Carregando... aguarde
Squatters-2020-03-13 - Guia das Artes
Squatters
abrirá em 1 horas e 38 minutos
Squatters
Quando acontece
Sexta, 13 Março até Domingo, 28 Junho
dom
12:00
19:00
seg
ter
12:00
19:00
qua
12:00
19:00
qui
12:00
19:00
sex
12:00
19:00
sab
12:00
19:00
Local
Centro Cultural Correios – Rj
R. Visc. de Itaboraí, 20 - Centro
Conteúdo

 

Dezenas de seres fictícios – em esculturas de cerâmica – são integrados aos ecossistemas: terrestre e aquático.

O termo "Squatt" significa o ato de ocupar espaços sem uso por pessoas que não tem moradia - " Squatters" (posseiros) - e que os utilizam para manifestações artísticas. A artista Ilca Barcellos faz exatamente isso: apropria-se do espaço da Sala Nobre do Centro Cultural dos Correios com suas famosas esculturas "SQUATTERS" - dezenas de seres fictícios, em cerâmica e espuma expansiva, integrados a um ecossistema representado por uma flora natural e rodeados por colagens digitais com a mesma temática (três delas expostas na Bienal Internacional de Curitiba de 2017), que orbitam como novos moradores do espaço natural, organismos pulsantes. Os seres naturais e ficcionais se aproximam, pela forma, pelas cores e/ou pela textura. Parecem conviver em uma simbiose perfeita. Porque a natureza é assim: bela, espontânea, imprevisível e que prende o espectador nas suas dualidades - no diálogo entre a vida e a sua alusão, pela organicidade e pela coexistência no habitat natural. No diálogo entre arte e ciência, natural e artificial. Como os "Squatters" de Ilca Barcellos (expostos na Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba deste ano), que se "apossam" dos nossos sentidos, tornando-os parte dessa ocupação sensorial. Ilca Barcellos é de Pelotas/RS, mas vive e trabalha em Florianópolis/SC. Artista visual, graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Catarina e mestre em Biologia Vegetal pela Universite Pierre et Marie Curie, Paris VI, combina materiais e natureza para expressar seu duplo talento. A curadoria é da Tartaglia Arte que, desde 1950, transmite uma mensagem cultural e artística apaixonada, acessível e devotada. São exposições temporárias ou permanentes, com artistas novatos ou famosos, em várias partes do mundo. Mas tudo com a assinatura de Riccardo Tartaglia e Regina Nobrez, o que confere um atestado de credibilidade e sensibilidade criativa.

 

VERMELHOS

A série nomeada Vermelhos é uma instalação constituída por uma série de objetos híbridos (natural/artificial) que se mesclam de modo caótico e cuja tessitura se autonomiza a cada montagem em função da combinação dos objetos e da montagem nos diferentes espaços expositivos. Dezenas de hastes florais secas de inflorescências de areca-bambu (Dypsis lutescens) foram coletadas e serviram de receptáculos para as gêmulas (espuma expansiva de poliuretano) que brotam sob superfície do tecido vegetal. Busca-se, desta forma, perturbar os limites entre o natural (ramos vegetais) e o artificial (espuma expansiva), travando um diálogo com estes seres/objetos através dos cheios e vazios, que invadem o espaço como se fossem colônias de seres que se procriam livremente. O previsível-imprevisível ocorre também pela adesão ou não dos volumes de espuma expansiva - material usualmente empregado na vedação de portas e janelas. Neste trabalho, não há obstáculos para a expansão da espuma por isso ela cresce sem limite. Parte dos volumes reverberam das hastes florais caindo sobre o solo em grande quantidade, enquanto que outros volumes são incorporados ao tegumento vegetal. Portanto, trabalha-se no limiar do acaso tanto na fixação/não fixação da espuma - visto que esta se propaga livremente em contato com o ar -, como pela sobreposição das camadas que se fundem umas nas outras formando um tecido de protuberâncias de formas diversas. Por meio desta instalação evocam-se as possibilidades poéticas da dialética entre o pulsar e o acaso da vida; evoca-se tanto a fecundidade da procriação quanto a fragilidade e a excepcionalidade da vida, trava-se um embate entre o controlável-incontrolável, cheios-vazios, e orgânico- artificial.

PULSANTES

Neste projeto apresenta-se uma série de desenhos intimistas e biomórficos que surgem de linhas, manchas ou colagens, nos quais o processo criativo se manifesta de modo intuitivo e imprevisível. Busca experimentar as possibilidades do bidimensional, por meio de linhas amebóides, evocando a pulsação de organismos. Através das intersecções entre as estruturas, estas criações parecem evoluir ou involuir, como num fluxo e refluxo entre os espaços compreendidos do desenho.

Ecos da pele

Ecos da Pele propõe explorar o conceito de pele como metáfora da criação que emerge da epiderme dos seres. Os trabalhos reunidos nesta série exploram, portanto, a ideia de que da pele de um ser matricial – superfície da argila –, ecoam e brotam embriões. Entre fissuras, ranhuras e circunvoluções, vislumbram-se novos seres; evoca-se, no fazer-se, desfazer-se e refazer-se, o processo dinâmico do ciclo da vida. A pele surge como locus de possibilidades que muda continuamente a sua plasticidade.

