Carregando... aguarde
WDC FESTIVAL DE DANCAS URBANAS EM VERSAO COMPACTA NA ROCINHA-2021-02-20 - Guia das Artes
WDC FESTIVAL DE DANÇAS URBANAS EM VERSÃO COMPACTA NA ROCINHA
Evento encerrado
WDC FESTIVAL DE DANÇAS URBANAS EM VERSÃO COMPACTA NA ROCINHA
Quando aconteceu
Sábado, 20 Fevereiro até Domingo, 21 Fevereiro
Local
Quadra da Acadêmicos da Rocinha
Rua Bertha Lutz, 80. Metrô Estação São Conrado
Conteúdo

 

Entre confirmados para o Esquenta WDC estão coreógrafos das cantoras Anitta e Ludmilla

Enquanto a quinta edição do WDC Festival de Danças Urbanas não acontece devido à pandemia do novo coronavírus, a Cia Livre de Dança, da Rocinha, promove uma versão compacta do evento nos dias 20 e 21 de fevereiro na quadra da comunidade, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Durante dois dias, das 10h às 20h30, o Esquenta WDC apresenta uma série de workshops de dança para o público com renomados coreógrafos que trabalham com estrelas da música pop e do funk como Anitta e Ludmilla, além de uma vibrante batalha de hip hop e de estilo livre em que dançarinos disputam quem é o melhor das danças urbanas e concorrem a uma premiação em dinheiro. O passaporte para os dois dias de evento custa R$ 80 e, devido a medidas de prevenção ao novo coronavírus, a lotação do local está limitada a 60 participantes por vez (a capacidade de público é de 300 pessoas).

 

“Até o ano passado, o WDC era realizado durante uma semana inteira no Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro, na Tijuca, com workshops, palestras, showcase, batalhas, rodas de conversa e aulas intensivas. Por conta da pandemia e para atender à demanda do público, a solução foi fazer uma versão compacta, concentrada na Rocinha, comunidade onde o festival foi idealizado”, conta a coreógrafa e dançarina Ana Lúcia Silva, diretora do WDC e nome à frente da Cia Livre de Dança. “O festival tem como objetivo difundir a cultura urbana por meio da troca e conhecimento para inspirar cada vez mais os jovens talentos da dança”, completa Ana Lúcia, sem deixar de enfatizar o compromisso social do WDC e da Cia. Livre de Dança têm em incentivar e fomentar a profissionalização de dançarinos, além de investirem em ações sociais na comunidade da Rocinha, com aulas regulares durante todo o ano, workshops, eventos e colônia de férias.

 

 

WORKSHOPS

Os workshops do Esquenta WDC têm a intenção de contribuir na capacitação e no aperfeiçoamento dos dançarinos, levando em conta a relação étnica, cultural e artística do profissional, estimulando também a troca de experiência, conhecimento, técnica e o lúdico. Os profissionais que vão lecionar os workshops são talentos experientes que fazem parte da construção e do crescimento das danças urbanas no Rio de Janeiro.

 

Entre os coreógrafos confirmados estão Arielle Macedo (heels dance | jazz funk), bailarina da cantora Anitta há 11 anos, coreógrafa de hits como “Show das poderosas”, “Deixa ele sofrer”, “Bang”, “Paradinha” e “Vai, malandra”; Edson Damazzo (jazz funk), coreógrafo da cantora Ludmilla e Lexa; Makayla Sabino (vogue), dançarina do ballet das cantoras Anitta e Mc Rebecca, que trabalhou também com nomes como Valesca Popozuada, Kevin o Chris, Beni Falcone e Cidinho & Doca; André Oliveira (passinho), referência no mundo do funk e do passinho, bicampeão da batalha do Festival Rio H2K; Laissy Tavares (hip hop), que atuou como bailarina de estrelas como Kevin o Chris e Maite Perroni (ex-RBD); Bruno Duarte (krump), primeiro krumper brasileiro a chegar numa final internacional em um campeonato do estilo; Thiago Nunes (dança contemporânea), mais conhecido como Lagarthixa por sua performance, professor do projeto de extensão ComuniDança, da UFRJ, onde se estuda; Tago Oli (jazz funk), coreógrafo da funkeira Lellezinha, que tem em seu currículo trabalhos com MV Bill, Lorena Simpson e participação na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016; e a dupla Salasar Junior e Gian Saru (handstyle concept), dupla que vem despontando no estilo.

