Carregando... aguarde
Exposição Mario Mendonça-2019-10-05 - Guia das Artes
Exposição Mario Mendonça
aberto agora
Exposição Mario Mendonça
Quando acontece
Sábado, 05 Outubro até Sábado, 09 Novembro
dom
seg
10:00
19:00
ter
10:00
19:00
qua
10:00
19:00
qui
10:00
19:00
sex
10:00
19:00
sab
10:00
19:00
Local
Galeria Evandro Carneiro Arte (Shopping Gávea Trade Center)
Rua Marquês de São Vicente, 124, salas 108 e 109
Conteúdo


Galeria Evandro Carneiro Arte, na Gávea, apresenta de 5 de outubro a 9 de novembro a Exposição Mario Mendonça. A mostra conta com 37 telas, em destaque para algumas obras inéditas.

 

“Se parar de pintar... paro de respirar”
- Mario Mendonça.

Mario Mendonça nasceu no Rio de Janeiro, em 1934. Cursou Direito e trabalhou na empresa do pai por algum tempo, mas sua vocação pela arte sempre se manifestou, desde que, nos primeiros anos do Colégio Santo Agostinho, os padres confiscavam seus cadernos quando o flagravam desatento às aulas, desenhando.

Autodidata no campo artístico e católico de formação, a pintura sacra o impactava desde as missas frequentadas em família. Mario era afetado (a palavra deriva de afeto) por esse tipo de pintura, sobretudo a de Georges Rouault e Mathias Grunewald até que, em 1961, conheceu Emeric Marcier, em uma reunião de trabalho na corretora onde trabalhava. Havia um caderno de desenho sobre sua mesa e o artista folheou, convidando o jovem para visitar seu ateliê no sábado seguinte. Ali, no pequeno apartamento da Timóteo da Costa, Mario se deparou com um Cristo em proporções monumentais, ainda no cavalete e se apaixonou irreversivelmente. Foi acometido pelo pathos que se abriu em sua vida: a partir de então, estava decidido a viver da e para a arte.

Sua primeira professora de desenho foi Caterina Baratelli, uma italiana indicada por Marcier para o pupilo aprender o básico. E o desafiou: “depois que ela o dispensar das aulas, retorne aqui para o seu curso superior” (contou-me Mario em entrevista oral, 2019). Só que paralelamente às aulas de Baratelli, frequentava também as de Ivan Serpa e Aluísio Carvão, no MAM-RJ. Este parece ter sido um dos motivos de seu desentendimento posterior com Marcier. Antes, porém, chegou a viver um tempo em Barbacena, no sítio do pintor romeno. Mario confessa que ele o influenciou intensa e profundamente por 25 anos e sua admiração por Marcier é inesgotável, mas a amizade não foi. Romperam em 1964 quando, ao final do ano, Aluísio Carvão organizou uma exposição individual do aluno no próprio museu. Desde então, Carvão seguiu sendo mestre, amigo e parceiro de ateliê de Mario Mendonça por quase 40 anos, até o seu falecimento em 2001.

Com Carvão, Mario descobriu a magia das cores que passou a aplicar em suas obras, antes em tons escuros. Os temas preferidos continuavam a ser as cenas bíblicas e as paisagens montanhosas, duas constantes em sua pintura. Além das cores, trouxe a multidão compassiva para compor seus apocalipses, crucificações e calvários. “Trazer a multidão significa trazer à cena o nosso contemporâneo”, explica (entrevista oral, 2019). Ao cenário sagrado, incorporou também o impacto dos horrores do Holocausto: seus Cristos são cadavéricos e deformados, tão lúgubres quanto esteve a condição humana naquele período de Guerra Mundial e Guerra Fria. Sobre essa dimensão de seu trabalho, Walmir Ayala acrescenta que o artista realiza uma “abstração revolucionária dos cânones clássicos das imagens sagradas” e arremata toda uma trajetória artística no resumo inconteste: a obra de Mario se trata de um “apaixonante romance da salvação”. (Apud. In: Mendonça. Espaço Mendonça, 2003).