Curadoria e responsabilidade da exposição,

• Comunicação jornalística local direta em todos os jornais, rádio, TV e fórum social;

• Divulgação de evento do fórum social e newsletter do pacote internacional de clientes da Tartaglia Arte;

• Design gráfico, impressão e divulgação de 2000 convites (formato 15 x 21 cm, 4/4 co-res, folha superior 350g), dos quais 600 convites gerenciados por correios;

• Design gráfico e impressão a cores de 3/4/4 de 440 g / m2 (dimensão externa de 134x299 cm, externo de 80x182 cm, interno de 260x80 cm);

• Design gráfico e impressão de textos em papel adesivo para paredes de exposição;

• Fotos oficiais e vídeos do evento inaugural;

• apresentação e texto crítico,

 

Título da exposição: Squatters artistia Ilca Barcellos

Curadores: Riccardo Tartaglia e Regina Nobrez

Período: de 13 de maio a 28 de junho de 2020 - entrada gratuita

Local: Centro Cultural Correios do Rio de Janeiro - Rua Visconde de Itaborai, 20 centro RJ Concebido e organizado Tartaglia Arte, www.tartagliaarte.org

Assessoria de imprensa: Paula Ramagem

Apoio: Centro Cultural Correios - RJ, Circulo Italo Brasileiro-SC,

Contato
+55 21 2253-1580
* Os horários podem variar em função de férias e feriados. Recomendamos ligar antes para verificar.
Fotos
Compartilhe
Comente
Mais Opções em "Rio de Janeiro"
1500 BABILÔNIA GALERIA - “Redesenhos” é mostra de série inédita do fotógrafo Edouard Fraipont composta de sete imagens e um vídeo. Ele explora o conceito de fotoperformance, em parceria com a coreógrafa e bailarina Alexandra Naudet, e propõe figuras redesenhadas pelo movimento do
Saiba mais
A Gentil Carioca - Fundado em setembro de 2003 pelos artistas plásticos Ernesto Neto, Franklin Cassaro, Laura Lima e Márcio Botner, esse espaço para a arte contemporânea representa e mantém em acervo obras dos artistas Thiago Rocha Pitta, João Modé, Jarbas Lopes, Paulo Nenf
Saiba mais
ALMACÉN GALERIA DE ARTE BARRA DA TIJUCA - Estabelecida no CasaShopping, na Barra da Tijuca, desde 1986, a galeria mantém em acervo obras de Tomie Ohtake, Cildo Meireles, Antonio Dias, Marco Coelho Benjamim, Fernando Velloso, Walter Goldfarb, Cruz-Diez, Jussara Age, Yuli Geszti, Silvio Baptista, H
Saiba mais
AMARELONEGRO ARTE CONTEMPORÂNEA - O artista curitibano Juan Parada apresenta na exposição “Teto Verde” uma grande instalação. A obra, que tem o formato de uma casa, está disposta de cabeça para baixo. Destaque para o teto verde, no qual o a terra está por cima e as plantas crescem para ba
Saiba mais
ANTIGA FÁBRICA DA BHERING - O espaço onde funcionava a ex-fábrica de chocolates Bhering, abriga 52 ateliês de artistas e 22 pequenas empresas do ramo cultural. O maquinário e as antigas instalações da fábrica servem de inspiração para criação e também são incorporados aos trabalhos
Saiba mais
ATELIER CURVELO - Instalado em um casarão de 1896 com vista para a Baia de Guanabara, em Santa Teresa, o espaço abriga criações do artista plástico Zemog e peças de sua esposa, a designer Rita Dias. Zemog usa materiais nada nobres como tampinhas de refrigerante, espelhos e
Saiba mais
BIBLIOTECA NACIONAL - O prédio, em estilo neoclássico, foi projetado pelo arquiteto Francisco Marcelino de Souza Aguiar. Inaugurado em 1910, reúne um acervo de cerca de nove milhões de peças, entre raridades como a Bíblia de Mogúncia, impressa em 1462, a edição dos Lusíadas de
Saiba mais
Circuito de arte contemporânea do museu do açude ganha obras permanentes- CIRCUITO DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO MUSEU DO AÇUDE GANHA OBRAS PERMANENTES DE WALTERCIO CALDAS, ANGELO VENOSA E JOSÉ RESENDE
Saiba mais
ESPAÇO CULTURAL MUNICIPAL SÉRGIO PORTO - O local é um dos espaços culturais mais interessantes do Rio. Integra a Rede Municipal de Teatros da Secretaria Municipal de Cultura. Tem uma programação variada, com exposições de arte, palestras, debates, workshops, espetáculos de teatro, recitais de po
Saiba mais
FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA - A mansão onde está instalado o museu, construída em 1849, em estilo neoclássico, serviu de residência a Rui Barbosa (1849-1923) durante os últimos 28 anos de sua vida. Possui um acervo de 1.400 peças de mobiliário, objetos decorativos e de uso pessoal e p
Saiba mais
Galeria Valdir Teixeira -
Saiba mais
Squatters - O projeto explora o conceito do Squatt (ocupação) como prática artística.
Saiba mais