Carregando... aguarde
Beatriz Milhazes quadros do - Guia das Artes
Beatriz Milhazes
Informações
Nome:
Beatriz Milhazes
Nasceu:
Rio de Janeiro - RJ - Brasil, 1960
Biografia

Beatriz Ferreira Milhazes (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1960). Pintora, gravadora e ilustradora. Sua obra se caracteriza pelo uso da ornamentação, constituída, sobretudo, por arabescos e motivos ornamentais.

Milhazes ingressa no curso de comunicação social da Faculdade Hélio Alonso, no Rio de Janeiro, na década de 1970. Gradua-se em 1981 e, em paralelo, realiza sua formação em artes plásticas na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV/Parque Lage), no período de 1980 a 1983. Além da pintura, dedica-se também à gravura e à ilustração. Suas obras da década de 1980 revelam uma tensão entre figura e fundo, entre representação e ornamentalismo. Posteriormente, faz opção por uma pintura de caráter decididamente bidimensional.

De 1995 a 1996, estuda gravura em metal e linóleo no Atelier 78, com Solange Oliveira e Valério Rodrigues (1953). Atua como professora de pintura até 1996 no Parque Lage. A artista revela sensibilidade no uso da cor, como nas obras O Príncipe Real (1996) ou As Quatro Estações (1997). Em 1997, ilustra o livro As Mil e Uma Noites à Luz do Dia: Sherazade Conta Histórias Árabes, de Katia Canton (1962). Participa das exposições que caracterizam a Geração 80 – grupo de artistas que buscam retomar a pintura em contraposição à vertente conceitual dos anos de 1970, e tem por característica a pesquisa de novas técnicas e materiais. Sua obra faz referências ao barroco, à obra de Tarsila do Amaral (1886-1973) e Burle Marx (1909-1994), a padrões ornamentais e à art déco.

Na opinião do crítico Frederico Morais (1936), Beatriz Milhazes revela, desde o início da carreira, a vontade de enfrentar a pintura como fato decorativo, aproximando-se da obra de artistas como Henri Matisse (1869-1954). Interessa-se pela profusão da ornamentação barroca, sobretudo pelo ritmo dos arabescos e pelos motivos ornamentais presentes na obra de Guignard (1896-1962).

Desde os anos 1990, Milhazes se destaca em mostras internacionais nos Estados Unidos e na Europa e integra acervos de museus como o Museum of Modern Art (MoMa), Solomon R. Guggenheim Museum e The Metropolitan Musem of Art (Met), em Nova York, do Museo Reina Sofia, em Madrid, entre outros.

Milhazes trabalha frequentemente com formas circulares, sugerindo deslocamentos ora concêntricos ora expansivos. Na maioria dos trabalhos, prepara imagens sobre plástico transparente, que são descoladas, como películas, e aplicadas na tela por decalque. Aglomera as imagens, preenchendo o fundo e retocando a imagem final. Os motivos e as cores são transportados para a tela por meio de colagens sucessivas, realizadas com precisão.

A transferência das imagens da superfície lisa para a tela faz com que a gestualidade seja quase anulada. A matéria pictórica obtida por numerosas sobreposições não apresenta, entretanto, nenhuma espessura: os motivos de ornamentação e arabescos são colocados em primeiro plano. O olhar do espectador é levado a percorrer todas as imagens, acompanhando a exuberância gráfica e cromática presente em seus quadros.

Na tela Mares do Sul (2001), Milhazes estabelece um jogo com o gênero da paisagem. Em trabalhos mais recentes, utiliza constantemente formas como estrelas e espirais, e as cores tornam-se mais luminosas, como em Nazaré das Farinhas (2002). Em 2013, realiza a mostra panorâmica Meu Bem, em comemoração aos 30 anos de carreira, no Paço Imperial, Rio de Janeiro.

Cronologia

Entre suas individuais:

1985 e 87 - Galeria Cesar Aché, Rio de Janeiro.

1988 - Galeria Suzana Sassoun, São Paulo.

1989 - Espaço Pasárgada, Recife.

1993 - Sala Alternativa de Artes Visuales, Caracas.

