rio de Janeiro RJ – 1ª Exposição Nacional de Arte Concreta, no MAM/RJ

1957 – Rio de Janeiro RJ – 62º Salão Nacional de Belas Artes, no MNBA

1957 – Rio de Janeiro RJ – 6º Salão Nacional de Arte Moderna – prêmio de viagem ao exterior

1957 – São Paulo SP – 4ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão Ciccilo Matarazzo Sobrinho

1959 – Leverkusen (Alemanha) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa

1959 – Munique (Alemanha) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa, no Kunsthaus

1959 – Rio de Janeiro RJ – 1ª Exposição de Arte Neoconcreta, no MAM/RJ

1959 – Viena (Áustria) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa

1960 – Hamburgo (Alemanha) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa

1960 – Lisboa (Portugal) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa

1960 – Madri (Espanha) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa

1960 – Paris (França) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa

1960 – Rio de Janeiro RJ – 9º Salão Nacional de Arte Moderna, no MAM/RJ – prêmio aquisição

1960 – Utrecht (Holanda) – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa

1960 – Zurique (Suíça) – 1ª Bienal de Zurique

1961 – Rio de Janeiro RJ – 10º Salão Nacional de Arte Moderna – premiado

1961 – Rio de Janeiro RJ – 1ª O Rosto e a Obra, na Galeria Ibeu Copacabana

1961 – São Paulo SP – 6ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão Ciccilo Matarazzo Sobrinho – premiado

1962 – Córdoba (Argentina) – 1ª Bienal Americana de Arte

1962 – Rio de Janeiro RJ – 11º Salão Nacional de Arte Moderna – prêmio de viagem ao país

1962 – Veneza (Itália) – 31ª Bienal de Veneza

1963 – Campinas SP – Pintura e Escultura Contemporâneas, no Museu Carlos Gomes

1963 – Rio de Janeiro RJ – 12º Salão Nacional de Arte Moderna

1963 – Rio de Janeiro RJ – A Paisagem como Tema, na Galeria Ibeu Copacabana

1963 – São Paulo SP – 7ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal

1964 – Paris (França) – Salon Comparaisons, no Musée d’Art Moderne de la Ville de Paris

1964 – Rio de Janeiro RJ – O Nu na Arte Contemporânea, na Galeria Ibeu Copacabana

1965 – Belo Horizonte MG – 20º Salão de Belas Artes da Cidade de Belo Horizonte, no MAP – Prêmio Clube dos Lojistas

1965 – Bonn (Alemanha) – Arte Brasileira Atual

1965 – Lisboa (Portugal) – Artistas Brasileiros Contemporâneos, na Fundação Calouste Gulbenkian

1965 – Londres (Inglaterra) – Brazilian Art Today, na Royal Academy of Arts

1965 – Paris (França) – Salon Comparaisons

1965 – Rio de Janeiro RJ – 14º Salão Nacional de Arte Moderna, no MAM/RJ

1965 – Rio de Janeiro RJ – Opinião 65, no MAM/RJ

1965 – Rio de Janeiro RJ – Salão Nacional de Belas Artes

1965 – São Paulo SP – 8ª Bienal Internacional de São Paulo, no Fundação Bienal

1965 – Viena (Áustria) – Arte Brasileira Atual

1965 – Rio de Janeiro RJ – 3º Resumo de Arte do JB, no MAM/RJ – Prêmio Jornal do Brasil

1966 – Austin (Estados Unidos) – Art of Latin America since Independence, na The University of Texas at Austin. Archer M. Huntington Art Gallery

1966 – Buenos Aires (Argentina) – Artistas Brasileiros Contemporâneos, no Museo de Arte Moderno

1966 – Montevidéu (Uruguai) – Artistas Brasileiros Contemporâneos, no Museo de Arte Moderno de Montevidéu

1966 – New Haven (Estados Unidos) – Art of Latin America since Independence, na Yale University Art Gallery

1966 – New Orleans (Estados Unidos) – Art of Latin America since Independence, no Isaac Delgado Museum of Art

1966 – Rio de Janeiro RJ – 15º Salão Nacional de Arte Moderna

1966 – Rio de Janeiro RJ – 4º Resumo de Arte JB, no MAM/RJ

1966 – Rio de Janeiro RJ – Opinião 66, no MAM/RJ

1966 – Rio de Janeiro RJ – Salão IV Centenário do Rio de Janeiro, no MAM/RJ

1966 – Salvador BA – 1ª Bienal Nacional de Artes Plásticas – sala especial

1966 – San Diego (Estados Unidos) – Art of Latin America since Independence, no La Jolla Museum of Art

