Carregando... aguarde
Elton John quer abrir um museu para sua coleção de arte e 6 outros itens de seu novo livro de memórias - Guia das Artes
Elton John quer abrir um museu para sua coleção de arte e 6 outros itens de seu novo livro de memórias
Elton John quer abrir um museu para sua coleção de arte e 6 outros itens de seu novo livro de memórias
O cantor e compositor revela suas ambições para sua coleção - e lembra que ele e John Lennon explodiram Andy Warhol.
inserido em 2019-12-13 19:53:12
Conteúdo

 

Elton John quer organizar uma grande exposição sobre sua colorida carreira e, possivelmente, abrir um museu particular para abrigar sua vasta coleção de arte, de acordo com sua nova e autobiografia Me.

O cantor e compositor tem muito para mostrar e contar. O artista coleciona arte há mais de três décadas, com foco especial na fotografia.

Os detalhes sobre o museu permanecem mínimos, e um porta-voz não retornou imediatamente uma solicitação para fornecer mais detalhes. Mas no final do livro, John lista todas as coisas que ele quer fazer após sua turnê mundial de despedida, incluindo trabalhar com sua fundação contra a Aids, lançar uma exposição dedicada a toda a sua carreira e possivelmente “abrir um museu permanente, para que pessoas vejam um pouco das minhas obras e fotografia. ”
Existem muitas outras revelações no relato geral de sua carreira até agora, publicado no mês passado e criado com a ajuda do jornalista musical Alexis Petridis. No livro, John relata como coletar coisas sempre o fez feliz, mesmo quando realizado em excesso.

Abaixo, nos aprofundamos nas maiores revelações do tomo sobre a relação de John com a arte.

1. Elton John ignorou Andy Warhol quando ele estava de saco cheio com John Lennon.

John relata uma noite em 1973 ou 74 (as datas ficam um pouco nebulosas) quando Andy Warhol bateu à porta do hotel em Nova York. O músico estava escondido em uma suíte com John Lennon, numa época em que o Beatle e sua companheira artista, Yoko Ono, foram temporariamente separados. Os dois britânicos estavam no meio de uma pilha de cocaína quando houve uma batida na porta. Eles temiam que fosse a polícia. Espreitando pelo buraco da fechadura, John reconheceu Warhol, parado na porta com seu companheiro constante, uma câmera Polaroid. John estava prestes a deixar Warhol entrar, mas Lennon "balançou a cabeça freneticamente" e sussurrou: "Não atenda." Lennon não gostou da ideia de ser fotografado com "pingentes de gelo" de coca no nariz, mesmo por Warhol , um mestre do passado em celebridades lisonjeiras. E assim, as estrelas pop ignoraram as batidas contínuas do artista pop mais famoso do mundo.

2. A paixão de John pela arte decolou depois que ele saiu da reabilitação.

John não se arrepende de suas tendências em compras, principalmente porque desistiu de outros vícios mais graves. "Fui viciado em coisas muito mais prejudiciais do que comprar louças e fotografias", ele escreve (embora admita que possuir mil velas e mantê-las em um armário seja um pouco excessivo).

Depois de entrar na reabilitação e ficar sóbrio, John tirou um tempo para se apresentar no início dos anos 90. Foi quando ele começou a colecionar fotografia. "Estive com fotógrafos incríveis durante a maior parte da minha carreira - Terry O'Neill, Annie Leibovitz, Richard Avedon, Norman Parkinson -, mas apenas pensei nisso como uma forma de publicidade, nunca de arte", ele escreve. Tudo mudou quando ele olhou por cima do ombro de um amigo que pensava em comprar algumas gravuras de Herb Ritts, que havia gravado uma das capas de álbuns de John no passado. "Acabei comprando 12 deles", lembra ele.

3. A coleta de John acabou se tornando tão excessiva que tomou conta de sua casa.

A coleção de arte de John finalmente alcançou uma escala épica. “Foi o estado da quadra de squash que me fez perceber que minha paixão por colecionar tinha um pouquinho de proporção”, lembra ele. Ninguém podia jogar porque o tribunal em sua casa estava cheio de caixas. E ele não conseguiu desfazer as malas porque não havia espaço extra em sua mansão perto de Windsor, fora de Londres. Mover-se pela casa era uma pista de obstáculos, ele confessa.

4. Seu amor por Man Ray remonta um longo caminho.

John construiu uma coleção particularmente forte de fotografias de Man Ray - e seu caso de amor com o artista remonta à década de 1960, muito antes de começar a colecionar fotografia, e mesmo antes de se tornar Elton John. Então conhecido como Reginald Dwight, o músico e seu parceiro de escrita Bernie Taupin estavam lutando contra artistas que moravam na casa da mãe de Dwight em Pinner, um subúrbio sem glamour de Londres. John não tinha dinheiro, mas tinha reproduções de Man Ray na parede, que ele amava desde adolescente. Anos depois, ele comprou uma gravura vintage das lágrimas de vidro de May Ray (1932). As £ 112.000 que ele pagou na Sotheby's em 1993 estabeleceram um novo recorde de leilão para uma fotografia na época.

