Carregando... aguarde
Terra a vista e pe na LuaZiraldo nos 100 anos do Museu Historico Nacional--- - Guia das Artes
“Terra à vista e pé na Lua” - Ziraldo nos 100 anos do Museu Histórico Nacional
Faltam 1 dias para o início
“Terra à vista e pé na Lua” - Ziraldo nos 100 anos do Museu Histórico Nacional
Quando acontece
dom
seg
ter
qua
qui
10:00
16:00
sex
10:00
16:00
sab
10:00
16:00
Local
Museu Histórico Nacional
Praça Marechal Âncora, s/nº - Centro
Conteúdo

 

Abertura: dia 20 de novembro de 2021

Exposição que marca o início das comemorações do centenário do Museu Histórico Nacional em 2022, TERRA À VISTA E PÉ NA LUA tem como foco a aventura humana rumo ao desconhecido. Pelo olhar visionário de Ziraldo – artista atemporal cuja produção se faz presente no imaginário de brasileiros e brasileiras de todas as idades – o visitante navegará do ‘descobrimento’ do Brasil às conquistas espaciais, passando por obras do artista que se unem conceitualmente às coleções do museu via códigos QR espalhados pela cenografia.

A trajetória de Ziraldo (livros, personagens, ideias ou mesmo objetos de trabalho) reconecta o visitante, de forma instigante e criativa, à história de um Brasil construído diariamente por todos nós. A curadoria e direção de arte ficam a cargo de Adriana Lins e Guto Lins (Manifesto), que contaram com o apoio e a participação do Instituto Ziraldo, enquanto a cenografia é assinada por Susana Lacevitz e Philppe Midani (Cenografia.Net).

Segundo Vania Bonelli, diretora Interina do Museu Histórico Nacional, para dar início às comemorações do centenário do MHN em 2022, “a fantástica criatividade” de Ziraldo e seus super-heróis é uma “verdadeira odisseia”.

“Ao retornarmos à alegria, convidamos as mais diversas gerações para navegarem no tempo e no espaço, reafirmando a frase do Menino Maluquinho: ‘que maluquinho que nada! Eu sou danado de feliz!'”, conclui.

 

A exposição faz parte do Plano Anual 2021 do museu, que tem o apoio da Associação dos Amigos do MHN e patrocínio do Instituto Cultural Vale (ICV) - por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

 “O Instituto Cultural Vale tem enorme alegria de fazer parte desta jornada de descobertas proposta pela exposição Terra à Vista e Pé na Lua. Ao unir as criações de Ziraldo ao acervo do Museu Histórico Nacional, a mostra convida públicos de todas as idades a reler o passado e recriar o presente de forma lúdica, contando histórias de vários Brasis. Para o Instituto, que tem quatro espaços culturais próprios, gratuitos e abertos ao público, e que patrocina projetos culturais em todas as regiões do país, faz muito sentido estar ao lado de iniciativas como essa, que criam oportunidades de aprender, se inspirar e criar em contato a história e com a arte”, afirma Christiana Saldanha, Gerente do Instituto Cultural Vale.

A exposição

Logo na entrada, no pátio Minerva, painéis fazendo referência a livros gigantes, em tamanhos variados - alguns medindo até dois metros -, apresentam imagens icônicas de Ziraldo nas temáticas quadrinhos, cartazes, Menino Maluquinho e Zeróis, direcionam os visitantes para a entrada da exposição, que se espalha pela fachada e pátio dos Canhões, além de três galerias de exposições temporárias.

Na Sala 1, a Área Caravela compreende o “descobrimento” do Brasil, chegar em um mundo desconhecido, solar, passando pelo humor e alegria do Menino Maluquinho, e pelo Espaço Imprensa – quando Ziraldo chega ao Rio de janeiro e começa a se apresentar, conquistando seu público – área representada na exposição por seis longas páginas que reproduzem rotativas de jornal, expondo as tiras, os quadrinhos, os Zeróis e as charges de Ziraldo que circularam pela imprensa do Brasil. Já a Sala 2 destina-se à area Lua, com o personagem Flicts, astronautas e os planetas. É uma mistura de nave espacial com o próprio espaço sideral, tendo vitrine com originais e livros relativos ao tema.

