Carregando... aguarde
Ivan Serpa - Guia das Artes
Ivan Serpa
Informações
Nome:
Ivan Serpa
Nasceu:
Rio de Janeiro (06/04/1923)
Faleceu:
Rio de Janeiro (19/04/1973)
Biografia

   Estuda pintura, gravura e desenho com Axl Leskoschek, entre 1946 e 1948, no Rio de Janeiro. Em 1949, ministra suas primeiras aulas no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ, onde, a partir de 1952, exerce sistemática atividade didática, em especial no ensino infantil. No ano de 1954, publica o livroCrescimento e Criação, com texto de Mário Pedrosa, sobre sua experiência no ensino de arte para crianças. Nesse mesmo ano, ao lado de Ferreira Gullar e Mário Pedrosa, cria o Grupo Frente, integrado por Franz Weissmann, Lygia Clark, Aluísio Carvão,Hélio Oiticica, Décio Vieira e Lygia Pape. Permanece na liderança do grupo até sua dissolução, em 1956.

   Apesar da liberdade de pontos de vista estéticos no grupo, há o predomínio de artistas concretistas. Em 1957, recebe o prêmio de viagem ao exterior no Salão Nacional de Arte Moderna - SNAM. Participa da exposição Opinião 65, evento que marca a difusão de uma nova arte de tendência figurativa, a neofiguração. A obra de Ivan Serpa, desde o início de sua carreira, oscila entre o figurativismo e aarte concreta. Em 1970, funda, com Bruno Tausz, o Centro de Pesquisa de Arte no Rio de Janeiro.