1994 - Ramis F. Barquet Gallery, Monterrey, México.

1994 - Galeria Anna Maria Niemeyer, Rio de Janeiro.

1994 e 95 - Paço Imperial, idem.

1996 - Edward Thorp Gallery, Nova York.

1996 - Galeria Camargo Vilaça, São Paulo.

1997 - Galerie Barbara Faber, Amsterdã, Holanda.

1997 - Museu Alfredo Andersen, Curitiba; Galeria Elba Benitez, Madri; Edward Thorp Gallery, Nova York.

1998 - Galerie Natalie Obadia, Paris.

1998 - Paço Imperial, Rio de Janeiro; Galeria Camargo Vilaça, São Paulo.

1999 - Durham Press, Inc., Durham, EUA; Stephen Fredman, Londres.

2000 - Galeria OMR, Cidade do México.

2001 - Birmingham Museum of Art. Birmingham, EUA; Galeria Pedro Cera, Lisboa; Galeria Elba Benítez.

2002 – Centro Cultural do Banco do Brasil, Rio de Janeiro.

2004 - Galeria Fortes Vilaça, São Paulo. Entre suas coletivas:

1983 - Arte na Rua, Brasília.

1984 - Como Vai Você, Geração 80?, EAV/Parque Lage, Rio de Janeiro, Prêmio aquisição.

1985 – Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro.

1986 - Museo de Arte Moderno de Buenos Aires.

1987 - 5º Salão Paulista de Arte Contemporânea, na Pinacoteca do Estado.

1988 - Palácio das Artes, Belo Horizonte.

1989 - 2ª Bienal Internacional de Cuenca, Equador.

1990 - Museu de Arte de Brasília.

1991 - Fundación Museo de Bellas Artes, Caracas.

1992 - Paço Imperial, Rio de Janeiro.

1993 - Casa da Imagem, Curitiba.

1993 - Museu de Guadalajara, México; Casa da América, Madri; National Museum of Women in the Arts, Washington.

1994 - Feira Internacional de Caracas.

1996 - Palácio das Artes, Belo Horizonte.

1997 - Museo de Bellas Artes, Caracas.

1998 - Itaú Cultural, Belo Horizonte.

1998 - Itaú Cultural Campinas, SP; Galeria de Arte Marina Potrich, Goiânia.

1998 - 11ª Bienal de Sydney, Austrália.

1999 - Kemper Museum of Contemporary Art, Kansas City, EUA; Culturgest, Lisboa.

2000 - Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia, Madri; MoMA, Nova York.

2001 - Tate Liverpool, Inglaterra; Paço Imperial, Rio de Janeiro; Casa das Rosas, São Paulo.

2002 - Espaço Cultural Contemporâneo Venâncio, Brasília; Museu de Arte Contemporânea, Niterói, RJ.

2003 - 50ª Bienal de Veneza, Itália.

2004 - Espaço Cultural CPFL, Campinas, SP; Onde Está Você, Geração 80?, Centro Cultural do Banco do Brasil, Rio de Janeiro; Bienal de São Paulo.

2005 - Instituto Tomie Ohtake, São Paulo.

