Carregando... aguarde
Darcy Penteado - Guia das Artes
Darcy Penteado
Informações
Nome:
Darcy Penteado
Nasceu:
São Roque - São Paulo (12/03/1926)
Faleceu:
São Roque - São Paulo (12/03/1987)
Biografia

Darcy Penteado foi um artista plástico, desenhista, gravador, cenógrafo, figurinista, literato, autor teatral e pioneiro militante dos movimentos LGBT brasileiro.1 Distinguindo-se sempre pelos elegantes desenhos a bico de pena, trabalhou primeiro em publicidade e como figurinista, ilustrando revistas de moda, passando logo a trabalhar em teatro, como figurinista e cenógrafo, tendo participado, na década de 1950, do TBC.2 Participou de inúmeras exposições, ilustrou livros e foi uma figura presente na cena cultural da cidade de São Paulo entre a década de 1950 e década de 1980, quando faleceu vitimado pela AIDS. Participou ativamente, durante os anos de repressão da ditadura militar, do jornal O Lampião, ativo na defesa dos direitos dos homossexuais.3 Atualmente, suas obras podem ser vistas no museu mantido pelo Centro Cultural Brasital, no município de São Roque, em São Paulo.

Dedicou-se durante os anos 50 à trabalhos na área de indumentária e cenografia, trabalhando com diretores representativos do período. Após os 10 anos, muda-se para São Paulo, para concluir seus estudos. Distingue-se pelos desenhos que realiza, levando-o a trabalhar em agências de publicidade, de desenho industrial e como figurinista de magazines. Faz retratos e, tornando-se conhecido, destaca-se no meio profissional.

Em 1952, Darcy estréia no Teatro Brasileiro de Comédia, TBC, confeccionando as máscaras para Antígone, de Sófocles, direção de Adolfo Celi. No mesmo ano, está em A Calça, de Carl Sternheim; e Iolanda, de Curt Goetz, com direção de Antunes Filho, em 1954, duas montagens do grupo de Lotte Sievers. Realiza a cenografia de É Proibido Suicidar-se na Primavera, para a Companhia Nicette Bruno, arrebatando o Prêmio Governador do Estado. Ainda em 1954 cenografa Os Dous ou O Inglês Maquinista, de Martins Pena, direção de Luís de Lima, para a Escola de Arte Dramática, EAD. Para o Balé do IV Centenário cria os cenários e figurinos para Sonata da Angústia, com música de Bártok, em 1954. Em 1955, idealiza os figurinos de Santa Marta Fabril S. A., de Abílio Pereira de Almeida, para o TBC. Volta a trabalhar com Lotte Sievers, num texto de sua autoria, A Morte Foi Contratada, direção de Ruy Affonso, em 1956. No ano seguinte está em duas criações:Casal Vinte, de Miroel Silveira, e Esses Maridos, de George Axelrod, direção de Adolfo Celi e produção da Companhia Tônia-Celi-Autran, CTCA. Em 1958, confecciona os figurinos paraPedreira das Almas, de Jorge Andrade, dirigido por Alberto D'Aversa, no TBC.Desde 1955 vinha participando na televisão, como diretor de arte. Em 1960 faz os cenários e figurinos deUm Gosto de Mel, de Shellagh Delaney, direção de Benedito Corsi, novamente para o TBC. Em 1961, integra a produção de Armadilha para um Homem Só, de Robert Thomas, uma direção de Luís de Lima para o Teatro Maria Della Costa, TMDC.

Afastado do teatro durante algum tempo, Darcy retorna, em 1977, como o figurinista deVolpone, de Ben Johnson, direção de Antônio Abujamra. Envolve-se, na seqüência, com produções obscuras até lançar-se como autor em A Engrenagem, de 1978, direção de Odavlas Petti, assumindo abertamente a condição homossexual, assunto que será também explorado em sua primeira novela - A Meta -, editada no ano seguinte, período em que está francamente envolvido na luta contra a discriminação.

Principais Obras

Museu de Arte de Londrina - Londrina PR / Desenho Carvão sobre Papel

Cronologia

Realizou, entre outras, as seguintes exposições individuais:
1954-56 – Museu de Arte Moderna, São Paulo. São Paulo.
1960 – Galeria São Luís, São Paulo; Museu de Arte de Belo Horizonte, Belo Horizonte, MG; Cassino Estoril, Portugal.
1965 – Galeria Pogliani, Roma, Itália.
1966 – Galeria Debret, Paris.
1980 – Itaugaleria, São Paulo.
1983 – Renato Magalhães Gouveia Escritório de Arte, São Paulo.
1985– Galeria Alberto Bonfiglioli, São Paulo.
1986 – Galeria de Arte André, São Paulo.
Foi homenageado, postumamente, nas seguintes mostras, a saber:
1988 – Homenagem a Darcy Penteado, Galeria de Arte André, São Paulo.
1993 – Obras para Ilustração do Suplemento Literário 1956-1967, Museu de Arte Moderna, São Paulo.

Colabore conosco
Você tem informações sobre este artista ou acredita que algum dos tópicos do conteúdo está errado?
clique aqui e colabore conosco enviando sua sugestão, correção ou comentários.
Nome
Email
Mensagem
Enviar
Peças sendo leiloadas, compre agora
iArremate leilões
24 de Junho às 20:30

DARCY PENTEADO - "Garoto”, serigrafia 38/100, 76 x 56cm , assinado no canto inferior direito, datado de 1975
Obras deste artista