Carregando... aguarde
VÍRGULADouglas Knesse-2023-12-07 - Guia das Artes
“VÍRGULA” - Douglas Knesse
Evento encerrado
“VÍRGULA” - Douglas Knesse
Quando aconteceu
Quinta, 07 Dezembro até Sábado, 20 Janeiro
Local
Galeria Iconic
Rua Andrade Neves, 444 – Tijuca. Rio de Janeiro – RJ
Conteúdo

 

Douglas Knesse inaugura a exposição individual “Vírgula”

Tendo o símbolo da marca esportiva Nike como tema central da sua produção de 2020, o
artista Douglas Knesse inaugura no dia 07 de dezembro, às 19h, na Galeria Iconic, a exposição
individual “Vírgula”, com 16 pinturas de técnica mista que foram produzidas durante a pandemia.

 

O artista visual Douglas Knesse apresenta a exposição individual ‘Vírgula’, com abertura no dia
07 de dezembro de 2023 (quinta-feira), às 19h, na Galeria Iconic, no Rio de Janeiro.
Com curadoria de Isabella Cestare, a mostra apresenta um conjunto de 16 pinturas datadas de
2020, produzidas no período da pandemia, tendo como tema central o símbolo da marca
esportiva Nike. ‘Vírgula’, que também é o nome desta série de trabalhos, questiona a
apropriação de signos no contexto de status social e emocional, com um certo tom de
sarcasmo.
“As criações que se manifestam no universo pictórico de Douglas Knesse comunicam sua
narrativa pessoal por meio de símbolos que traduzem uma linguagem universal. Na mostra,
questões existenciais como pertencimento, status e validação social emergem na repetição de
um ícone indiscutivelmente popular, a Vírgula, logomarca da Nike. O trabalho de Knesse
rompe fronteiras ao brincar com o conhecido, e convoca o espectador de forma reflexiva e
satírica a transpassar a sua própria realidade”, descreve a curadora.
Douglas propõe uma reflexão em torno dos condicionamentos sociais, explorando as
complexidades que mediam nossos corpos e subjetividades através do uso de marcas
legitimadas como símbolos de “vitória” e “poder” dentro do emoji de smile, expressando
assim, um tensionamento entre frustrações e meras aparências.
“Durante o período da pandemia, enquanto a maioria das pessoas estava sob isolamento
social, víamos, através das redes sociais, o consumismo desenfreado por parte dos que tinham
condições financeiras mais elevadas. Esse tipo de exposição revelou uma necessidade de
explicitar o seu status e mascarar as suas tristezas, medos e anseios pelo momento em que o
mundo inteiro vivia. Mas essa construção de narrativas de ‘poder’ é cotidiana, e continua
mascarando cicatrizes e temores não tão evidentes assim”, explica Douglas.

ABSTRAÇÃO, TEXTO E ÍCONE COMO REPERTÓRIO
Com desejo de pluralizar a construção das narrativas em torno do seu repertório, Knesse
desenvolve seu trabalho de forma intuitiva. Por ter sido um jovem introspectivo e tímido, foi
estimulado por amigos a se expressar através da arte. Desde então, se dedica ao desenho e à
pintura de forma exaustiva e minuciosa, tendo o expressionismo abstrato, o texto e os ícones
registrados em diferentes suportes.
Segundo o curador Lucas Velloso, “as limitações de complexidade expressiva do emoji tentam
conter e organizar os sentimentos, mas as emoções transbordam, explodem. Frustração,
confusão e ambição entram na conta, porém o que é sombrio, como em um trap, também
vibra em cor viva”.