Exposições Coletivas


1983 - Brasília DF - Arte na Rua
1983 - Rio de Janeiro RJ - 6º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1983 - Rio de Janeiro RJ - 6º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1983 - Rio de Janeiro RJ - Pintura, Pintura, na Fundação Casa de Rui Barbosa
1983 - São Paulo SP - Arte na Rua
1984 - Fortaleza CE - 7º Salão Nacional de Artes Plásticas
1984 - Rio de Janeiro RJ - 7º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ - prêmio aquisição
1984 - Rio de Janeiro RJ - Arte na Rua 2
1984 - Rio de Janeiro RJ - Como Vai Você, Geração 80?, na EAV/Parque Lage - prêmio aquisição
1985 - Rio de Janeiro RJ - 8º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1985 - Rio de Janeiro RJ - Arte Construção: 21 artistas contemporâneos, na Galeria do Centro Empresarial
1986 - Buenos Aires (Argentina) - 1ª Bienal Latino Americana de Arte sobre Papel, no Museo de Arte Moderno de Buenos Aires
1986 - Guadalajara (México) - Pinturas: escrete volador
1986 - Niterói RJ - 4 Pintores, na Galeria de Arte da Universidade Federal Fluminense
1986 - Rio de Janeiro RJ - Novas Impressões, na Marcia Barrozo do Amaral Galeria de Arte
1986 - Rio de Janeiro RJ - Território Ocupado, na EAV/Parque Lage
1987 - São Paulo SP - 5º Salão Paulista de Arte Contemporânea, na Pinacoteca do Estado
1988 - Belo Horizonte MG - Subindo a Serra, na Fundação Clóvis Salgado. Palácio das Artes
1988 - Curitiba PR - Coletiva, no Museu Municipal de Arte
1988 - Rio de Janeiro RJ - 10º Salão Nacional de Artes Plásticas, na Funarte - prêmio aquisição
1988 - Rio de Janeiro RJ - 88 x 68: um balanço dos anos
1988 - Rio de Janeiro RJ - Coletiva, no MAC/USP, na Funarte
1988 - Rio de Janeiro RJ - Coletiva, no MAM/RJ
1988 - Rio de Janeiro RJ - Dois a Dois, na Galeria do Consulado Geral da Argentina
1988 - São Paulo SP - Coletiva, no MAC/USP
1989 - Cuenca (Equador) - 2ª Bienal Internacional de Cuenca - referência especial do júri
1989 - Rio de Janeiro RJ - O Mestre e a Mostra, na EAV/Parque Lage
1989 - Rio de Janeiro RJ - Rio Hoje, no MAM/RJ
1989 - São Paulo SP - Cristina Canale, Cláudio Fonseca, Beatriz Milhazes, Luiz Pizarro e Luiz Zerbini, no MAC/USP
1990 - Brasília DF - Prêmio Brasília de Artes Plásticas, no MAB/DF - Prêmio Associação dos Bancos Comerciais
1990 - Rio de Janeiro RJ - O Rosto e a Obra, na Galeria Ibeu Copacabana
1990 - Rio de Janeiro RJ - Projetos Arqueos, na Fundição Progresso
1991 - Caracas (Venezuela) - Brasil: la nueva generación, na Fundación Museo de Bellas Artes
1991 - Rio de Janeiro RJ - BR/80. Pintura Brasil Década 80, na Fundação Casa França-Brasil
1991 - Rio de Janeiro RJ - Processo nº 738.765-2, na EAV/ Parque Lage
1992 - Caracas (Venezuela) - América, na Sala Alternativa Artes Visuales
1992 - Rio de Janeiro RJ - 1º A Caminho de Niterói: Coleção João Sattamini, no Paço Imperial
1992 - Rio de Janeiro RJ - Brazilian Contemporary Art, na EAV/Parque Lage
1992 - Rio de Janeiro RJ - Eco Art, no MAM/RJ - prêmio Eco-Art
1992 - São Paulo SP - João Satamini/Subdistrito, na Casa das Rosas
1993 - Curitiba PR - Brasil Contemporâneo, na Casa da Imagem
1993 - Guadalajara (México) - Diálogo del Siete Puntos, no Museu de Guadalajara
1993 - Madri (Espanha) - Eco Art, na Casa da América
1993 - Niterói RJ - 2º A Caminho de Niterói: Coleção João Sattamini, no MAC-Niterói
1993 - Rio de Janeiro RJ - Coleção Gilberto Chateaubriand, no MAM/RJ
1993 - Rio de Janeiro RJ - O Papel do Rio, no Paço Imperial
1993 - São Paulo SP - A Caminho do Museu, no CCSP
1993 - São Paulo SP - Encontros e Tendências, no MAC/USP
1993 - São Paulo SP - Gravuras, no Espaço Namour