Segundo Vania Bonelli, diretora Interina do Museu Histórico Nacional, para dar início às comemorações do centenário do MHN em 2022, “a fantástica criatividade” de Ziraldo e seus super-heróis é uma “verdadeira odisseia”.

“Ao retornarmos à alegria, convidamos as mais diversas gerações para navegarem no tempo e no espaço, reafirmando a frase do Menino Maluquinho: ‘que maluquinho que nada! Eu sou danado de feliz!'”, conclui.

 

Na Sala 3, a área Universo Ziraldo abriga a prancheta do artista e uma simulação de seu estúdio de trabalho, com livros, estantes, e na TV da parede – que ficava sempre ligada enquanto ele produzia – Ziraldo conversa com o visitante, ao mesmo tempo em que desenha, no documentário feito em 1975 por Tarcisio Vidigal.

Tanto a mesa quanto a cadeira e a máquina de escrever pertencem ao acervo do artista. É nesta sala que também fica a galeria dos personagens: alguns rostos conhecidos de todos, outros nem tanto, e espelhos para o próprio visitante se ver e se sentir fazendo parte deste grupo. Na parede oposta aos livros infantis, os super-heróis, as onomatopeias e o próprio Ziraldo – numa caricatura em tamanho real – convidam o visitante a sentar para uma prosa. Personagens em escala humana ocuparão a “Praça da Amizade”, no pátio dos Canhões - que nessa versão atiram flores.

Hiperlinks, em diversos momentos do percurso da mostra, disponibilizam códigos QR que darão acesso a informações complementares. Um exemplo é o código indicado pela imagem do Menino Maluquinho no painel de entrada à Sala 1, que levará ao link de acesso do vídeo oficial “Terra à Vista e Pé na Lua”. A apresentação da exposição terá legendas em português e tradução em libras e o link também ficará disponível no Youtube do MHN, favorecendo a divulgação virtual da mostra.

 

“Terra à Vista e Pé na Lua convida o visitante para uma volta ao mundo a bordo da espaçonave pilotada por Ziraldo Alves Pinto, artista navegante de seu tempo, de nosso tempo, de todos os tempos. Um visionário que manteve os pés no chão de sua Caratinga natal – e depois, do Rio de Janeiro – mas sempre com a cabeça na Lua!
E vem nos alimentando a alma com uma criatividade estonteante que nos deixa mareados. A obra de Ziraldo é como o vento que segue em várias direções sem perder a força e nos leva rumo a nós mesmos em um passeio pela história do Brasil, guiados por um mapa ilustrado com amor e humor. Ziraldo singrou diversos mares e sua praia é a mente fértil onde se plantando tudo dá. Seu desenho ágil e inteligente e seu domínio técnico são um marco divisório nas artes gráficas e na ilustração brasileira, uma bússola que orientou e dá sentido à carreira de muitos outros navegantes que vieram depois dele. Seu trabalho, que é fruto de muita pesquisa e perseverança, aqui nessa exposição ancora em várias ilhas e atiça nossa imaginação para uma visita pelo acervo do Museu Histórico Nacional. Uma visita que começa aqui mas não termina nunca, pois o tempo não pára e o mundo é pequeno para um marinheiro curioso e atento. Seus personagens estão tatuados em nossos corações, seus livros estão gravados em nosso convés e a bandeira que tremula no nosso mastro é uma folha de papel. Ziraldo é isso tudo e isso é coisa de museu!"
, dizem Adriana Lins e Guto Lins, curadores da exposição.

Sobre Ziraldo

 

Ziraldo Alves Pinto, brasileiro do mundo, nasceu em Caratinga, Minas Gerais, em 1932. Com reconhecimento nacional e internacional desde o final dos anos 1960, vem atuado profissionalmente por sete décadas nos contextos social, político, ambiental e educacional em mídias jornalísticas, literárias e de entretenimento. Ícone cultural de nosso tempo, seu acervo tornou-se referência para a identidade e memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira. Pioneiro no design, revolucionário na literatura infanto-juvenil, ativamente engajado em temas sociais e políticos, um intuitivo e criativo crítico de costumes, Ziraldo atinge contextos universais e atemporais.

