Carregando... aguarde
Centenário de Lygia Clark no Vale das Videiras-2020-03-14 - Guia das Artes
Centenário de Lygia Clark no Vale das Videiras
Evento encerrado
Centenário de Lygia Clark no Vale das Videiras
Quando aconteceu
Sábado, 14 Março até Domingo, 22 Março
Local
Galeria A2 + Mul.ti.plo
Armazém das Videiras - Estrada Almirante Paulo Meira, 8.400, loja 5
Conteúdo
 
Entramos numa ventura a um só tempo necessária e complexa para nós, pois foge, em parte do nosso dia a dia, mas fundamental por se tratar do centenário de Lygia Clark.

da Fazenda Cachoeira: “Construído com tijolo, cimento e ferro, baseado nas pinturas neoconcretistas de Lygia Clark, o trabalho se transformará em um módulo ativo do pensamento poético da artista e ficará permanentemente no jardim da fazenda para visitação de alunos das escolas da região e do público em geral. É importante frisar o caráter comunitário desse projeto”.

 

Nos dias 13, 14, 15, 20, 21 e 22 de março, a A2 + Mul.ti.plo, única galeria de arte contemporânea de Petrópolis, apresenta uma exposição com réplicas de obras de Lygia Clark. Estarão lá peças emblemáticas como objetos criados com fins artísticos e sensoriais; exemplares da série “Bichos”, esculturas geométricas e interativas em metal na qual cada parte se move por meio de dobradiças; o Livro-obra; entre outras. A entrada é franca.

 

“Comemorar o centenário de Lygia Clark no Vale das Videiras é um privilégio sem medidas. Lygia é a artista brasileira mais celebrada nos grandes meios de arte internacionais e  precisa ser mais conhecida e compreendida no Brasil”, diz Maneco Müller, sócio da A2 + Mul.ti.plo. “Lygia Clark explorou e expandiu as fronteiras da modernidade. Ela fez a passagem do moderno ao contemporâneo, do moderno ao pós-moderno, do moderno ao hipermoderno, seja lá o nome que queremos dar a esse momento que estamos vivendo agora. Na poética da obra de Lygia Clark ,assistimos a essa passagem histórica”, explica Paulo Sergio Duarte.

 

Lygia Clark

Lygia Pimentel Lins (Belo Horizonte, Minas Gerais, 1920 - Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1988). Pintora, escultora. Muda-se para o Rio de Janeiro, em 1947, e inicia aprendizado artístico com Burle Marx (1909-1994). Entre 1950 e 1952, vive em Paris (França), onde estuda com Fernand Léger (1881-1955), Arpad Szenes (1897-1985) e Isaac Dobrinsky (1891-1973). Em 1952, realiza sua primeira exposição, no L’Institute Endoplastique, em Paris. De volta ao Brasil, integra o Grupo Frente, liderado por Ivan Serpa (1923-1973), expõe no Salão do Ministério da Educação e é uma das fundadoras do Grupo Neoconcreto. Gradualmente, troca a pintura pela experiência com objetos tridimensionais. Em 1960, com a série Bichos, abre um diálogo entre obra e pessoa, a partir de construções metálicas geométricas que se articulam por meio de dobradiças e requerem a coparticipação do espectador. Nesse ano, leciona artes plásticas no Instituto Nacional de Educação dos Surdos, no Rio de Janeiro. Dedica-se à exploração sensorial em trabalhos como A Casa É o Corpo, de 1968. Participa das exposições Opinião 66 e Nova Objetividade Brasileira, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ). De meados de 1960 até 1976, reside em Paris, lecionando Comunicação Gestual, a partir de 1970, na Faculté d´Arts Plastiques St. Charles, na Sorbonne. Nesse período, sua atividade se afasta da produção de objetos estéticos e volta-se sobretudo para experiências corporais em que materiais quaisquer estabelecem relação entre os participantes. Retorna ao Brasil em 1976, dedicando-se ao estudo da memória do corpo, a partir de experiências sensoriais e terapêuticas. Sua prática fará com que, no final da vida, a artista considere seu trabalho definitivamente alheio à arte e próximo à psicanálise. A partir dos anos 1980, sua obra ganha reconhecimento internacional, com retrospectivas em capitais de vários países e em mostras antológicas da arte internacional do pós-guerra.

 

A2 + Mul.ti.plo

Única galeria de arte contemporânea em Petrópolis, a A2 + Mul.ti.plo é um projeto de expansão da Mul.ti.plo Espaço Arte em parceria com a A2. A ideia é levar até a região serrana do estado do Rio de Janeiro uma seleção de obras de grandes nomes da arte contemporânea brasileira e estrangeira que fazem parte do acervo da Mul.ti.plo. É uma oportunidade para o público da região de Petrópolis ver de perto trabalhos de artistas como Tunga, Georg Baselitz, José Pedro Croft, Derek Sullivan, Ross Bleckner, Jannis Kounellis, Eduardo Sued, Maria-Carmen Perlingeiro, Daniela Antonelli, Daniel Feingold e Mariana Manhães. A galeria fica no Armazém das Videiras – Estrada Almirante Paulo Meira, 8.400, loja 5 – Petrópolis.