1993 - Washington D.C. (Estados Unidos) - Ultramodern: the art of contemporary Brazil, no National Museum of Women in the Arts
1994 - Caracas (Venezuela) - Feira Internacional de Caracas
1994 - Nova York (Estados Unidos ) - Slant of Light - International Art Exhibition
1994 - Rio de Janeiro RJ - 14º Salão Nacional de Artes Plásticas, no Palácio Gustavo Capanema
1994 - Rio de Janeiro RJ - Sob o Signo de Gêmeos, na Galeria Saramenha
1994 - Rio de Janeiro RJ - The Exchange Show: doze pintores de San Francisco e do Rio de Janeiro, no MAM/RJ
1994 - San Francisco (Estados Unidos) - The Exchange Show: twelve painters from San Francisco and Rio de Janeiro, no Yerba Buena Center for the Arts
1994 - San Juan (Puerto Rico) - Pequeño Formato Latino-Americano 94, no Luigi Marrozzini Gallery
1994 - San Juan (Puerto Rico) - Pequeño Formato Latino-Americano 94, na Luigi Marrozzini Gallery
1995 - Caracas (Venezuela) - Transatlantica-América-Europa Non Representativa, no Museo Alejandro Otero
1995 - Genebra (Suíça) - Regards d'Amerique Latine, na Galerie Regard
1995 - Pittsburg (Estados Unidos) - Carnegie International, no The Carnegie Museum of Art
1995 - Rio de Janeiro RJ - 24º Panorama de Arte Brasileira, no MAM/RJ
1995 - Rio de Janeiro RJ - Projeto Finep, no Paço Imperial
1995 - São Paulo SP - 24º Panorama de Arte Brasileira, no MAM/SP
1995 - São Paulo SP - Anos 80: o palco da diversidade, na Galeria de Arte do Sesi
1995 - São Paulo SP - Coletiva, na Galeria Camargo Vilaça
1996 - Belo Horizonte MG - Impressões Itinerantes, no Palácio das Artes
1996 - Caracas (Venezuela) - Yole, Milhazes, Duarte, no Museo Alejandro Otero
1996 - Madri (Espanha) - Brasil Contemporâneo, na Casa de América Latina
1996 - Niterói RJ - Arte Contemporânea Brasileira na Coleção João Sattamini, no MAC - Niterói
1996 - Rio de Janeiro RJ - Guignard: a escolha do artista, no Paço Imperial
1996 - Rio de Janeiro RJ - Pequenas Mãos, no Paço Imperial
1996 - São Paulo SP - Arte Brasileira Contemporânea: doações recentes/96, no MAM/SP
1996 - São Paulo SP - O Excesso, no Paço da Artes
1996 - São Paulo SP - Ouro de Artista, na Galeria Casa Triângulo
1996 - São Paulo SP - Pequenas Mãos, no Centro Cultural Alumini
1996 - Washington D.C. (Estados Unidos) - Theories of the Decorative, na Baumgarther Galleries
1997 - Caracas (Venezuela) - Desde el Cuerpo: alegorias de lo feminino, no Museo de Bellas Artes
1997 - Curitiba PR - A Arte Contemporânea da Gravura, no Museu Metropolitano de Arte de Curitiba
1997 - Nova York (Estados Unidos) - New Editions and Works on Paper, na Betsy Senior Gallery
1998 - Belo Horizonte MG - A Paisagem Urbana Contemporânea, no Itaú Cultural
1998 - Campinas SP - A Paisagem Urbana Contemporânea, no Itaú Cultural Campinas
1998 - Caracas (Venezuela) - Trio, na Sala Alternativa de Artes Visuales
1998 - Goiânia GO - Os Anos 80, na Galeria de Arte Marina Potrich
1998 - Houston (Estados Unidos) - Abstract Painting, Once Removed, no Contemporary Arts Museum
1998 - Los Angeles (Estados Unidos) - Painting Language, no L. A . Lover
1998 - Niterói RJ - Espelho da Bienal, no MAC-Niterói
1998 - Penápolis SP - A Paisagem Urbana Contemporânea, na Galeria Itaú Cultural
1998 - Penápolis SP - A Paisagem Urbana Contemporânea, na Galeria Itaú Cultural
1998 - Rio de Janeiro RJ - 16º Salão Nacional de Arte: Sala Especial, no MAM/RJ
1998 - Rio de Janeiro RJ - 16º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ
1998 - San Francisco (Estados Unidos) - Durham Press: 10 years anniversary, na De Marcel Sitcoske Gallery
1998 - São Paulo SP - 24ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1998 - São Paulo SP - A Paisagem Urbana Contemporânea, no MAM/SP