ESCALAS PARA O GESTUAL
Ao longo da sua trajetória, Douglas vem se ocupando de trabalhos de médio e grande porte,
como os desenvolvidos em residência artística em 2021, na praia da Barra do Cahy, em
Cumuruxatiba, sul da Bahia, onde chegou a expor nas encostas das falésias obras de
aproximadamente 6,5 metros em técnica mista sobre lona e juta costurada, expressando todo
seu gestual.
Em ‘Vírgula’, o artista produziu trabalhos em escalas menores, a fim de aprimorar a própria
técnica. São pinturas em tinta acrílica, bastão oleoso (pastel) e tinta spray sobre tela ou papel,
que vão desde 30 x 30 cm, a, no máximo, 150 x 130 cm.
Knesse se autodenomina “compulsivo” no pintar. “Estou sempre pintando muitas obras ao
mesmo tempo, são suportes e técnicas diferentes para a elaboração de cada trabalho”. Em seu
ateliê, localizado na Barra da Tijuca, zona Oeste do Rio de Janeiro, o artista recicla materiais e
assim cria um processo de ‘gambiarra’ nas obras. “No processo criativo dentro do ateliê, busco
meu traço mais inocente. A pintura veio para mim como algo terapêutico, curativo, pelo
processo de introspecção, para eu conversar comigo mesmo. A minha pesquisa é muito de
estar conectado com o divino”, define Douglas.

O ARTISTA
Douglas Knesse (1996, Rio de Janeiro - RJ, vive e trabalha em Rio de Janeiro - RJ).
Com 18 anos de idade Douglas Knesse decidiu trilhar seu caminho como artista. Fazendo suas
primeiras exposições no próprio atelier, em espaços independentes e até na praia, sua prática
é multidisciplinar desde o princípio, criando conexões com os universos do audiovisual e da
streetwear, além das produções em diversos níveis com o irmão e traper Mateca.
Em sua obra, diferentes linguagens se encontram, cravadas no contemporâneo, mas em
possíveis paralelos com legados da action painting, do expressionismo abstrato e da pop art.
Influenciado pelo acúmulo de informações do mundo digital, visíveis principalmente na
iconografia de seu trabalho, ele também cultiva interesses incomuns para o circuito de arte
contemporânea, como o Jiu-jitsu, que se desdobra na fisicalidade envolvida em suas pinturas
de grande formato.

Em seu atelier situado na Barra da Tijuca, Knesse criou um espaço de experimentação e
inclusão, onde aprimora suas manobras plásticas e desenvolve projetos de exposições e de
intervenções, frequentemente em colaborações com outrxs artistas.
Principais exposições: 2015 - Creative Moment of Brazilian Contemporary Art / AVA Gallery.
Helsinki, Finland; 2015 - Brazilian Contemporary Art / Nunes Gallery, Helsinki, Finland; 2016 -
Entre formas e sentidos - Solar Meninos da Luz Galeria, curadoria Osvaldo de Carvalho - Rio de
Janeiro; 2017 - ART WITHOUT BORDERS - AVA gallery, Helsinki - Finland; 2017 - “Retalhos” -
QGual Ipanema - Rio de Janeiro; 2017 - Carpintaria para todos - Rio de Janeiro; 2018 - Saphira
& Ventura Gallery - New York. Curadoria de Edson Barbosa; 2018 - ArtBrazil - Fort Lauderdale,
Florida; curadoria de Jade Matarazzo; 2019 - O negócio da Alma – Centro Cultural dos Correios,
Rio de Janeiro. Idealizada por Antonio Bokel e curadoria Sonia Salcedo Del Castillo; 2021 -
Spiritual Flight. Exposição individual; 2022/2023 - ESTE ART, Reginart Collections. Punta del
Este, Uruguay; 2022 – IMPULSOS. Exposição individual, Centro Cultural dos Correios. Rio de
Janeiro. Curadoria Lucas Velloso; 2022- ELIPSES. Exposição coletiva. Curadoria Lucas Velloso.
Oasis - Rio de Janeiro; 2023 – TEMPESTAS DE PEQUENA. Exposição individual. Curadoria Alex
Batista. Sala de Arte do Canto, São Paulo.