1966 – San Francisco (Estados Unidos) – Art of Latin America since Independence, no San Francisco art Museum

1966 – São Paulo SP – Meio Século de Arte Nova, no MAC/USP

1966 – Veneza (Itália) – 33ª Bienal de Veneza

1967 – Rio de Janeiro RJ – Nova Objetividade Brasileira, no MAM/RJ

1969 – Rio de Janeiro RJ – 7º Resumo de Arte JB, no MAM/RJ

1971 – Rio de Janeiro RJ – 20º Salão Nacional de Arte Moderna

1972 – Rio de Janeiro RJ – 10º Resumo de Arte JB, no MAM/RJ

1972 – São Paulo SP – Arte/Brasil/Hoje: 50 anos depois, na Galeria da Collectio

EXPOSIÇÕES PÓSTUMAS

1973 – São Paulo SP – 12ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal

1974 – Rio de Janeiro RJ – Ivan Serpa: retrospectiva, no MAM/RJ

1974 – Rio de Janeiro RJ – O Mar, na Galeria Ibeu Copacabana

1975 – Brasília DF – Individual, na Oscar Seraphico Galeria de Arte

1976 – Rio de Janeiro RJ – Individual

1977 – Rio de Janeiro RJ – Projeto Construtivo Brasileiro na Arte: 1950-1962, no MAM/RJ

1977 – São Paulo SP – Projeto Construtivo Brasileiro na Arte: 1950-1962, na Pinacoteca do Estado

1978 – São Paulo SP – As Bienais e a Abstração: a década de 50, no Museu Lasar Segall

1979 – São Paulo SP – 15ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal

1980 – Rio de Janeiro RJ – Homenagem a Mário Pedrosa, na Galeria Jean Boghici

1980 – São Paulo SP – Mestres do Abstracionismo Lírico no Brasil, na Galeria Eugénie Villien

1982 – Rio de Janeiro RJ – Entre a Mancha e a Figura, no MAM/RJ

1983 – Rio de Janeiro RJ – 6º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ

1984 – Rio de Janeiro RJ – 1ª Exposição Nacional de Arte Abstrata – Hotel Quitandinha, na Galeria de Arte Banerj

1984 – Rio de Janeiro RJ – Grupo Frente 1954-1956, na Galeria de Arte Banerj

1984 – Rio de Janeiro RJ – Madeira, Matéria de Arte, no MAM/RJ

1984 – São Paulo SP – Coleção Gilberto Chateaubriand: retrato e auto-retrato da arte brasileira, no MAM/SP

1984 – Volta Redonda RJ – Grupo Frente 1954-1956

1985 – Rio de Janeiro RJ – Axl Leskoschek e seus Alunos: Brasil/1940-1948, na Galeria de Arte Banerj

1985 – Rio de Janeiro RJ – Opinião 65, na Galeria de Arte Banerj

1985 – São Paulo SP – 18ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal

1985 – São Paulo SP- Axl Leskoschek e seus Alunos: Brasil/1940-1948, no MAM/SP

1986 – Resende RJ – Grupo Frente 1954-1956

1986 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria Maurício Leite Barbosa

1986 – Rio de Janeiro RJ – JK e os Anos 50: uma visão da cultura e do cotidiano, na Galeria Investiarte

1987 – Paris (França) – Modernidade: arte brasileira do século XX, no Musée d’Art Moderne de la Ville de Paris

1987 – Rio de Janeiro RJ – 1ª Abstração Geométrica: concretismo e neoconcretismo, na Funarte. Centro de Artes

1987 – Rio de Janeiro RJ – Ao Colecionador: homenagem a Gilberto Chateaubriand, no MAM/RJ

1987 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria Klee

1987 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria Registro

1987 – São Paulo SP – 1ª Abstração Geométrica: concretismo e neoconcretismo, no MAB/Faap

1987 – São Paulo SP – A Trama do Gosto: um outro olhar sobre o cotidiano, na Fundação Bienal

1987 – São Paulo SP – As Bienais no Acervo do MAC: 1951 a 1985, no MAC/USP

1987 – São Paulo SP – O Ofício da Arte: pintura, no Sesc

1988 – Rio de Janeiro RJ – Hedonismo: Coleção Gilberto Chateaubriand, na Galeria Edifício Gilberto Chateaubriand