1998 - São Paulo SP - Hanging, na Galeria Camargo Vilaça
1998 - São Paulo SP - O Moderno e o Contemporâneo na Arte Brasileira: Coleção Gilberto Chateaubriand-MAM/RJ, no Masp
1998 - Sydney (Austrália) - 11ª Biennale of Sydney
1999 - Kansas City (Estados Unidos) - Abstract Painting, Once Removed, no Kemper Museum of Contemporary Art
1999 - Lisboa (Portugal) - Transvanguarda Latino-Americano, no Culturgest
1999 - Niterói RJ - Coletiva, na Galeria de Arte UFF
1999 - Nova York (Estados Unidos) - Recent Prints, na Betsy Senior Gallery
1999 - Nova York (Estados Unidos) - Woman Printmakers, na Jem Kempner Gallery
1999 - Paris (França) - Painting, na Galerie Natalie Obadia
1999 - Rio de Janeiro RJ - A Imagem do Som de Chico Buarque, no Paço Imperial
1999 - Rio de Janeiro RJ - Mostra Rio Gravura. Impressões Contemporâneas, no Paço Imperial
1999 - São Paulo SP - Cotidiano/Arte: Objeto Anos 90, no Itaú Cultural
2000 - Curitiba PR - 12ª Mostra da Gravura de Curitiba. Marcas do Corpo, Dobras da Alma
2000 - Kansas City (Estados Unidos) - Universal Abstraction 2000, na Jan Weiner Gallery
2000 - Londres (Inglaterra) - Drawings, na Stephen Friedman Gallery
2000 - Madri (Espanha) - Fricciones, no Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia
2000 - Nova York (Estados Unidos) - Opulent, na Cheim & Read Gallery
2000 - Nova York (Estados Unidos) - Projects 70, no MoMA
2001 - Liverpool (Inglaterra) - Hibrid, no Tate Liverpool
2001 - Rio de Janeiro RJ - Espelho Cego: seleções de uma coleção contemporânea, no Paço Imperial
2001 - Rio de Janeiro RJ - Viva a Arte Brasileira, no MAM/RJ
2001 - Rio de Janeiro SP - Espelho Cego: seleções de uma coleção contemporânea, no Paço Imperial
2001 - São Paulo SP - Cultura Brasileira 1, na Casa das Rosas
2001 - São Paulo SP - Espelho Cego: seleções de uma coleção contemporânea, no MAM/SP
2001 - São Paulo SP - Rotativa 01, na Galeria Fortes Vilaça
2001 - São Paulo SP - Trajetória da Luz na Arte Brasileira, no Itaú Cultural
2001 - Viena (Áustria) - Poster of the Years to Come, no Portfolio Kunst
2002 - Brasília DF - Fragmentos a Seu Ímã, no Espaço Cultural Contemporâneo Venâncio
2002 - Niterói RJ - Diálogo, Antagonismo e Replicação na Coleção Sattamini , no MAC-Niterói
2002 - Rio de Janeiro RJ - Arquipélagos: o universo plural do MAM, no MAM/RJ
2002 - Rio de Janeiro RJ - Caminhos do Contemporâneo 1952-2002, no Paço Imperial
2002 - São Paulo SP - Coleção Metrópolis de Arte Contemporânea, na Pinacoteca do Estado
2002 - São Paulo SP - Mapa do Agora: arte brasileira recente na Coleção João Sattamini do Museu de Arte Contemporânea de Niterói, no Instituto Tomie Ohtake
2002 - São Paulo SP - Ópera Aberta: celebração, na Casa das Rosas
2002 - São Paulo SP - Paralela, em Galpão localizado na Avenida Matarazzo, 530, São Paulo
2003 - São Paulo SP - 2080, no MAM/SP
2003 - São Paulo SP - Meus Amigos, no Espaço MAM Villa-Lobos
2003 - Veneza (Itália) - 50ª Bienal de Veneza, na Arsenale e Giardini della Biennale
2004 - Campinas SP - Coleção Metrópolis de Arte Contemporânea, no Espaço Cultural CPFL
2004 - Rio de Janeiro RJ - Carnaval, no CCBB
2004 - Rio de Janeiro RJ - Onde Está Você, Geração 80?, no CCBB
2004 - São Paulo SP - 26ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
2004 - São Paulo SP - Bazar de Verão, na Galeria Fortes Vilaça
2004 - São Paulo SP - Coleção Metrópolis de Arte Contemporânea, no Espaço Cultural CPFL
2004 - São Paulo SP - Still Life / Natureza Morta, na Galeria de Arte do Sesi
2005 - São Paulo SP - Arte em Metrópolis, no Instituto Tomie Ohtake