5. Sua capacidade de aquisição até assustou os especialistas da Sotheby.

Em um esforço para reduzir o tamanho de sua coleção, Johns enviou muitos de seus bens à Sotheby's para um leilão de quatro dias em 1988 que acabou gerando mais de US $ 8 milhões. Os especialistas da Sotheby deixaram a casa de John "parecendo um pouco fracos", lembra ele. Ele não tinha muita certeza se era por causa da quantidade "ou do puro horror de algumas delas". Ele acabou vendendo todos os seus quadros, exceto um pequeno punhado, incluindo Francis Bacon, Patrick Proctor e dois Magrittes.

6. Ele e o marido querem doar um pouco disso.

John e seu marido David Furnish também são generosos frequentadores de museus. Atualmente, existe uma galeria de fotos em seu nome no Victoria and Albert Museum, em Londres, que apresentará um desenho em sua coleção de 7 mil trabalhos fotográficos, cujos detalhes ainda serão anunciados. É um acompanhamento do show da fotografia moderna de John na Tate Modern, "The Radical Eye", em 2016.

John e Furnish estavam entre os primeiros casais gays do Reino Unido a se tornarem parceiros civis e, em sua autobiografia, o cantor revela que eles originalmente planejavam realizar uma festa de casamento luxuosa em um estúdio no cinema Pinewood, nos arredores de Londres. Mas "o planejador voltou com um orçamento que até eu achei ridículo", lembra o músico que gasta muito. "Lembro-me de olhar para ela e pensar: 'Eu poderia enlouquecer no departamento de antigos mestres da Sotheby's com essa quantia de dinheiro'".

Fonte: https://news.artnet.com/art-world/elton-john-lennon-warhol-1728039

Fotos
Compartilhe
Comente
Últimos eventos
Qua
01/Jan
ESCULTURAS NO PARQUE DA LUZ- O Parque da Luz, também conhecido como Jardim da Luz, conta com área de aproximadamente 113 mil m² . Foi criado como horto botânico por uma Ordem Régia da Coroa Portuguesa em 19 de novembro de 1798 foi aberto ao público em 1825 como Jardim Botânico já no
Saiba mais
Qua
27/Jul
Bruno Almeida Maia , em entrevista para o GuiaDasArtes - Bruno Almeida Maia , ministrante do curso Constelações Visionárias , a relação entre moda , arte e filosofia nos concedeu a ótima entrevista que se segue :
Saiba mais
Dom
31/Jul
Circuito de arte contemporânea do museu do açude ganha obras permanentes- CIRCUITO DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO MUSEU DO AÇUDE GANHA OBRAS PERMANENTES DE WALTERCIO CALDAS, ANGELO VENOSA E JOSÉ RESENDE
Saiba mais
Sáb
17/Ago
Exposição: Sotaques Paulistanos da Bauhaus por Leonardo Finotti - A MOSTRA DESENVOLVIDA PELO FOTÓGRAFO LEONARDO FINOTTI ESTIMULA NOVOS OLHARES AO VOCABULÁRIO FORMAL DA BAUHAUS E DESTACA A PRODUÇÃO DA ARQUITETURA BRASILEIRA
Saiba mais
Dom
18/Ago
Exposição Scorzelli Megabichos - Museu reúne instalações e obras inéditas de Marcos Scorzelli
Saiba mais
Seg
14/Out
MUSEU DA CHÁCARA DO CÉU APRESENTA EXPOSIÇÃO “MUNDO”, CRIADA ESPECIALMENTE PARA O PÚBLICO INFANTO-JUVENIL - Crianças passarão por uma passagem secreta e terão acesso pela primeira vez a objetos de viagem de Castro Maya.
Saiba mais
Sáb
26/Out
Mostra ‘Sob Ataque’ volta à revolução de 1924 para abordar as bombas reais e simbólicas que contam a história do bairro dos Campos Elíseos - Exposição, idealizada pelo Coletivo Garapa, abre-se ao público dia 26 de outubro e segue em cartaz até 15 de março na Casa da Imagem.
Saiba mais
Qui
07/Nov
EXPOSIÇÃO “SAPATOS QUE PISAM CAMINHOS DIFERENTES” - O Museu Municipal recebe a última exposição do ano. “Sapatos que pisam caminhos diferentes”, que reúne peças deste segmento que datam do início do século XX.
Saiba mais
Qua
13/Nov
Centro Cultural Banco do Brasil recebe retrospectiva da artista japonesa, Chiharu Shiota - Exposição tem trabalhos de Chiharu Shiota do início de sua carreira, em 1994, até instalações inéditas inspiradas no Brasil.
Saiba mais
Dom
24/Nov
SURSUM CORDA - No dia 23 de novembro de 2019, a Capela do Morumbi, unidade vinculada ao Museu da Cidade de São Paulo e à Secretaria Municipal de Cultura, abre a instalação “Sursum corda”, de Carlos Eduardo Uchôa.
Saiba mais