Carregando... aguarde
Após tempos de crise, SP-Arte deve ser termômetro para 2018 - Guia das Artes
Após tempos de crise, SP-Arte deve ser termômetro para 2018
Após tempos de crise, SP-Arte deve ser termômetro para 2018
Maior feira do hemisfério Sul abre nesta quarta (11) para convidados e vai até domingo (15)
inserido em 2018-04-12 19:04:42
Conteúdo

 

Após um ano considerado difícil, o crescimento da economia brasileira no final de 2017 levou otimismo ao circuito das artes. A 14ª edição da SP-Arte deve ser um dos termômetros para 2018.

A feira, tida como a maior do hemisfério Sul, será inaugurada nesta quarta para convidados e segue até domingo no pavilhão da Bienal.

“O mercado está melhorando, o ano passado foi complicado”, diz Luisa Strina. A mais poderosa galerista do país levará à SP-Arte obras de artistas consagrados, como Cildo Meireles, Miguel Rio Branco e Anna Maria Maiolino.

O evento abrigará 131 galerias estrangeiras e nacionais —três a menos que em 2017. O orçamento, por sua vez, teve diminuição significativa.

Diante das modificações recentes na Lei Rouanet, que restringiram os limites de captação, as despesas para colocar a feira de pé foram repensadas, diz Fernanda Feitosa, idealizadora do evento.

No ano passado, a SP-Arte foi autorizada a captar cerca de R$ 4 milhões por meio da Lei Rouanet. Neste ano, baixou a requisição de incentivo para R$ 2,2 milhões, tendo obtido apenas R$ 400 mil até a última quarta (10) —a captação fica aberta até junho.


HISTÓRICOS E JOVENS

Entre os artistas estrangeiros que terão obras expostas na feira, estão o chinês Ai Weiwei, trazido pela galeria alemã Neugerriemschneider, e o francês Christian Boltanski, da Marian Goodman Gallery, de Nova York.

Entre os brasileiros, ganharam destaque nomes selecionados como o artista-curador da próxima Bienal de São Paulo, em setembro próximo, como Waltercio Caldas, da galeria Raquel Arnaud, e da artista Maria Laet, da Marília Razuk, que está na seleção do curador Gabriel Pérez-Barreiro.

Já Thiago Gomide, da Bergamin & Gomide, privilegiou obras que classifica como fortes e históricas, de nomes dos anos 1970 e 1980, como Günther Uecker e Fabio Mauri.


“É o que o mercado pede. Desde que os juros caíram, o mercado melhorou."


Para Julia Brito, da Luciana Brito, “não é porque é jovem que não vende”. “É importante fazer essa mistura, já que muitos compradores estão atrás dos jovens”, afirma.

Entre as cerca de 15 obras que a galeria terá no evento, estão peças de medalhões, como Marina Abramović e Waldemar Cordeiro, ao lado de obras de nomes emergentes, como o francês Raphaël Zarka e o paulista Tiago Tebet.

Como faz em feiras internacionais, Berenice Arvani terá apenas um artista na SP-Arte. Ao escolher João José Costa (1931-2014), do grupo Frente, que incluiu Helio Oiticica e Lygia Clark, ela diz conseguir “trazer um caráter cultural, e não tão de mercado”.


MUDANÇA DE TARIFA

Em anos anteriores, as obras que entravam temporariamente no país para a SP-Arte estavam submetidas a tarifas de armazenagem em aeroportos calculadas pelo seu peso bruto —era usada a tabela aplicada a eventos cívico-culturais.

Entretanto concessionárias que administram os aeroportos passaram a enquadrá-las em outra tabela, com taxas cobradas sobre o valor das mercadorias.

A Fortes D’Aloia & Gabriel deixou de trazer, por isso, obras de Beatriz Milhazes e de Valeska Soares para a SP-Arte. “Eu não posso pagar esse valor sob um trabalho que ainda não vendi”, diz a galerista Márcia Fortes, que terá no estande obras da dupla Osgemeos e de Barbara Wagner.