Retornando à cronologia, após a sua inédita exposição no MAM-RJ (1964), destacaram-se alguns marcos na carreira do artista: em 1967 expôs na Maison de France e pintou o interior da primeira igreja (Matriz dos Santos Anjos, Leblon). Muitas pinturas sacras em capelas se seguiram após esse evento inaugural, tendo pintado o interior de dez igrejas entre Rio de Janeiro e Minas Gerais, culminando com a Capela do Corcovado, no Rio de Janeiro, que abriga a sua solene Ressurreição de Cristo, desde 2014. Quanto às exposições, no ano 1970 realizou uma individual na Alemanha, que lhe abriu um leque de oportunidades internacionais: Portugal (ainda em 1970), Roma (1976 e 1982), Madri (1979), Bulgária (1987), Paris (1988) e Alemanha novamente, em 1989. No âmbito nacional, destacam-se a sua primeira exposição individual no Museu Nacional de Belas Artes (1972), composta de paisagens e uma impactante Via Sacra na entrada do Museu; a de arte sacra na Galeria Ipanema (1978), eleita uma das melhores naquele ano; a sua Retrospectiva na Casa do Bispo (1985, parceria da Fundação Roberto Marinho com a Arquidiocese do Rio de Janeiro, contendo 115 telas sacras do artista) e a exposição Abertura do Novo Milênio (2001, MNBA-RJ) que o consagrava como um pintor religioso secular.

Além desses marcos expositivos, Mario recebeu medalhas de honra e prêmios nacionais e internacionais por seu trabalho; teve obras escolhidas para compor acervos importantes, como o do Vaticano, o do Museu Ibero Amerikanishes Institut (Berlim), o do Museu Nacional de Belas Artes, os de palácios de governos no Estado de Minas Gerais e o do Palácio do Planalto, em Brasília; foi convidado para membro das Academias Brasileira de Arte (ABA) e de Belas Artes e também para conselheiro de cultura da Arquidiocese do Rio de Janeiro;  editou livros sobre sua pintura e seus desenhos; criou um instituto cultural em Tiradentes, MG (2011); manteve uma linda família e pintou, pintou e pintou, com disciplina e paixão. Hoje, com 85 anos, Mario continua devoto de sua própria arte. E depois de um período de 20 anos sem expor, apresenta 37 obras (algumas inéditas) na Galeria Evandro Carneiro Arte.

 

 

Laura Olivieri Carneiro,

setembro de 2019.

 

 

Serviço:  Exposição Mario Mendonça

Galeria Evandro Carneiro Arte: Rua Marquês de São Vicente, 124 (Shopping Gávea Trade Center). Salas 108 e 109.
De 5 de outubro a 9 de novembro.
Visitação: de segunda a sábado, das 10h às 19h.
Telefone: (21) 2227.6894
Estacionamento no local.
Site: http://www.evandrocarneiroarte.com.br/
Instagram: @galeriaevandrocarneiro  