1988 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Tríade Galeria

1988 – São Paulo SP – 63/66 Figura e Objeto, na Galeria Millan

1988 – São Paulo SP – MAC 25 anos: destaques da coleção inicial, no MAC/USP

1988 – São Paulo SP – Modernidade: arte brasileira do século XX, no MAM/SP

1989 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria Tríade

1989 – Rio de Janeiro RJ – Pequenas Grandezas dos Anos 50, no Gabinete de Arte Cleide Wanderley

1989 – São Paulo SP – 20ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal

1991 – São Paulo SP – Construtivismo: arte cartaz 40/50/60, no MAC/USP

1992 – Poços de Caldas MG – Arte Moderna Brasileira: acervo do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, na Casa da Cultura

1992 – Rio de Janeiro RJ – 1º A Caminho de Niterói: Coleção João Sattamini, no Paço Imperial

1992 – Zurique (Suíça) – Brasilien: entdeckung und selbstentdeckung, no Kunsthaus Zürich

1993 – Rio de Janeiro RJ – Arte Erótica, no MAM/RJ

1993 – Rio de Janeiro RJ – Brasil 100 Anos de Arte Moderna, no MNBA

1993 – Rio de Janeiro RJ – Emblemas do Corpo: o nu na arte moderna brasileira, no Centro Cultural Banco do Brasil – CCBB

1993 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria Saracini

1993 – Rio de Janeiro RJ – Ivan Serpa: retrospectiva 1947-1973, no CCBB

1993 – São Paulo SP – O Desenho Moderno no Brasil: Coleção Gilberto Chateaubriand, na Galeria de Arte do Sesi

1994 – Rio de Janeiro RJ – Exposição Comemorativa dos 40 Anos de Fundação do Grupo Frente, na Galeria Ibeu Copacabana

1994 – Rio de Janeiro RJ – O Desenho Moderno no Brasil: Coleção Gilberto Chateaubriand, no MAM/RJ

1994 – São Paulo SP – Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal

1994 – São Paulo SP – Individual, na Galeria Millan

1995 – Rio de Janeiro RJ – Opinião 65: 30 anos, no CCBB

1996 – Niterói RJ – Arte Contemporânea Brasileira na Coleção João Sattamini, no MAC/Niterói

1996 – Niterói RJ – Individual, na UFF. Galeria de Arte

1996 – Rio de Janeiro RJ – O Grito, no MNBA

1996 – Rio de Janeiro RJ – Tendências Construtivas no Acervo do MAC/USP: construção, medida e proporção, no CCBB

1996 – São Paulo SP – Arte Brasileira: 50 anos de história no acervo MAC/USP: 1920-1970, no MAC/USP

1996 – São Paulo SP – Desexp(I)os(ign)ição, na Casa das Rosas

1998 – Niterói RJ – Espelho da Bienal, no MAC/Niterói

1998 – São Paulo SP – Arte Construtiva no Brasil: Coleção Adolpho Leirner, no MAM/SP

1998 – São Paulo SP – O Colecionador, no MAM/SP

1998 – São Paulo SP – O Moderno e o Contemporâneo na Arte Brasileira: Coleção Gilberto Chateaubriand – MAM/RJ, no Masp

1999 – Rio de Janeiro RJ – Arte Construtiva no Brasil: Coleção Adolpho Leirner, no MAM/RJ

1999 – Rio de Janeiro RJ – Mostra Rio Gravura: Gravura Moderna Brasileira: acervo Museu Nacional de Belas Artes, no MNBA

2000 – Brasília DF – Exposição Brasil Europa: encontros no século XX, no Conjunto Cultural da Caixa

2000 – Lisboa (Portugal) – Século 20: arte do Brasil, no Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão

2000 – Rio de Janeiro RJ – Quando o Brasil era Moderno: artes plásticas no Rio de Janeiro de 1905 a 1960, no Paço Imperial

2000 – São Paulo SP – Brasil + 500 Mostra do Redescobrimento, na Fundação Bienal

2000 – Valência (Espanha) – De la Antropofagia a Brasilía: Brasil 1920-1950, no IVAM. Centre Julio Gonzáles