Bibliografia


ARTE e artistas plásticos no Brasil 2000. Posfácio Luiz Armando Bagolin. São Paulo: Meta, 2000. 227 p., il. color.

BASBAUM, Ricardo. Planos múltiplos. Guia das Artes, São Paulo: Casa Editorial Paulista, v. 5, n. 20, 1990.

BR 80: Pintura Brasil Década 80. Apresentação Ernest Robert de Carvalho Mange. São Paulo: Instituto Cultural Itaú, 1991. 112 p., il. color.

CRISTINA Canale, Cláudio Fonseca, Beatriz Milhazes, Luiz Pizarro e Luiz Zerbini. São Paulo: MAC/USP, 1989. il. p.b. color., fot.

D´OLIVEIRA, Fernanda. Geração 80: símbolos e mitos na pintura de Beatriz Milhazes. Diário de Pernambuco, Recife, 3 nov. 1989.

DESCENDO a serra: dez artistas de Minas Gerais no Rio de Janeiro. Subindo a serra: dez artistas do Rio de Janeiro em Minas Gerais. Apresentação de Marcus de Lontra Costa. Rio de Janeiro: Centro Cultural Cândido Mendes, 1988.

LEITE, José Roberto Teixeira. 500 anos da pintura brasileira. Produção Raul Luis Mendes Silva, Eduardo Mace; design Alessandra Gerin; trilha sonora Roberto Araújo. [S.l.]: Log On Informática, 1999. 1 CD-ROM.

MILHAZES, Beatriz. Beatriz Milhazes. Versão em inglês Stephen Berg. São Paulo: Galeria Camargo Vilaça, 1993. 16 p., il. color.

MILHAZES, Beatriz. Beatriz Milhazes: pintura e escultura. Rio de Janeiro: Galeria Cesar Aché, 1987. , il. color.

MILHAZES, Beatriz. Mares do sul. Apresentação Francisco Weffort, Frances Reynolds Marinho; tradução Izabel Murat Burbridge, Michael Asburg, Odile Cisneros. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil, 2002. 190 p., il. color.

MILHAZES, Beatriz. Quem você copia? Copiarte. Arte em São Paulo, n. 32, set. /out. 1985.

MORAIS, Frederico. Beatriz Milhazes: decor não é crime. Galeria Revista de Arte, São Paulo, n.25, pp.56-59, 1991.

PINTURAS: escrete volador. São Paulo: Subdistrito Comercial de Arte, 1986. il. p.b.

TERRITÓRIO ocupado. Apresentação Marcus de Lontra Costa. Rio de Janeiro: Escola de Artes Visuais do Parque Lage, 1986. [88 p.], il. p.b.

[1] A Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV) desenvolve, desde a sua fundação, em 1975, programas de ensino em arte contemporânea voltados para a formação de artistas, curadores, pesquisadores, técnicos e interessados em estabelecer ou aprofundar o contato com as artes visuais, a tal ponto de representar a própria história das artes visuais e da cultura no Rio de Janeiro desde a segunda metade da década de 70.