 

Associação Lygia Clark 

A Associação Cultural “O Mundo de Lygia Clark” é uma entidade sem fins lucrativos fundada em maio de 2001 para organizar todo o material documental referente à trajetória da artista. Tem como principal objetivo disseminar a vida e a obra de Lygia Clark no mundo, promovendo e organizando junto a parceiros eventos, publicações e exposições sobre a artista. Também realiza o processo de certificação de obras de Lygia Clark. Hoje, existe atualmente um acervo de 6000 imagens e 15000 laudas de documentos. Esse acervo funciona, acima de tudo, como um arquivo dinâmico, que é atualizado à medida em que novos documentos são pesquisados ou criados pelo campo da crítica de arte ou por acadêmicos. O acervo concentra a ideia de um estudo amplo sobre a atividade artística de Lygia, tornando a associação cultural uma referência para o estudo da arte contemporânea brasileira, disponível para pesquisadores no Brasil e no mundo.

 

SERVIÇO

Centenário de Lygia Clark no Vale das Videiras

 

Dia 14 de março (sábado), às 19h

Apresentação da peça “Lygia.”

Ingresso: (em definição)

Classificação indicativa: 12 anos

Local: Fazenda Cachoeira

End.: Estrada Almirante Paulo Meira, s/n (logo depois do Condomínio Morro do Cuca)

 

Dias 13, 14, 15, 20, 21 e 22 de março, de 11h às 16h

Exposição de réplicas de Lygia Clark

Local: Galeria A2 + Mul.ti.plo

Entrada franca

End.: Armazém das Videiras - Estrada Almirante Paulo Meira, 8.400, loja 5 – Petrópolis

Tel.: +55 24 2225-8802

 

Dias 13 e 20 de março

Atividades educativas na Galeria A2 + Mul.ti.plo com alunos da Escola Municipal Vale das Videiras

End.: Armazém das Videiras - Estrada Almirante Paulo Meira, 8.400, loja 5 – Petrópolis

Tel.: +55 24 2225-8802

http://multiploespacoarte.com.br/

Contato
+55 24 2225-8802
* Os horários podem variar em função de férias e feriados. Recomendamos ligar antes para verificar.
Fotos
Compartilhe
Comente
Mais Opções em "Rio de Janeiro"
"Pardo É Papel" - Em individual no MAR, Maxwell Alexandre manipula narrativas de modo a construir seu lugar de poder
Saiba mais
'UÓHOL', DE RAFAEL BQUEER - Abrindo a agenda expositiva de 2020, o Museu de Arte do Rio apresenta ao público a partir de 11 de janeiro “UóHol”, mostra individual do paraense Rafael BQueer.
Saiba mais
Casa de Santos Dumont - "‘A Encantada’, erguida na Rua do Encantado [...]símbolo de uma personalidade inventiva, amante das formas geométricas, avessa à complicação, à cerimônia e ao fausto."
Saiba mais
Casa do Colono - "[...] um pouco do cotidiano e da cultura dos colonos alemãs que fundaram a cidade de Petrópolis."
Saiba mais
Circuito de arte contemporânea do museu do açude ganha obras permanentes- CIRCUITO DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO MUSEU DO AÇUDE GANHA OBRAS PERMANENTES DE WALTERCIO CALDAS, ANGELO VENOSA E JOSÉ RESENDE
Saiba mais
Irmãos Campana – 35 Revoluções - Irmãos Campana inauguram no MAM Rio mostra que celebra a trajetória de 35 anos da dupla
Saiba mais
Juan Melé - Construtor de poesia - MUL.TI.PLO ABRE EXPOSIÇÃO DO ARGENTINO JUAN MELÉ, UM DOS PIONEIROS DA ARTE CONCRETA NA AMÉRICA LATINA
Saiba mais
Juan Melé - Construtor de poesia - MUL.TI.PLO ABRE EXPOSIÇÃO DO ARGENTINO JUAN MELÉ, UM DOS PIONEIROS DA ARTE CONCRETA NA AMÉRICA LATINA
Saiba mais
Museu Casa de Santos Dumont - O museu conta com acervo de objetos, livros, cartas e mobiliário, bem como o chuveiro e a escada de entrada, com degraus em forma de raquete, que só se pode acessar começando com o pé direito.
Saiba mais
Museu de Cera de Petrópolis - É um museu localizado na cidade de Petrópolis.
Saiba mais
Museu Imperial - "[...] referência na área de políticas públicas relacionadas à museologia e à disseminação de suas práticas pelos museus do município e da Região Serrana."
Saiba mais
Palácio Rio Negro - "[...] a presença republicana na cidade a partir do Palácio Rio Negro. "
Saiba mais
Rua! - O Museu de Arte do Rio abre ao público no dia 18 de janeiro, com entrada gratuita, a exposição “Rua!”.
Saiba mais
Squatters - O projeto explora o conceito do Squatt (ocupação) como prática artística.
Saiba mais
“Ave Evas” - Galeria Patricia Costa abre exposição com curadoriade Sonia Salcedo del Castillo
Saiba mais