SERVIÇO
Exposição “VÍRGULA” - Douglas Knesse
Abertura: 07 de dezembro de 2023 | 19h
Visitação: Até 20 de janeiro de 2024
Segunda a sexta, das 10h às 18h. Aos sábados das 10h às 14h.
Local: Galeria Iconic - Rua Andrade Neves, 444 – Tijuca. Rio de Janeiro – RJ.
Entrada gratuita

Mais informações para a imprensa:
Ludimila de Oliveira
75 99944-2223
ludimilaoliveira30@gmail.com
(@ludimila_oliveira)

Contato
Contato: Douglas Knesse (Instagram): @douglasknesse

Galeria Iconic (Instagram): @iconic__gallery
* Os horários podem variar em função de férias e feriados. Recomendamos ligar antes para verificar.
Compartilhe
Comente
Mais Opções em "Rio de Janeiro"
Hiromi Nagakura até a Amazônia com Ailton Krenak -
Saiba mais
1500 BABILÔNIA GALERIA - “Redesenhos” é mostra de série inédita do fotógrafo Edouard Fraipont composta de sete imagens e um vídeo. Ele explora o conceito de fotoperformance, em parceria com a coreógrafa e bailarina Alexandra Naudet, e propõe figuras redesenhadas pelo movimento do
Saiba mais
A Gentil Carioca - Fundado em setembro de 2003 pelos artistas plásticos Ernesto Neto, Franklin Cassaro, Laura Lima e Márcio Botner, esse espaço para a arte contemporânea representa e mantém em acervo obras dos artistas Thiago Rocha Pitta, João Modé, Jarbas Lopes, Paulo Nenf
Saiba mais
ALMACÉN GALERIA DE ARTE BARRA DA TIJUCA - Estabelecida no CasaShopping, na Barra da Tijuca, desde 1986, a galeria mantém em acervo obras de Tomie Ohtake, Cildo Meireles, Antonio Dias, Marco Coelho Benjamim, Fernando Velloso, Walter Goldfarb, Cruz-Diez, Jussara Age, Yuli Geszti, Silvio Baptista, H
Saiba mais
AMARELONEGRO ARTE CONTEMPORÂNEA - O artista curitibano Juan Parada apresenta na exposição “Teto Verde” uma grande instalação. A obra, que tem o formato de uma casa, está disposta de cabeça para baixo. Destaque para o teto verde, no qual o a terra está por cima e as plantas crescem para ba
Saiba mais
ANTIGA FÁBRICA DA BHERING - O espaço onde funcionava a ex-fábrica de chocolates Bhering, abriga 52 ateliês de artistas e 22 pequenas empresas do ramo cultural. O maquinário e as antigas instalações da fábrica servem de inspiração para criação e também são incorporados aos trabalhos
Saiba mais
ATELIER CURVELO - Instalado em um casarão de 1896 com vista para a Baia de Guanabara, em Santa Teresa, o espaço abriga criações do artista plástico Zemog e peças de sua esposa, a designer Rita Dias. Zemog usa materiais nada nobres como tampinhas de refrigerante, espelhos e
Saiba mais
BIBLIOTECA NACIONAL - O prédio, em estilo neoclássico, foi projetado pelo arquiteto Francisco Marcelino de Souza Aguiar. Inaugurado em 1910, reúne um acervo de cerca de nove milhões de peças, entre raridades como a Bíblia de Mogúncia, impressa em 1462, a edição dos Lusíadas de
Saiba mais
Circuito de arte contemporânea do museu do açude ganha obras permanentes- CIRCUITO DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO MUSEU DO AÇUDE GANHA OBRAS PERMANENTES DE WALTERCIO CALDAS, ANGELO VENOSA E JOSÉ RESENDE
Saiba mais
Corpo Formoso -
Saiba mais
Diálogos -
Saiba mais
ESPAÇO CULTURAL MUNICIPAL SÉRGIO PORTO - O local é um dos espaços culturais mais interessantes do Rio. Integra a Rede Municipal de Teatros da Secretaria Municipal de Cultura. Tem uma programação variada, com exposições de arte, palestras, debates, workshops, espetáculos de teatro, recitais de po
Saiba mais
FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA - A mansão onde está instalado o museu, construída em 1849, em estilo neoclássico, serviu de residência a Rui Barbosa (1849-1923) durante os últimos 28 anos de sua vida. Possui um acervo de 1.400 peças de mobiliário, objetos decorativos e de uso pessoal e p
Saiba mais
Galeria Valdir Teixeira -
Saiba mais
O Pequeno Príncipe in Concert -
Saiba mais
Polo Cultural ItalianoRio – arte, design e inovação -
Saiba mais
Ser Mulher: um Percurso de Papéis -
Saiba mais