2001 – Rio de Janeiro RJ – Aquarela Brasileira, no Centro Cultural Light

2001 – São Paulo SP – Bienal 50 Anos: uma homenagem a Ciccillo Matarazzo, na Fundação Bienal

2001 – São Paulo SP – Trajetória da Luz na Arte Brasileira, no Itaú Cultural

2002 – Niterói RJ – Acervo em Papel, no MAC/Niterói

2002 – Niterói RJ – Diálogo, Antagonismo e Replicação na Coleção Sattamini, no MAC/Niterói

2002 – Porto Alegre RS – Violência e Paixão, no Santander Cultural

2002 – Rio de Janeiro RJ – 1ª Mostra Rio Arte Contemporânea, no MAM/RJ

2002 – Rio de Janeiro RJ – Arte Brasileira na Coleção Fadel: da inquietação do moderno à autonomia da linguagem, no CCBB

2002 – Rio de Janeiro RJ – Caminhos do Contemporâneo 1952-2002, no Paço Imperial

2002 – Rio de Janeiro RJ – Genealogia do Espaço, na Galeria do Parque das Ruínas

2002 – Rio de Janeiro RJ – Paralelos: arte brasileira da segunda metade do século XX em contexto, Collección Cisneros, no MAM/RJ

2002 – São Paulo SP – Arte Brasileira na Coleção Fadel: da inquietação do moderno à autonomia da linguagem, no CCBB

2002 – São Paulo SP – Da Antropofagia a Brasília: Brasil 1920-1950, no MAB/Faap

2002 – São Paulo SP – Mapa do Agora: arte brasileira recente na Coleção João Sattamini do Museu de Arte Contemporânea de Niterói, no Instituto Tomie Ohtake

2002 – São Paulo SP – Paralelos: arte brasileira da segunda metade do século XX em contexto, Colección Cisneros, no MAM/SP

2003 – Brasília DF – Arte Brasileira na Coleção Fadel: da inquietação do moderno à autonomia da linguagem, no CCBB

2003 – Campos dos Goytacazes RJ – Poema Planar-Espacial, no Sesc

2003 – Cidade do México (México) – Cuasi Corpus: arte concreto y neoconcreto de Brasil: una selección del acervo del Museo de Arte Moderna de São Paulo y la Colección Adolpho Leirner, no Museo Rufino Tamayo

2003 – Nova Friburgo RJ – Poema Planar-Espacial, na Galeria Sesc Nova Friburgo

2003 – Rio de Janeiro RJ – Autonomia do Desenho, no MAM/RJ

2003 – Rio de Janeiro RJ – Op-Erótica, no Espaço Antonio Bernardo

2003 – Rio de Janeiro RJ – Ordem x Liberdade, no MAM/RJ

2003 – São Paulo SP – Arte e Sociedade: uma relação polêmica, no Itaú Cultural

2003 – São Paulo SP – Coleção Lauro Eduardo Soutello Alves no Acervo do MAM, no MAM/SP

2004 – Rio de Janeiro RJ – 30 Artistas, no Mercedes Viegas Escritório de Arte

2004 – Rio de Janeiro RJ – Individual, no Paço Imperial

2004 – Niterói RJ – Modernidade Transitiva, no MAC/Niterói

2004 – São Paulo SP – Ivan Serpa: desenhos gráficos, na Galeria André Millan

2005 – Petrópolis RJ – Expresso Abstrato, no Museu Imperial


https://galeria-ipanema.com/ivan-serpa/

Outras imagens
Colabore conosco
Você tem informações sobre este artista ou acredita que algum dos tópicos do conteúdo está errado?
clique aqui e colabore conosco enviando sua sugestão, correção ou comentários.
Nome
Email
Mensagem
Enviar
Peças sendo leiloadas, compre agora
iArremate leilões
13 de Dezembro às 20:30

Yves Serpa – Gravura Optical Art – Pequena edição de apenas 25 unidades editada por ocasião da mostra (última) oficial do artista.Medidas :47x48cm Obra encerrada. Assinada e numerado 04/25 - Apresenta Certificado de Autenticidade do Editor
iArremate leilões
13 de Dezembro às 20:30

Yves Serpa – Gravura Neo – Pequena edição de apenas 25 unidades editada por ocasião da mostra (última) oficial do artista.Medidas :47x48cm Obra encerrada. Assinada e numerado 02/25. Apresenta certificado de Autenticidade do Editor.
Obras deste artista