Carregando... aguarde
Maria Auxiliadora da Silva - Guia das Artes
Maria Auxiliadora da Silva
Informações
Nome:
Maria Auxiliadora da Silva
Nasceu:
Campo Belo, MG (15/05/1938)
Faleceu:
São Paulo, SP
Biografia

Maria Auxiliadora (Campo Belo MG 1938 - São Paulo SP 1974). Pintora. É autodidata em artes plásticas e inicia sua produção artística por volta de 1954. Em 1968, liga-se ao grupo de Solano Trindade em Embu, São Paulo, e realiza sua primeira mostra individual. Postumamente, a obra da artista é enfocada no livro Mitopoética de 9 Artistas Brasileiros, de Lélia Coelho Frota.

Segundo críticos, sua obra situa-se na fronteira entre a arte ingênua e a art brut. Em sua vida atribulada pintou apenas durante sete anos, entre 1967 e 1974, porém, foram tão marcantes seus trabalhos, que lhe conferiram um lugar do maior destaque entre os primitivistas nacionais. Ela realizou procissões, danças populares, cenas do carnaval, do campo e das cidades. Uma de suas características marcantes foi a frequente utilização do branco, proporcionando efeitos sutis e de extrema leveza plástica. No final da vida, a doença povoou suas telas de anjos, grinaldas, ambulâncias e funerais.

Cronologia

Filha de mãe bordadeira e pai trabalhador braçal em estradas de ferro, veio para São Paulo com a família. Na capital paulista foi doméstica e passadora de roupa. ca. 1954 – Autodidata, iniciou sua produção em guaches e lápis-de-cor. 1967 – Após sofrer grave cirurgia, decidiu pintar, primeiro em casa dos pais, depois em sua própria residência. 1968 – Conheceu alguns artistas, entre os quais o poeta e teatrólogo negro Solano Trindade, que havia criado um núcleo artístico em Embu das Artes, perto de São Paulo, grupo que mantinha ligação especial com a herança cultural afro-brasileira. Mas Embu foi tomada pelos hippies e Auxiliadora resolveu levantar âncora, indo expor na Praça da República, na capital paulista. 1970 – O marchand alemão Werner Arnhold levou para a Europa trabalhos seus, recebidos com entusiasmo. 1971 – Realizou mostra individual nas dependências do Serviço de Divulgação e Relações Culturais dos EUA - USIS, em São Paulo, por recomendação do físico e crítico de arte Mário Schemberg. 1972 – Matriculou-se num centro de alfabetização, em São Paulo. Pouco depois foi acometida de um câncer fatal. 1977 – A editora italiana Giulio Bolaffi publicou a monografia Maria Auxiliadora da Silva, com texto de Max Fourny, um especialista em arte primitivista. 1978 – A obra de Maria Auxiliadora foi enfocada no livro Mitopoética de 9 Artistas Brasileiros, de Lélia Coelho Frota.

Outras imagens
Colaboradores com informações sobre este artista

AQUINO, Flávio de. Aspectos da pintura primitiva brasileira. apresentação de Geraldo Edson de Andrade, Spala, Rio de Janeiro, 1978. CAVALCANTI e Ayala. Dicionário Brasileiro de Artistas Plásticos. MEC/INL, 1973-77 LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário Crítico da Pintura no Brasil. p. 309, Artlivre, 1988. PONTUAL, Roberto. Dicionário das artes plásticas no Brasil. Civilização Brasileira, 1969. SCHENBERG, Mário. Pensando a arte. Nova Stella, São Paulo, 1988. < http://www.artcanal.com.br/oscardambrosio/auxiliadora>

Colabore conosco
Você tem informações sobre este artista ou acredita que algum dos tópicos do conteúdo está errado?
clique aqui e colabore conosco enviando sua sugestão, correção ou comentários.
Nome
Email
Mensagem
Enviar
Obras deste artista