Fundada por Rubens Gerchman, a EAV substituiu o Instituto de Belas Artes, escola de ensino tradicional, e passou a ocupar a mansão em estilo eclético, projetada pelo arquiteto Mário Vodrei em 1920.

Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), o prédio foi residência do armador brasileiro Henrique Lage e de sua esposa, a cantora lírica italiana Gabriela Besanzoni. Centro de referência no ensino das artes visuais, e atualmente dirigida por Claudia Saldanha a EAV tem como base também a criação, pesquisa e formação interdisciplinar com atividades que incluem música, teatro, dança, cinema, vídeo, fotografia e novas tecnologias.

Leia mais:

1.www.cultura.rj.gov.br.

2.“Revista Módulo Especial”; Catálogo oficial da Exposição “Como vai Você, Geração 80”; RJ, jul/Agosto, 1984.

[2] "Está tudo aí", afirmam Marcus de Lontra Costa (1954) e Paulo Roberto Leal (1946-1991), "todas as cores, todas as formas, quadrados, transparências, matéria, massa pintada, massa humana, suor, aviãozinho, geração serrote, radicais e liberais, trans-vanguarda, punks, panquecas, pós-modernos, neo-expressionistas (...)."

[3] Leia mais:

3.“Como vai você, Geração ’80?”; Luciana de Almeida Leite e Profª. Daisy V.M. Peccinini.

4.“Anos 80, Embates de uma geração”; Ligia Canongia; Barléu edições Ltda.; RJ.

[4] “A Trans-Vanguarda Italiana”; Achille Bonito Oliva, 1980.

[5] Leia mais:

Tadeu Chiarelli; ARS (São Paulo); vol.8, no.15, São Paulo, 2010.

[6] O importante crítico de arte Roberto Pontual (1939-1992) no seu livro “Explode Geração!” caracteriza a reinterpretação do Barroco como sinal de pura brasilidade da artista que obviamente já conhecia a Trans-vanguarda e o pós-Neo-Impressionismo, como movimentos artísticos internacionais, e que poderiam tê-la influenciado bem como aos seus coetâneos, já quando freqüentava o Parque Lage (e.g.: Obra “sem título” de Beatriz Milhazes; ast, 100x80, 1989). Sabemos que a “Geração 80” também se apropriou de influências do cenário internacional. Não vejo demérito que aquele grupo de artistas oriundos em sua maioria daquela Instituição, não tenha utilizado integralmente bases brasileiras em suas obras... . Martin Grossmann fala sobre o “a expansão dos chamados estudos culturais na UK e EE.UU. e o debate em torno do multiculturalismo... .”

In: “Anos 80; Embates de uma geração”; Ligia Canongia, Barléu Editores Ltda., RJ.

Guinle – que muitos consideram o melhor teórico dos anos ’80 – já havia declarado que “o que estava em questão no país, como de resto na produção mundial, era a retomada da história da arte, não mais como uma evolução de ‘ismos’ que se sucedem e se instauram em programas estéticos fechados mas como um banco de dados a ser reciclado em fragmentos dispersos e simultâneos”.

Jorge Eduardo Guinle Filho (Nova Iorque, 1947-1987) foi um pintor, desenhista e gravador brasileiro nascido nos EE.UU. A sua produção, que se concentra nos seus últimos sete anos de vida sob a forma de pintura, chama atenção pelo vigor e pela complexa referência aos movimentos artísticos modernos e contemporâneos. Desse modo, o seu trabalho constitui-se um importante elo incentivador da revalorização da pintura, promovida por um grupo de jovens artistas conhecido como “Geração 80”.

Outras imagens
Colabore conosco
Você tem informações sobre este artista ou acredita que algum dos tópicos do conteúdo está errado?
clique aqui e colabore conosco enviando sua sugestão, correção ou comentários.
Nome
Email
Mensagem
Enviar
Peças sendo leiloadas, compre agora
iArremate leilões
18 de Maio às 20:00

BEATRIZ MILHAZES
DA SÉRIE “MARGARIDAS”.
ACRILICA SOBRE TELA E COLAGEM
ASSINADO E DATADO 81 NO VERSO.
130 X 120 CM. (CADA).
Obras deste artista