 

Seus livros, combinando texto e imagem na estética que acabou por definir sua marca, trazem, desde sempre, a ecologia como prática de sobrevivência e solidariedade; a generosidade sem fim do verdadeiro amigo; o universo das palavras ou mesmo das estrelas; a criatividade maluquinha da criança; o amor desmedido das mães, das tias, do avô. Trazem a cor como característica e identidade, nunca como limitação. E memória e afeto, na construção do indivíduo. Em setembro de 2018, Ziraldo sofreu um acidente vascular cerebral que o impediu de voltar a sua prancheta de trabalho e o impossibilitou de visitar, na época, as duas exposições que estavam sendo montadas, em São Paulo, em sua homenagem. Hoje, três anos depois, ele se encontra mais forte e vem acompanhando virtualmente, com entusiasmo e curiosidade, cada etapa da construção do projeto “Terra à Vista e Pé na Lua”.

 

Ação educativa virtual e presencial - Caderno de Atividades: Me leve pra casa! Me leve pra escola! Me leve com você!

Todos os sábados, acontecerão ações educativas vituais e presenciais para o público visitante. Suporte lúdico baseado no discurso narrativo da exposição TERRA À VISTA E PÉ NA LUA, tem como objetivo proporcionar a interação da criança com o material exposto. Será oferecido em versão impressa, distribuída às crianças visitantes e também disponibilizado on-line gratuitamente. Aos sábados as atividades poderão ser feitas no próprio Museu com o auxílio de monitores.

 

Sobre o MHN

 

O Museu Histórico Nacional (MHN) é um museu dedicado à história do Brasil. Localizado no centro histórico da cidade do Rio de Janeiro (RJ), foi criado no ano de 1922, pelo então presidente Epitácio Pessoa (1865-1942), como parte das comemorações do centenário da Independência do Brasil. Unidade museológica integrada à estrutura do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), autarquia do Ministério do Turismo, o MHN possui um acervo constituído por mais de 300 mil itens arquivísticos, bibliográficos e museológicos.

Suas galerias de exposição abrangem desde o período pré-cabralino até a história contemporânea do país. O espaço expositivo faz parte de um conjunto arquitetônico que se distribui por uma área de 14 mil m², à qual se somam os mais de 3 mil m² de pátios internos. O museu conta, ainda, com galerias para exposições temporárias e loja de souvenirs. Comprometido em apresentar da melhor forma possível suas coleções ao maior número de pessoas, o MHN atende escolas públicas e privadas, bem como visitantes em geral em visitas mediadas especiais.

 

Serviço

“Terra à vista e pé na Lua” - Ziraldo nos 100 anos do Museu Histórico Nacional

Abertura para convidados e imprensa: 19 de novembro 2021

Visitação: de 20 de novembro de 2021 a 20 de fevereiro de 2022.

Museu Histórico Nacional

Endereço: Praça Marechal Âncora, s/nº - Centro - RJ

Telefone: (21) 3299-0324

Site: http://mhn.museus.gov.br/

Redes sociais: @museuhistoriconacional

Funcionamento: De quinta a sábado, das 10h às 16h – entrada franca. Saiba mais em mhn.museus.gov.br.