Contato
Telefone: (21) 2227.6894
Site: http://www.evandrocarneiroarte.com.br/
Instagram: @galeriaevandrocarneiro
* Os horários podem variar em função de férias e feriados. Recomendamos ligar antes para verificar.
Fotos
Compartilhe
Comente
Mais Opções em "Rio de Janeiro"
1500 BABILÔNIA GALERIA - “Redesenhos” é mostra de série inédita do fotógrafo Edouard Fraipont composta de sete imagens e um vídeo. Ele explora o conceito de fotoperformance, em parceria com a coreógrafa e bailarina Alexandra Naudet, e propõe figuras redesenhadas pelo movimento do
Saiba mais
A GENTIL CARIOCA - Fundado em setembro de 2003 pelos artistas plásticos Ernesto Neto, Franklin Cassaro, Laura Lima e Márcio Botner, esse espaço para a arte contemporânea representa e mantém em acervo obras dos artistas Thiago Rocha Pitta, João Modé, Jarbas Lopes, Paulo Nenf
Saiba mais
ALMACÉN GALERIA DE ARTE BARRA DA TIJUCA - Estabelecida no CasaShopping, na Barra da Tijuca, desde 1986, a galeria mantém em acervo obras de Tomie Ohtake, Cildo Meireles, Antonio Dias, Marco Coelho Benjamim, Fernando Velloso, Walter Goldfarb, Cruz-Diez, Jussara Age, Yuli Geszti, Silvio Baptista, H
Saiba mais
AMARELONEGRO ARTE CONTEMPORÂNEA - O artista curitibano Juan Parada apresenta na exposição “Teto Verde” uma grande instalação. A obra, que tem o formato de uma casa, está disposta de cabeça para baixo. Destaque para o teto verde, no qual o a terra está por cima e as plantas crescem para ba
Saiba mais
ANTIGA FÁBRICA DA BHERING - O espaço onde funcionava a ex-fábrica de chocolates Bhering, abriga 52 ateliês de artistas e 22 pequenas empresas do ramo cultural. O maquinário e as antigas instalações da fábrica servem de inspiração para criação e também são incorporados aos trabalhos
Saiba mais
ATELIER CURVELO - Instalado em um casarão de 1896 com vista para a Baia de Guanabara, em Santa Teresa, o espaço abriga criações do artista plástico Zemog e peças de sua esposa, a designer Rita Dias. Zemog usa materiais nada nobres como tampinhas de refrigerante, espelhos e
Saiba mais
BIBLIOTECA NACIONAL - O prédio, em estilo neoclássico, foi projetado pelo arquiteto Francisco Marcelino de Souza Aguiar. Inaugurado em 1910, reúne um acervo de cerca de nove milhões de peças, entre raridades como a Bíblia de Mogúncia, impressa em 1462, a edição dos Lusíadas de
Saiba mais
Circuito de arte contemporânea do museu do açude ganha obras permanentes- CIRCUITO DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO MUSEU DO AÇUDE GANHA OBRAS PERMANENTES DE WALTERCIO CALDAS, ANGELO VENOSA E JOSÉ RESENDE
Saiba mais
Do Remanescente - Ligia Calheiros inaugura exposição no Espaço Cultural Correios Niterói no dia 28 de setembro.
Saiba mais
ESPAÇO CULTURAL MUNICIPAL SÉRGIO PORTO - O local é um dos espaços culturais mais interessantes do Rio. Integra a Rede Municipal de Teatros da Secretaria Municipal de Cultura. Tem uma programação variada, com exposições de arte, palestras, debates, workshops, espetáculos de teatro, recitais de po
Saiba mais
Exposição Mario Mendonça - A Galeria Evandro Carneiro Arte, na Gávea, apresenta de 5 de outubro a 9 de novembro a Exposição Mario Mendonça. A mostra conta com 37 telas, em destaque para algumas obras inéditas.
Saiba mais
Exposição Scorzelli Megabichos - Museu reúne instalações e obras inéditas de Marcos Scorzelli
Saiba mais
FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA - A mansão onde está instalado o museu, construída em 1849, em estilo neoclássico, serviu de residência a Rui Barbosa (1849-1923) durante os últimos 28 anos de sua vida. Possui um acervo de 1.400 peças de mobiliário, objetos decorativos e de uso pessoal e p
Saiba mais
Galeria Valdir Teixeira -
Saiba mais
VESTÍGIOS - Exposição de Marciah Rommes ocupa quatro salas do Espaço Cultural Correios Niterói.
Saiba mais
“OS MITOS E A MEMÓRIA” - Raquel Saliba apresenta exposição individual, com curadoria de Marcus Lontra, no Centro Cultural Correios
Saiba mais
“VENEZIA” - GALERIA DE ARTE IBEU INAUGURA EXPOSIÇÃO INSPIRADA NO COTIDIANO DO CENTRO HISTÓRICO DE PORTO ALEGRE
Saiba mais