 

 

BATALHAS

As batalhas de danças urbanas do WDC são sempre experiências fervorosas, com embates contagiantes e movimentos inacreditáveis. Ao som do DJ JP Black e com a chamada do Gian Saru, que apresenta os duelos como MC, a banca de júri — formada por Leozinho LaureanoMakayla Sabino e Salasar Junior — tem a responsabilidade de escolher o melhor dançarino de free style e de hip hop. O primeiro colocado de cada categoria leva um prêmio de R$ 500 e o título de melhor dançarino do Esquenta WDC.

 

 

ANA LÚCIA SILVA E CIA LIVRE DE DANÇA

Nascida e criada na Rocinha, Ana Lúcia Silva está à frente da Cia Livre de Dança, escola e Ponto de Cultura que criou na comunidade em 1999. Ela desenvolve uma série de produtos sociais com o objetivo de lecionar danças para crianças e jovens da comunidade. Graduada em Licenciatura Plena em Dança pela Universidade Cândido Mendes e pós-graduada em Psicomotricidade Clínica e Relacional, ela acredita na dança como veículo transformador, e por isso a importância de sempre estudar. Valorizando sempre suas origens, Ana Lúcia Silva tem orgulho de  ter representado a Rocinha em eventos nacionais e internacionais, como também ter sua biografia apresentada em uma exposição para mulheres negras nos Estados Unidos.

 

Há mais de dez anos se dedica à pesquisa sobre dança Afro Brasileira, tendo participado de diversos eventos e festivais em Buenos Aires, Nova York, Disney e Joinville. Em 2016, foi contemplada com o prêmio Territórios Culturais com o espetáculo “Brasileirices”, que estreou no Quilombo Fazenda Machadinha, em Quissamã, no Norte Fluminense. Seu trabalho afro brasileiro é baseado na Escola de Mercedes Baptista, que foi a primeira bailarina negra a integrar o corpo de baile  do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e que sistematizou a dança negra por meio da técnica, valorizando tanto a dança da senzala quanto a parte acadêmica.

 

 

PROGRAMAÇÃO

 

SÁBADO, DIA 20

10h – Edson Damazzo (jazz funk)

12h – intervalo

14h – Thiago Nunes a.k.a Lagarthixa (dança contemporânea)

15h15 – André Oliveira (passinho)

16h30 – Salasar e Saru (handstyle concept)

17h45 – Laissy Tavares (hip hop)

19h – Makayla Sabino (vogue)

           

DOMINGO, DIA 21

10h – Tago Oli (jazz funk)

11h15 – Bruno Duarte (krump)

12h30 – Arielle Macedo (jazz funk)

14h – inscrição para as batalhas

Das 15h até 20h30 – Batalhas de hip hop e free style

 

 

SERVIÇO

 

“ESQUENTA WDC FESTIVAL DE DANÇAS URBANAS”

Datas: 20 e 21 de fevereiro, das 10h às 20h30.

Local: Quadra da Acadêmicos da Rocinha – Rua Bertha Lutz, 80. Metrô Estação São Conrado | Rocinha.

Ingressos: R$ 50 (um dia de evento )R$ 80 (passaporte para os dois dias) | R$ 10 (exclusivo para assistir às Batalhas em 21/2, a partir das 15h).

Inscrição para os dançarinos participantes da batalha: R$ 10.

Classificação etária: livre. Capacidade: 60 pessoas.