Contato
+55 21 3299-0324

Redes sociais: @museuhistoriconacional
* Os horários podem variar em função de férias e feriados. Recomendamos ligar antes para verificar.
Fotos
Compartilhe
Comente
Mais Opções em "Rio de Janeiro"
"IMORTAL: ARTE, ALMA E FUTURO" - Criado como uma obra de arte, traz duas capas, enfatizando o movimento e a liberdade de escolha
Saiba mais
1500 BABILÔNIA GALERIA - “Redesenhos” é mostra de série inédita do fotógrafo Edouard Fraipont composta de sete imagens e um vídeo. Ele explora o conceito de fotoperformance, em parceria com a coreógrafa e bailarina Alexandra Naudet, e propõe figuras redesenhadas pelo movimento do
Saiba mais
A Gentil Carioca - Fundado em setembro de 2003 pelos artistas plásticos Ernesto Neto, Franklin Cassaro, Laura Lima e Márcio Botner, esse espaço para a arte contemporânea representa e mantém em acervo obras dos artistas Thiago Rocha Pitta, João Modé, Jarbas Lopes, Paulo Nenf
Saiba mais
A NATUREZA NA ARTE, TEMA DA 5ª EDIÇÃO DA BIENAL BELA - A NATUREZA NA ARTE, TEMA DA 5ª EDIÇÃO DA BIENAL BELA, COM ARTISTAS BRASILEIROS E EUROPEUS, CHEGA AO BRASIL APÓS EXIBIÇÃO NA FINLÂNDIA
Saiba mais
ALMACÉN GALERIA DE ARTE BARRA DA TIJUCA - Estabelecida no CasaShopping, na Barra da Tijuca, desde 1986, a galeria mantém em acervo obras de Tomie Ohtake, Cildo Meireles, Antonio Dias, Marco Coelho Benjamim, Fernando Velloso, Walter Goldfarb, Cruz-Diez, Jussara Age, Yuli Geszti, Silvio Baptista, H
Saiba mais
AMARELONEGRO ARTE CONTEMPORÂNEA - O artista curitibano Juan Parada apresenta na exposição “Teto Verde” uma grande instalação. A obra, que tem o formato de uma casa, está disposta de cabeça para baixo. Destaque para o teto verde, no qual o a terra está por cima e as plantas crescem para ba
Saiba mais
ANTIGA FÁBRICA DA BHERING - O espaço onde funcionava a ex-fábrica de chocolates Bhering, abriga 52 ateliês de artistas e 22 pequenas empresas do ramo cultural. O maquinário e as antigas instalações da fábrica servem de inspiração para criação e também são incorporados aos trabalhos
Saiba mais
ATELIER CURVELO - Instalado em um casarão de 1896 com vista para a Baia de Guanabara, em Santa Teresa, o espaço abriga criações do artista plástico Zemog e peças de sua esposa, a designer Rita Dias. Zemog usa materiais nada nobres como tampinhas de refrigerante, espelhos e
Saiba mais
BIBLIOTECA NACIONAL - O prédio, em estilo neoclássico, foi projetado pelo arquiteto Francisco Marcelino de Souza Aguiar. Inaugurado em 1910, reúne um acervo de cerca de nove milhões de peças, entre raridades como a Bíblia de Mogúncia, impressa em 1462, a edição dos Lusíadas de
Saiba mais
Circuito de arte contemporânea do museu do açude ganha obras permanentes- CIRCUITO DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO MUSEU DO AÇUDE GANHA OBRAS PERMANENTES DE WALTERCIO CALDAS, ANGELO VENOSA E JOSÉ RESENDE
Saiba mais
ESPAÇO CULTURAL MUNICIPAL SÉRGIO PORTO - O local é um dos espaços culturais mais interessantes do Rio. Integra a Rede Municipal de Teatros da Secretaria Municipal de Cultura. Tem uma programação variada, com exposições de arte, palestras, debates, workshops, espetáculos de teatro, recitais de po
Saiba mais
EXPOSIÇÃO- Autora do monumento em homenagem a Ayrton Senna convida o público a repensar a vida através de seus trabalhos.
Saiba mais
Exposição Jean Guillaume e Hugo Rodriguez -
Saiba mais
EXPOSIÇÃO “RETRATOS RELATOS” DE PANMELA CASTRO - EXPOSIÇÃO “RETRATOS RELATOS” DE PANMELA CASTRO É REABERTA AO PÚLICO NO MUSEU DA REPUBLICA, NO RIO DE JANEIRO
Saiba mais
FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA - A mansão onde está instalado o museu, construída em 1849, em estilo neoclássico, serviu de residência a Rui Barbosa (1849-1923) durante os últimos 28 anos de sua vida. Possui um acervo de 1.400 peças de mobiliário, objetos decorativos e de uso pessoal e p
Saiba mais
Galeria Valdir Teixeira -
Saiba mais
Mul.ti.plo Espaço Arte abre exposição de Marina Saleme -
Saiba mais
‘ENREDADOS’- A artista plástica Duda Oliveira abre aexposição ‘ENREDADOS’ no Centro Cultural Correios RJ com curadoria de Carlos Leal
Saiba mais
“A Natureza na Arte” -
Saiba mais
“A Natureza na Arte” -
Saiba mais