Carregando... aguarde
Ismael Nery feminino e masculino-2018-05-08 - Guia das Artes
Ismael Nery: feminino e masculino
amanhã às 10:00h
Ismael Nery: feminino e masculino
Quando acontece
Terça, 08 Maio até Domingo, 12 Agosto
dom
10:00
17:30
seg
ter
10:00
17:30
qua
10:00
17:30
qui
10:00
17:30
sex
10:00
17:30
sab
10:00
17:30
Local
MAM - MUSEU DE ARTE MODERNA
PARQUE IBIRAPUERA, PORTÃO 3 - IBIRAPUERA
Conteúdo

MAM – Museu de Arte Moderna de São Paulo apresenta até 12 de agosto a exposição Ismael Nery: feminino e masculino. A mostra reúne mais de 200 trabalhos. São figuras humanas, retratos e autorretratos, em pinturas, aquarelas, desenhos em nanquim e grafite, todos em pequenos formatos, selecionados pelo curador Paulo Sergio Duarte, que dividiu a mostra por temas: os nus, os retratos e autorretratos, as danças, os cenários, e o surrealismo.

Segundo o curador, ao se observar o conjunto da obra de Ismael Nery (1900 – 1934), revelam-se três importantes características do artista: seu desprezo pelo mercado da arte, evidenciado na produção em pequenos formatos - alguns dos trabalhos cabem na palma da mão, ao contrário de seus contemporâneos modernistas. Outra característica do artista é seu perfil contraditório. “Ismael Nery era um dândi narcisista, basta observar a quantidade de retratos e autorretratos com sua mulher e musa, Adalgisa. A beleza do casal era evidente, e aliada à habilidade intelectual do artista em rodas de discussões polêmicas, contribuía para elevar sua vaidade”, diz o curador. “Isso vindo de um homem que se dizia católico e professava sua fé em discussões filosóficas em sua casa e na casa de amigos no Rio de Janeiro. Era exímio dançarino, era o que chamamos hoje de artista performático. Esse poço de contradições nos legou uma das obras mais provocantes da arte moderna no Brasil”, declara.

Outro ponto marcante do artista é sua coragem. Morto precocemente aos 33 anos, de tuberculose, o artista voltou-se, sem medo e com maestria, entre a década de 1920 até o início dos anos 1930, para o exercício simultâneo das correntes artísticas mundiais, como o cubismo, o expressionismo e o surrealismo. Era avesso às questões modernistas brasileiras, que buscavam uma identidade nacional através dos traços e dos símbolos.

A coragem transparece também na abordagem de sua temática favorita, a ambivalência e a ambiguidade de gênero.  “Ele alcança colocar numa mesma obra as duas situações no tratamento da questão de gênero, como em Duas figuras [s.d. grafite sobre papel], onde duas mulheres se beijam, uma branca e uma negra. Em outra, Namorados em traje de banho [s.d. Aquarela sobre papel] há a ambiguidade homem/mulher, ambos com corpos muito parecidos. Isso se repete em vários desenhos e pinturas”, comenta Paulo Sergio Duarte.

O curador prossegue: “A coragem de exercer uma transgressão formal é manifestada em inúmeras obras, como a surrealista Duas figuras e perfil [aquarela sobre papel], que na verdade apresenta quatro figuras, entre elas, a que se impõe é um ciclope negro de olho vermelho, além de uma sombra e uma figura confusa de mulher.”

De família abastada, Ismael Nery teve a oportunidade rara entre intelectuais brasileiros de viajar para a Europa. Em sua última visita ao continente (1927), conheceu André Breton, autor do Manifesto Surrealista (1924), quando frequentava o ateliê de Chagall. Foi um dos precursores do surrealismo no Brasil, ao lado de Cícero Dias. 

O Curador:
Paulo Sergio Duarte é curador, crítico e professor-pesquisador do Centro de Estudos Sociais Aplicados (CESAP) da Universidade Candido Mendes e da Escola de Artes Visuais – Parque Lage, no Rio de Janeiro. Entre suas curadorias mais recentes encontram-se as retrospectivas de Lygia Clark (2012), em parceria com Felipe Scovino, e de Sergio Camargo (2015), em parceria com Cauê Alves, no Itaú Cultural, em São Paulo, esta última também exibida na Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre; a retrospectiva de Amilcar de Castro (2014-2015), no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro; a individual “Antonio Dias – Potência da pintura” (2015), na Fundação Iberê Camargo, e “Guignard – A memória plástica do Brasil moderno” (2015), no Museu de Arte Moderna de São Paulo.