Instagram: @wdcfestival e @cialivrededanca | Facebook: cialivrededancadarocinha

 

* Os horários podem variar em função de férias e feriados. Recomendamos ligar antes para verificar.
Fotos
Compartilhe
Comente
Mais Opções em "Rio de Janeiro"
1500 BABILÔNIA GALERIA - “Redesenhos” é mostra de série inédita do fotógrafo Edouard Fraipont composta de sete imagens e um vídeo. Ele explora o conceito de fotoperformance, em parceria com a coreógrafa e bailarina Alexandra Naudet, e propõe figuras redesenhadas pelo movimento do
Saiba mais
A Gentil Carioca - Fundado em setembro de 2003 pelos artistas plásticos Ernesto Neto, Franklin Cassaro, Laura Lima e Márcio Botner, esse espaço para a arte contemporânea representa e mantém em acervo obras dos artistas Thiago Rocha Pitta, João Modé, Jarbas Lopes, Paulo Nenf
Saiba mais
ALMACÉN GALERIA DE ARTE BARRA DA TIJUCA - Estabelecida no CasaShopping, na Barra da Tijuca, desde 1986, a galeria mantém em acervo obras de Tomie Ohtake, Cildo Meireles, Antonio Dias, Marco Coelho Benjamim, Fernando Velloso, Walter Goldfarb, Cruz-Diez, Jussara Age, Yuli Geszti, Silvio Baptista, H
Saiba mais
AMARELONEGRO ARTE CONTEMPORÂNEA - O artista curitibano Juan Parada apresenta na exposição “Teto Verde” uma grande instalação. A obra, que tem o formato de uma casa, está disposta de cabeça para baixo. Destaque para o teto verde, no qual o a terra está por cima e as plantas crescem para ba
Saiba mais
ANTIGA FÁBRICA DA BHERING - O espaço onde funcionava a ex-fábrica de chocolates Bhering, abriga 52 ateliês de artistas e 22 pequenas empresas do ramo cultural. O maquinário e as antigas instalações da fábrica servem de inspiração para criação e também são incorporados aos trabalhos
Saiba mais
ATELIER CURVELO - Instalado em um casarão de 1896 com vista para a Baia de Guanabara, em Santa Teresa, o espaço abriga criações do artista plástico Zemog e peças de sua esposa, a designer Rita Dias. Zemog usa materiais nada nobres como tampinhas de refrigerante, espelhos e
Saiba mais
BIBLIOTECA NACIONAL - O prédio, em estilo neoclássico, foi projetado pelo arquiteto Francisco Marcelino de Souza Aguiar. Inaugurado em 1910, reúne um acervo de cerca de nove milhões de peças, entre raridades como a Bíblia de Mogúncia, impressa em 1462, a edição dos Lusíadas de
Saiba mais
Circuito de arte contemporânea do museu do açude ganha obras permanentes- CIRCUITO DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO MUSEU DO AÇUDE GANHA OBRAS PERMANENTES DE WALTERCIO CALDAS, ANGELO VENOSA E JOSÉ RESENDE
Saiba mais
ESPAÇO CULTURAL MUNICIPAL SÉRGIO PORTO - O local é um dos espaços culturais mais interessantes do Rio. Integra a Rede Municipal de Teatros da Secretaria Municipal de Cultura. Tem uma programação variada, com exposições de arte, palestras, debates, workshops, espetáculos de teatro, recitais de po
Saiba mais
FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA - A mansão onde está instalado o museu, construída em 1849, em estilo neoclássico, serviu de residência a Rui Barbosa (1849-1923) durante os últimos 28 anos de sua vida. Possui um acervo de 1.400 peças de mobiliário, objetos decorativos e de uso pessoal e p
Saiba mais
Galeria Valdir Teixeira -
Saiba mais
Vozes do Silêncio – Filme não Filme - Híbrido de linguagens, projeto apresenta três curtas com textos do premiado escritor irlandês Samuel Beckett que dão vozes às mulheres silenciadas pela sociedade
Saiba mais