Cronologia

Realizou as seguintes exposições individuais: 1951 – Museu de Arte Moderna, no Rio de Janeiro; Galeria IEBEU, no Rio de Janeiro e Museu de Arte Contemporânea da USP, em São Paulo
1953 – Teatro de Bolso, no Rio de Janeiro
1954 – Conferência Interamericana, em Caracas (Venezuela) e Pan American Union Gallery, em Washington (EUA) 1955 – Museu Guggenhein, Ithaca (EUA)
1957 – Galeria Tenreiro, no Rio de Janeiro
1958 – Galeria GEA, no Rio de Janeiro
1961 – Museu de Arte Moderna, em São Paulo
1963-65 – Galeria Tenreiro, no Rio de Janeiro
1964 – Galeria Barcinsky, no Rio de Janeiro
1965 – Museu de Arte Moderna e Galeria Relevo, ambas no Rio de Janeiro; Museu de Arte da Prefeitura de Belo Horizonte (MG) e Museu de Arte Contemporânea da USP, em São Paulo
1966 – Bonn (Alemanha) e Manágua (Nicarágua)
1968 – Galeria Bonino, no Rio de Janeiro
1969 – Museu de Arte Moderna, no Rio de Janeiro
1971 – Museu de Arte Moderna, no Rio de Janeiro
Participou, entre outras, das seguintes exposições coletivas: 1948 – Salão Nacional de Belas Artes, Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro, medalha de bronze
1949 – Salão Municipal de Belas Artes, Ministério da Educação e da Saúde, Rio de Janeiro, prêmio da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro
1951-65 – Bienal Internacional de São Paulo, São Paulo (prêmio Jovem Pintor Nacional na edição de 1951, prêmio Museu de Arte Moderna na de 1953, prêmio Unesco na de 1955 e premiado na de 1961)
1952, 54, 62, 66 – Bienal de Veneza, Veneza, Itália
1953 – Exposição Nacional de Arte Abstrata, Petrópolis, RJ
1955 – Bienal Hispano-Americana, Barcelona, Espanha; 3ª Bienal de Tóquio, Tóquio, Japão; Exposição Interamericana, Caracas, Venezuela; 9º Prêmio Internacional de Lissone, na Itália
1956 – Bienal Hispano-Americana, Barcelona
1957, 60 – Salão Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro (prêmio de viagem ao exterior na edição de 1957 e prêmio aquisição na de 1960)
1959 – Kunsthaus, Munique, Alemanha, e Viena, Áustria
1960 – Primeira Exposição Coletiva de Artistas Brasileiros na Europa - Zurique, Suíça; , Alemanha; , Portugal; , Espanha;Utrecht, Holanda; , França
1962 – Walker Center, Minneapolis, Estados Unidos; Bienal de Córdoba, Argentina
1964, 65 – Salon Comparaisons, Paris
1965 – Opinião 65, Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro; Brazilian Art Today, Royal Academy of Arts, Londres, Inglaterra; Artistas Brasileiros Contemporâneos, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa; Arte Brasileira Atual, Bonn, Alemanha e Viena
1966 – Art of Latin America since Independence, La Jolla Museum of Art, San Diego, San Francisco Art Museum, San Francisco, Yale University Art Gallery, New Haven, The University of Texas at Austin - Archer M
Huntington Art Gallery, Austin, e Isaac Delgado Museum of Art, New Orleans, Estados Unidos; Artistas Brasileiros Contemporâneos, Buenos Aires, Argentina, e Montevidéu, Uruguai
1967 – Nova Objetividade Brasileira, Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro
1972 – Arte/Brasil/Hoje: 50 anos depois, Galeria da Collectio, São Paulo
Os trabalhos de Ivan Serpa foram apresentados em mais de uma centena de mostras, individuais e coletivas, no Brasil e no exterior, entre as quais as seguintes: 1973 – 12ª Bienal Internacional de São Paulo, Fundação Bienal São Paulo 1974 – Ivan Serpa: retrospectiva, Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro
1977 – Projeto Construtivo Brasileiro na Arte: 1950-1962, Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro; Projeto Construtivo Brasileiro na Arte: 1950-1962, Pinacoteca do Estado, São Paulo
1978 – As Bienais e a Abstração: a década de 50, Museu Lasar Segall São Paulo 1982 – Entre a Mancha e a Figura, Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro
1984 – Grupo Frente 1954-1956, Galeria de Arte Banerj, Rio de Janeiro
1986 – JK e os Anos 50: uma visão da cultura e do cotidiano, Galeria Investiarte, Rio de Janeiro
1987 – Modernidade: arte brasileira do século XX, Musée d'Art Moderne de la Ville de Paris, Paris; 1ª Abstração Geométrica: concretismo e neoconcretismo, Centro de Artes, Funarte, Rio de Janeiro
1988 – Individual, Tríade Galeria, Rio de Janeiro
1992 – Arte Moderna Brasileira: acervo do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, Casa da Cultura, Poços de Caldas, MG; Brasilien: entdeckung und selbstentdeckung, Kunsthaus Zürich, Zurique
1993 – Ivan Serpa: retrospectiva 1947-1973, Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro
1994 – O Desenho Moderno no Brasil: Coleção Gilberto Chateaubriand, Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro
1995 – Opinião 65: 30 anos, Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro
1998 – Espelho da Bienal, Museu de Arte Contemporânea, Niterói, RJ
2000 – Exposição Brasil Europa: encontros no século XX, no Conjunto Cultural da Caixa Brasília DF; Século 20: arte do Brasil, Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão, Lisboa; De la Antropofagia a Brasilía: Brasil 1920-1950, no IVAM, Centre Julio Gonzáles, Valência, Espanha
2001 – Aquarela Brasileira, Centro Cultural Light, Rio de Janeiro; Bienal 50 Anos: uma homenagem a Ciccillo Matarazzo, São Paulo
2002 – Acervo em Papel, Museu de Arte Contemporânea, Niterói; Violência e Paixão, Santander Cultural, Porto Alegre, RS; Genealogia do Espaço, Galeria do Parque das Ruínas, Rio de Janeiro
2003 – Cuasi Corpus: arte concreto y neoconcreto de Brasil: una selección del acervo del Museo de Arte Moderna de São Paulo y la Colección Adolpho Leirner, Museo Rufino Tamayo Cidade do México, México
2004 – Ivan Serpa: desenhos gráficos, Galeria André Millan, São Paulo
2005 – Expresso Abstrato, Museu Imperial, Petrópolis
O Museu de Arte Moderna e o Museu de Belas Artes, ambos no Rio de Janeiro, assim como o Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, em São Paulo, possuem obras do artista em seus acervos.

Colabore conosco
Você tem informações sobre este artista ou acredita que algum dos tópicos do conteúdo está errado?
clique aqui e colabore conosco enviando sua sugestão, correção ou comentários.
Nome
Email
Mensagem
Enviar
Peças sendo leiloadas, compre agora
iArremate leilões
26 de Novembro às 20:30

Ivan Serpa (1923 - 1973) - Sem título - nanquim e guache - 25 x 20 cm - assinada canto inferior direito - 1961
iArremate leilões
02 de Dezembro às 21:15

Serpa, Ivan - Sem Título - Nanquim e aguada s/ papel - 31 x 49 cm - ass. inferior direito - dat. 1961
iArremate leilões
26 de Novembro às 21:18

Ivan Serpa - serigrafia sobre pape 42 x 40 cm “Sem título” ass. CID t. 33/100 1970
iArremate leilões
28 de Novembro às 20:30

Ivan Serpa - Composição - TM - 20 x 20 - 1965 - ACID - Reproduzido no livro do artista, edição Pactual, editado por Silvia Roesler Pág. 47
iArremate leilões
28 de Novembro às 20:30

Ivan Serpa - Figuras e Bichos - TM - 32 x 46 - 1972 - ACID - Reproduzido no catalogo de exposição da Bolsa de Arte - RJ Julho de 2010
Obras deste artista