 

Preços e pagamento
Ingresso: R$ 7,00 | meia-entrada: R$ 3,50 | Entrada gratuita aos sábados
Contato
TELEFONE: (11) 5085-1300
* Os horários podem variar em função de férias e feriados. Recomendamos ligar antes para verificar.
Como chegar
Compartilhe
Comente
Mais Opções em "São Paulo"
0,0Km - Museu de Arte Moderna de São Paulo - Fundada em 1948, O Museu de Arte Moderna de São Paulo,
Saiba mais
0,5Km - Museu Afro Brasil - Fundado em 2004, o Museu Afro Brasil se tornou uma instituição administrada pela Associação Museu Afro Brasil,
Saiba mais
0,6Km - PAVILHÃO DAS CULTURAS BRASILEIRAS - O Pavilhão das Culturas Brasileiras é um espaço democrático para as culturas do povo brasileiro e suas expressões. O espaço é gerido pelo Departamento do Patrimônio Histórico da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo. O edifício de 11 mil metros qua
Saiba mais
0,7Km - Museu de Arte Contemporânea - O Museu de Arte Contemporânea foi criado em 1963,
Saiba mais
0,9Km - Museu do Exército -O Museu conta com Documentos, Fotos, Bandeiras, Insígnias, Armamentos, Espadas, Condecorações, Radis Medalhas, Capacetes e outros.
Saiba mais
0,9Km - IGR - Instituto Gustavo Rosa- GUSTAVO ROSA GANHA INSTITUTO PARA DIVULGAR SEU LEGADO E PROMOVER A CIDADANIA POR MEIO DA ARTE.
Saiba mais
1,2Km - MAC – Museu de Arte Contemporânea - É um museu localizado em São Paulo.
Saiba mais
1,2Km - Ponder 70 - É uma galeria em uma casa conceito onde ocorrem exposições & projetos de arte.
Saiba mais
1,3Km - Galeria 22-
Saiba mais
1,4Km - Almeida e Dale - Estabelecida no mercado de arte como uma das principais galerias da cidade de São Paulo
Saiba mais
2,8Km - Acervo em Transformação - A volta dos radicais cavaletes de cristal de Lina Bo Bardi à exposição do acervo apresenta uma seleção de obras provenientes de diversas coleções do museu, abrangendo um arco temporal que vai do século 4 a.C. a 2008. Os cavaletes tiveram sua estreia na ab
Saiba mais
5,2Km - JAMAICA, JAMAICA! - Jamaica, Jamaica! - uma exposição concebida pela Cité de la musique - Philharmonie de Paris, produzida e realizada pelo Sesc São Paulo
Saiba mais
6,2Km - Galeria Tatil na Pinacoteca de Sâo Paulo - A Pinacoteca do Estado apresenta exposição com 12 esculturas táteis, em bronze, que fazem parte do acervo do museu
Saiba mais
6,2Km - ESCULTURAS NO PARQUE DA LUZ- O Parque da Luz, também conhecido como Jardim da Luz, conta com área de aproximadamente 113 mil m² . Foi criado como horto botânico por uma Ordem Régia da Coroa Portuguesa em 19 de novembro de 1798 foi aberto ao público em 1825 como Jardim Botânico já no
Saiba mais
6,4Km - Galeria José e Paulina Nemirovsky - Arte Moderna - A mostra é uma reorganização e ampliação da exposição sobre o Modernismo.
Saiba mais
6,4Km - GALERIA TÁTIL- A Pinacoteca do Estado apresenta exposição com 12 esculturas táteis, em bronze, que fazem parte do acervo do museu. A seleção das obras foi realizada considerando a indicação do público com deficiências visuais que participou de visitas orientadas ao acer
Saiba mais
6,4Km - Arte no Brasil: Uma história na Pinacoteca de São Paulo. Vanguarda brasileira dos anos 1960 - Coleção Roger Wright - A mostra de longa duração celebra o comodato de 178 obras estabelecido em março de 2015 entre a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, a Pinacoteca e a Associação Cultural Goivos, responsável pela Coleção Roger Wright.
Saiba mais
6,4Km - Galeria José e Paulina Nemirovsky - Arte moderna - Essa é uma exposição única e especial, que percorre grande parte do cenário histórico-cultural brasileiro do século XX. Sem contar que ampliamos de 49 para 110 obras essa mostra, todas emblemáticas e de reconhecimento internacional. Estamos muito satisfei
Saiba mais
232,1Km - Bruno Almeida Maia , em entrevista para o GuiaDasArtes - Bruno Almeida Maia , ministrante do curso Constelações Visionárias , a relação entre moda , arte e filosofia nos concedeu a ótima entrevista que se segue :
Saiba mais
352,1Km - Circuito de arte contemporânea do museu do açude ganha obras permanentes- CIRCUITO DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO MUSEU DO AÇUDE GANHA OBRAS PERMANENTES DE WALTERCIO CALDAS, ANGELO VENOSA E JOSÉ RESENDE
Saiba mais