Fernanda Feitosa diz que, por meio de uma liminar, conseguiu que galerias importassem obras sem a nova tarifa.

Antes disso, a galeria Nara Roesler, que trouxe obras do argentino León Ferrari, desembolsou R$ 17.000 pela armazenagem das obras em Guarulhos, enquanto esperava pagar R$ 200.

Nesta segunda (9), o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, se reuniu com José Ricardo Botelho, diretor-presidente da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) para discutir o caso.

“O MinC fará uma consulta formal, para que a Anac regulamente o sentido da expressão ‘cívico-cultural’ e aponte os casos em que a tabela 9 [que cobra tarifa sobre o valor da mercadoria] deva ser aplicada”, disse Sá Leitão à Folha


Fonte: folha

Compartilhe
Comente
Últimos eventos
Qua
01/Jan
ESCULTURAS NO PARQUE DA LUZ- O Parque da Luz, também conhecido como Jardim da Luz, conta com área de aproximadamente 113 mil m² . Foi criado como horto botânico por uma Ordem Régia da Coroa Portuguesa em 19 de novembro de 1798 foi aberto ao público em 1825 como Jardim Botânico já no
Saiba mais
Ter
07/Jan
GALERIA TÁTIL- A Pinacoteca do Estado apresenta exposição com 12 esculturas táteis, em bronze, que fazem parte do acervo do museu. A seleção das obras foi realizada considerando a indicação do público com deficiências visuais que participou de visitas orientadas ao acer
Saiba mais
Seg
07/Jul
Galeria Tatil na Pinacoteca de Sâo Paulo - A Pinacoteca do Estado apresenta exposição com 12 esculturas táteis, em bronze, que fazem parte do acervo do museu
Saiba mais
Qua
27/Jul
Bruno Almeida Maia , em entrevista para o GuiaDasArtes - Bruno Almeida Maia , ministrante do curso Constelações Visionárias , a relação entre moda , arte e filosofia nos concedeu a ótima entrevista que se segue :
Saiba mais
Dom
31/Jul
Circuito de arte contemporânea do museu do açude ganha obras permanentes- CIRCUITO DE ARTE CONTEMPORÂNEA DO MUSEU DO AÇUDE GANHA OBRAS PERMANENTES DE WALTERCIO CALDAS, ANGELO VENOSA E JOSÉ RESENDE
Saiba mais
Sáb
22/Out
Galeria José e Paulina Nemirovsky - Arte Moderna - A mostra é uma reorganização e ampliação da exposição sobre o Modernismo.
Saiba mais
Dom
27/Ago
Arte no Brasil: Uma história na Pinacoteca de São Paulo. Vanguarda brasileira dos anos 1960 - Coleção Roger Wright - A mostra de longa duração celebra o comodato de 178 obras estabelecido em março de 2015 entre a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, a Pinacoteca e a Associação Cultural Goivos, responsável pela Coleção Roger Wright.
Saiba mais
Dom
22/Out
Galeria José e Paulina Nemirovsky - Arte moderna - Essa é uma exposição única e especial, que percorre grande parte do cenário histórico-cultural brasileiro do século XX. Sem contar que ampliamos de 49 para 110 obras essa mostra, todas emblemáticas e de reconhecimento internacional. Estamos muito satisfei
Saiba mais
Sáb
20/Out
Ai Weiwei trabalha com artesãos brasileiros na maior mostra já feita de sua obra - Artista chinês abre exposição 'Raiz' no parque Ibirapuera, em São Paulo, com trabalhos inéditos e outros já consagrados
Saiba mais
Qui
15/Nov
#DIVAS NÃO PEDEM PERDÃO - Colchões viram uma instalação cenográfica para exposição de Lígia Teixeira, que explora o universo feminino no Centro Cultural Correios
Saiba mais